Meditação diária de 01/11/2018 por Flávio Reti
01/11/2018
Boletim Informativo da Igreja do UNASP Hortolândia – Edição 0003 – 2018-10-31
02/11/2018

Meditação diária de 02/11/2018 por Flávio Reti

02 de novembro

A traça (Tineola bisselliella)

Mateus 6:19   “Não ajunteis para vós tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem os consomem e onde os ladrões minam e roubam”

Provavelmente você já viu um cisco, parecendo uma casquinha, subindo pela parede e ficou observando e na sequência concluiu que era um bichinho, mas não sabe dizer qual. Pode ser uma larva de traça de roupas. Mas saiba que existem traças de livros, traças de cereais e traças de roupas. As traças de livro são bem pequenas, quase invisíveis e quando você está lendo vê de repente um bichinho minúsculo atravessando a página e se escondendo na dobradura. As traças de roupas, também chamadas de traça de parede, a gente, com frequência, as vê subindo pela parede, procurando um local para se prender e se transformar em uma pequena mariposa que devora roupas dentro dos armários. Para uma traça se desenvolver, quase tudo que encontra é alimento. Pode ser restos de papel, restos de pele descamada, cabelos, e tudo que for material orgânico que elas comem até virar uma pequena mariposa. Embora elas causem um verdadeiro estrago nas roupas, elas, as traças, não significam riscos para a saúde humana. Elas põem seus ovos, incubam e saem as larvinhas, crescem, comem o que encontram, viram uma mariposa e recomeçam o ciclo. O mal delas é que elas não perguntam se a roupa era nova ou velha, se podia ou não podia comer, e comem sem perguntar. Quando você descobre, sua blusa de estimação já virou quase uma peneira, toda roída pela traça. As traças de roupas têm antenas grossas e compridas em relação ao seu tamanho e o corpo coberto por escamas, desenvolvem asas e pernas e quando adultas vão ter entre 0.5 a 0.8 centímetros, menos de um centímetro e se tornam uma mariposinha amarelinha. O suor que fica nos tecidos, especialmente quando usamos e guardamos sem lavar, é um atrativo para elas. Elas se escondem nos cantos da parede, por baixo de sapatos, nas frestas da madeira dos armários e vão comendo e sobrevivendo e sempre recomeçando o ciclo da sua vida. O tempo de vida se aproxima de uns seis meses, mas depois de adulta duram apenas alguns dias e morrem, infelizmente.

Quando você descobre, elas já fizeram o estrago nas roupas. Assim é a vida humana. Quando você descobre a infância já passou, quando você descobre a adolescência já ficou para trás, quando você descobre a juventude já dobrou o Cabo da Boa Esperança, e quando você descobre já está velho e não dá mais para recomeçar. Assim é a vida, ela passa e nós voamos (Sal.90:10).

Tomar consciência da vida, saber que a vida passa para todos, quer você queira ou não, quer você entenda ou não, a vida está passando e com ela as oportunidades de estudo, de crescimento, de aproximação dos parentes próximos, e acima de tudo a oportunidade de fazer um compromisso com Jesus. Você já percebeu que a vida está passando?

Os comentários estão encerrados.