Meditação diária de 01/09/2018 por Flávio Reti
01/09/2018
Dia Mundial do Desbravador 2018
02/09/2018

Meditação diária de 02/09/2018 por Flávio Reti

02 de setembro

A Locusta (Locusta migratória)

Salmo 51:2   “Lava-me completamente da minha iniquidade e purifica-me do meu pecado”

Aqui pra nós locusta é um animal cortador de plantas semelhante ao conhecido gafanhoto. Na antiga Roma, locusta era uma mulher entendida no preparo de venenos para eliminar inimigos da realeza. Segundo o historiador Tacitus (Annals 12.66 e 13.15), foi ela quem envenenou Claudius (54 d.C) a mando de sua esposa Agripina, a jovem, e de seu filho Britannicus com uma porção de cogumelos envenenados. A locusta inseto é uma espécie de gafanhoto migrador, mais conhecido no norte da Europa e na África exatamente por seu hábito de migrar e de aparecer aos bandos, tornando-se uma das principais pragas dos campos de agricultura do continente africano. Nosso gafanhoto, aqui no Brasil, geralmente é verde e pequeno. A locusta é maior e de coloração castanha.

Assim como existem aves de arribação, aquelas que voam em bandos, também a locusta é conhecida como gafanhoto-de-arribação. O Profeta Joel, falando da destruição de Israel, (Joel 1:4), cita o gafanhoto como cortador dos brotos da videira, a locusta como cortadora dos ramos e acrescenta o pulgão para piorar. Curioso que ele chama a locusta de voadora, confirmando o que conhecemos como nuvem de gafanhotos ou nuvem de locustas.

Podemos pensar em locusta cortadora como aquelas coisas que vão acontecendo em nossa vida e que vão pouco a pouco podando nossas oportunidades de crescer, de progredir, como uma planta atacada pela praga das locustas. Nossos hábitos de vida, nossa alimentação, nossos vícios, todos são elementos que vão se agregando à nossa vida e podando nossas oportunidades. Nossa má alimentação nos diminui a vida, os vícios nos trazem doenças, muitas vezes graves, e atalham nossa vida quando não nos deixam inutilizados para uma vida mais abundante. Os usuários de drogas têm o cérebro comprometido e nunca mais conseguem pensar ou raciocinar corretamente.

Tudo pode ser evitado e deve ser evitado como se evita uma praga, como o lavrador se precavê de uma nuvem de locustas. Depois que a locusta abate numa propriedade, o que sobra são varas daquilo que um dia foi uma planta viçosa. Quando os maus hábitos e as drogas acometem, o que sobra é um indivíduo incapacitado para a vida plena, um traste humano pelas ruas, um peso para a sociedade e um desgosto para a família. Não é essa a vida que Deus pensou para seus filhos. Ele quer ver a todos no verdor da mocidade, sadios, exalando saúde da mente e do corpo, provas de que somos filhos e filhas de um Deus que cuida e que se interessa.

Os comentários estão encerrados.