Meditação diária de 02/06/2018 por Flávio Reti
02/06/2018
Meditação diária de 04/06/2018 por Flávio Reti
04/06/2018

Meditação diária de 03/06/2018 por Flávio Reti

03 de junho

A Capivara (Hydrochoerus hydrochaeris)

João 3:36   “Quem crê no filho do homem tem a vida eterna…”

A capivara é um animal semiaquático, isto é, vive parte da vida na terra e parte da vida na água. É o maior roedor existente no mundo. Geralmente a sua cor é marrom e nas patas traseiras tem 3 dedos enquanto que na dianteira tem 4 dedos. Elas se socializam com os humanos facilmente e passam até a ser simpáticas. Elas conseguem ficar debaixo da água até 5 minutos sem respirar. Os indígenas a chamavam de kapiyva significando senhor da grama, ou rei do capim. Elas chegam as medir 1.3 metros de comprimento, 50 centímetros de altura e a pesar até 100 quilos. Entre elas a fêmea costuma ser maior que os machos. Elas sempre serão vistas nos banhados, pântanos, nas margens dos rios e próximos dos córregos. Vivem sempre em grupos e se alimentam na natureza exclusivamente de capim, mas quando se socializam passam a comer também grãos, abóboras e frutas e comem próximo de 3 quilos de grama fresca. As capivaras são mais ativas no amanhecer e nos entardecer, durante o dia preferem ficar dormindo para ficar acordadas à noite. Elas dormem perto da água, dentro da lama ou em poças rasas, mas dormem assim mesmo. Em cada gestação ela produz três filhotes que já nasce com dentes e pesando 2 quilos e em 18 semanas já vão estar pesando 40 quilos. Pena que seu tempo de vida se limita a 12 anos apenas.

Fiquei pensando no seu tempo de vida. Doze anos apenas, é muito pouco para um animal tão espetacular e curioso. Mas pensando bem, não é muito diferente de nós, seres humanos, que vivemos, se tivermos boa saúde, até os 100 anos, com raras exceções um pouco mais e depois morremos todos como morrem as capivaras. A única diferença para nós está na esperança de vida eterna porque foi prometida pelo próprio Jesus. Essa esperança que nos alimenta a alma e nos faz enfrentar a morte com convicção de que Jesus vai voltar e vai nos reviver para morar eternamente no céu. É uma bendita esperança que traz alento, enche a vida de entusiasmo e de confiança na promessa de Jesus. Um dia as capivaras vão morrer, nós provavelmente também vamos morrer, mas quando Jesus voltar, nós vamos ressuscitar para a vida eterna e as capivaras não. E sabe porque somos diferentes? Porque somos objeto do amor de Deus e para nós é que foi feita a promessa: “Virei outra vez e vos levarei para mim mesmo” (João 14:3) e não para as capivaras.

Os comentários estão encerrados.