Meditação diária de 03/06/2018 por Flávio Reti
03/06/2018
Meditação diária de 05/06/2018 por Flávio Reti
05/06/2018

Meditação diária de 04/06/2018 por Flávio Reti

04 de junho

O Bicho Carpinteiro (Xylotrechus integer)

Mateus 24:11   “Igualmente hão de surgir muitos falsos profetas e enganarão a muitos”

Estávamos sentados debaixo de uma mangueira quando, de repente, da árvore ao lado, uma caneleira, aquela que fornece a canela usada nos condimentos, desabou um enorme galho de uns 10 centímetros de espessura. Corremos para ver o que havia acontecido e notamos que o galho tinha sinais aparentes de que fora serrado com um serrote literalmente, mas do lado dele estava por ali o famoso bicho carpinteiro. Ele era o autor da façanha de serrar o galho. O bicho carpinteiro é um dos 30.000 espécies de escaravelhos existentes no mundo, é um tipo de besouro que prefere depositar seus ovos embaixo da casca das árvores e depois cortar o galho para que quando o ovo eclodir a madeira já estará podre e servirá de alimento para a larva que vai nascer debaixo da casca. No Egito, nos tempos dos Faraós, os escaravelhos, vamos dizer claramente, os besouros, eram considerados seres sagrados e eram usados como amuletos que na sua religião estavam relacionados com a vida após a morte e a reencarnação. Nas múmias encontradas sempre se descobre escaravelhos de metal que acompanhavam o Faraó morto para lhe proteger o caminho para o infinito. O bicho carpinteiro tem um bico, em forma de tromba dura, com o qual ele vai serrando o galho até derrubar. No Português do Brasil costuma-se aplicar a expressão “ter o bicho carpinteiro no couro” aplicada à crianças irrequietas em alusão ao bicho se locomovendo embaixo da casca com algum bicho por baixo da pele da criança deixando-a irrequieta, sem modos. Esse costume de dizer que criança irrequieta tem bicho carpinteiro no couro é muito antiga, desde o século XVIII essa expressão já era conhecida em Portugal e no Brasil.

Um simples besouro faz coisas que a gente até duvida. A palavra de Deus é clara ao dizer que “nos últimos dias surgirão falsos mestres e falsos profetas que farão grandes sinais e prodígios de modo que, se possível, enganarão até os escolhidos” (Mat.24:24). Achamos prodigioso um besouro serrar um galho 20 vezes mais grosso do que ele, mas haveremos de ver grandes prodígios que escaparão à nossa compreensão acontecendo pelas mãos do grande enganador, o próprio diabo, que nos farão tinir as orelhas. É bom sabermos disso de antemão, para quando surgir algo extraordinário não nos assuste, porque já foi prevenido por Jesus. Devemos estar de guarda o tempo todo.

Os comentários estão encerrados.