Meditação diária de 06/12/2018 por Flávio Reti

Meditação diária de 05/12/2018 por Flávio Reti
05/12/2018
Street Store 2018 – Cobertura da Equipe de Comunicação [Vídeo]
06/12/2018

06 de dezembro

Quokka (Setonix brachyurus)

Mateus 7:21   “Nem todo aquele que me diz Senhor, senhor, entrará nos reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu pai que está nos céus”

É um animalzinho da família dos marsupiais, existente na Austrália, que dá a impressão de que está sempre rindo. É um herbívoro noturno que mede pouco mais de 40 centímetros, de pelagem marrom e dono de uma longa cauda felpuda. Sua vida média é de dez anos e os aborígenes australianos o chamavam de “bangup” ou de “bundeuo”. Quando o explorador inglês Willen de Vlamingh o viu pela primeira vez, ele disse que era um ratão que parecia um gato. Esse animal não tem medo dos humanos, por isso os turistas gostam de se aproximar deles e eles são uma atração para os turistas para fazer selfies, porque eles dão a impressão de que estão sempre rindo, ficam bem na foto. Nem precisa falar “sorria, você está sendo filmado”. No último grande incêndio de 2015 que arrasou 98 mil hectares de floresta, a situação dos quokkas se agravou porque os levou à beira da extinção. No mesmo local onde havia 500 animais antes do incêndio sobraram apenas 30. Eles têm sido descritos como os animais mais felizes do mundo e não há quem resista sem tirar uma foto com um deles que às vezes se aproximam e vão subindo nas pessoas como se estivessem querendo um abraço ou abraçá-las. Se você também quiser um abraço de um quokka, é só dar um passeio lá pelo sudoeste da Austrália e trazer muitas fotos de quokkas abraçados com você. A Austrália é famosa pelos seus animais exóticos como o canguru, os coalas, os wallabies, crocodilo do mar, o polvo de anéis coloridos e muitos outros. Mas não se engane, os quokkas, embora tenham essa carinha de bons amigos, e na maioria das vezes são mesmo bons amigos, eles também podem morder e rasgar com suas garras afiadas. Os que habitam mais perto da população já são quase domesticados, mas alguns deles ainda são selvagens e nada confiáveis.

As aparências enganam, essa é uma verdade indiscutível. Quando Eva, no jardim do Éden, viu uma serpente falante que se dirigia a ela, sem dúvida Eva ficou fascinada, mas o que ela só depois ficou sabendo é que se tratava de satanás que havia sido expulso do céu. Ele se apresentou como uma serpente reluzente, inteligente, falante e Eva se deixou levar pelo deslumbramento sem se dar conta de que estava sendo enganada e sendo usada para macular toda a criação de Deus. A bíblia nos adverte de que satanás, nos últimos dias, se apresentará como anjo de luz e vai enganar até os escolhidos (Mat.24:24). Por isso, nunca devemos nos deixar levar pelas aparências. Os quokkas são amigáveis, sempre sorridentes, mas podem morder e rasgar.

Os comentários estão encerrados.