UNASP News – 28/06/18
30/06/2018
Meditação diária de 02/07/2018 por Flávio Reti
02/07/2018

Meditação diária de 01/07/2018 por Flávio Reti

01 de julho

O Percevejo (Cimex lectularius)

Mateus 5:19   “Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens será chamado o menor no reino dos céus…”

Quando me propus a escrever sobre o percevejo, eu pensei logo no percevejo de cama, que acontece muito frequente nas camas simples dos lavradores, nos sítios e fazendas, mas para assombro meu, também descobri que eles existem nas camas dos hotéis mais luxuosos e tenho que admitir que existem também os percevejos das plantas em geral. O percevejo de cama suga o sangue da pessoa enquanto ela dorme e o percevejo da planta suga a seiva das plantas. Os percevejos são muito caçados pelas formigas e vespas que os carregam para suas habitações a fim de servir de alimento para o formigueiro ou para os ninhos das vespas. O percevejo de cama mede apenas 7 milímetros, mas quando pica, a pele arde e coça. O percevejo é mais comum do que você pensa e vem se tornando um sério problema, porque é um bichinho insignificante que a gente não vê mas que vive nas camas dos hotéis e pousadas e deixa marca nas pessoas quando resolve sugar um sanguinho novo. Eles chegam a nossa casa trazidos nas nossas malas quando viajamos e se acomoda muito bem nas nossas camas, por baixo do colchão, entre as ripas da cama. Nos Estados Unidos os “bed bugs”, como são chamados, já são considerados uma peste urbana e tratado como um problema de saúde pública. Ele chega a sua casa quando uma fêmea resolve pôr seus ovos numa peça de roupa, ou se esconder na sua mala de viagem, basta que você se hospede em local infestado e descuide da sua mala que ele pega carona e sua criação de percevejos estará garantida. Os percevejos da lavoura também significam preocupação para os agricultores. Eles se multiplicam velozmente e atacam uma plantação acabando com ela em poucos dias. O lavrador deve ficar atento e não deixar sequer começar a praga.

E o que que eu aprendo com isso? Jesus disse certa vez que são as raposinhas que destroem as vinhas (Cant.2:15). São os pecadinhos que vão nos deixar fora dos céus. Logo, todo cuidado é pouco quando falamos em pecados, que como percevejos se introduzem nas nossas vidas e além de nos fazer mal, podem agravar nossa situação espiritual e nos levar a perder o céu que tanto almejamos.

Os comentários estão encerrados.