Meditação diária de 26/06/2019 por Flávio Reti – Francisco Pizarro González
26/06/2019
ContraPonto 2019-06 – Racismo
27/06/2019

Meditação diária de 27/06/2019 por Flávio Reti – Anthony Charles Lynton Blair

27 de junho

Salmos 66:5  “Vinde e vede as obras de Deus, ele é tremendo nos seus feitos para com os filhos dos homens”

Anthony Charles Lynton Blair

É o Tony Blair da Inglaterra, o primeiro ministro, o homem que conseguiu pôr um fim nas lutas que se arrastavam há trinta anos entre a Irlanda do Norte e a Inglaterra. Blair foi o indicado da ONU e enviado para o Oriente Mèdio, para os Estados Unidos e para a Rússia. Ele foi quem apresentou no Parlamento Inglês um plano de política trabalhista com o seguinte slogan: “trabalho para quem pode trabalhar e assistência para os que não podem trabalhar”. Ele esteve no conselho da União Europeia quando votou e aprovou um tratado para a circulação do Euro. Convenceu os conterrâneos para devolverem os poderes políticos à Escócia, ao País de Gales, e à Irlanda do Norte. Mas chegou o dia em que Tony Blair anunciou sua renúncia de líder do partido trabalhista e de seu cargo como primeiro ministro, depois de dez anos no cargo. Foi uma grande decepção para muita gente! Para ser mais bem aceito na comunidade internacional, fora da Inglaterra, onde a Igreja Anglicana sempre dominou, Tony Blair anunciou sua conversão à Igreja Católica Romana dentro da catedral de Westminster diante de uma audiência de 1600 pessoas. Para ele, a religião favorecia a globalização do mundo, que poderia ajudar a ONU alcançar os objetivos do milênio contra a pobreza e a fome e despertar a consciência do mundo. Resumindo, Tony Blair renunciou ao cargo de primeiro ministro e voltou a ser o advogado que antes era, fora da política e com a chama do entusiasmo político apagada, com o nome no esquecimento, porque a roda gira e o tempo passa indubitavelmente.

Destacamos aqui sua renúncia do cargo de primeiro ministro, quando tudo parecia ir bem com ele. Este fato me faz lembrar de pessoas que convivem dentro da nossa igreja, desfrutam de boa reputação, têm cargos e nada parece que elas podem desistir. Mas lá um belo dia nós nos surpreendemos com a notícia de que fulano abandonou as fileiras dos crentes e pediu sua carta de renúncia do rol de membros da igreja para viver sua vida lá fora. É um momento triste ver alguém desistindo da luta cristã, abandonando o único que pode nos valer, pode nos salvar, pode nos dar a vida eterna e se voltar para, sabe-se lá o quê? Dizem que no céu teremos muitas surpresas. A primeira delas é chegar lá e ver que pessoas que nós julgávamos estar lá, não estarão lá. A segunda é ver lá no céu pessoas que nós julgávamos nunca vê-las lá e lá elas estarão. A terceira surpresa é se nós vamos estar lá. O evangelho de Jesus é todo inclusivo, ele nunca exclui alguém do direito de receber a vida eterna facultada pelo mérito do sacrifício de Jesus. Ele mesmo, Jesus, a ninguém jamais excluiu da possibilidade de estar com ele, nós é que nos excluímos pela maneira que lidamos com a oferta de salvação. Dizem que há pessoas que não enxergam um palmo na frente do nariz, e isso parece ser verdade para alguns que não conseguem ver a beleza da vida em Cristo, o tamanho do privilégio que será estar no céu, a enorme chance que será viver eternamente e muitas vezes nós não enxergamos tudo isso à nossa frente. Oxalá, Deus nos dê a faculdade de viverr e ver com clareza tudo que ele tem reservado aos que o esperam para a salvação.

Os comentários estão encerrados.