Meditação diária de 25/06/2019 por Flávio Reti – Claudio Besserman Viana
25/06/2019
Meditação diária de 27/06/2019 por Flávio Reti – Anthony Charles Lynton Blair
27/06/2019

Meditação diária de 26/06/2019 por Flávio Reti – Francisco Pizarro González

26 de junho

Salmos 139:6  “Tal conhecimento é maravilhoso demais para mim, elevado é, não o posso atingir”

Francisco Pizarro González

Todo país tem seu herói e se não tem o povo cria um herói. Falando do Peru, ele também tem o conquistador Francisco Pizarro, o homem que subjugou o império Inca ao poder do povo espanhol, ocupando lhes as terras e se apropriando de seus animais, aniquilando homens, mulheres e crianças. Assim que me formei no curso de contabilidade, eu fui trabalhar numa empresa de alimentos que no momento não andava muito bem economicamente. Então, trouxeram um auditor de lá, do Peru, para passar uns dias na empresa e detectar os possíveis problemas e falhas. Ele andava pela fábrica toda e de quando em quando vinha ao escritório de contabilidade para fazer perguntas sobre a produção, sobre fluxo de caixa, sobre contas a receber, sobre estoque, sobre inventário que ele queria que fosse mensal e outras coisas. Quando ele se aproximava, alguém já anunciava na seção: Lá vem o Pizarrito! E assim ele ficou conhecido para nós, o Pizarrito, porque o sobrenome dele era também Pizarro e Pizarrito foi o apelido que lhe demos. Mas o Pizarro verdadeiro, conta a história, que foi abandonado nas escadarias de uma igreja na cidade de Trujilo e tempos depois reconhecido por seu pai que bancou sua educação mandando-o fazer um curso militar na Itália. Pizarro voltou para a América e pesquisando as terras daqui enviava informações para a Espanha que aqui os índios comiam e bebiam em vasilhas de ouro. Foi o suficiente para merecer a confiança Espanhola e receber homens e navios e suprimentos para a conquista em nome da Espanha. Na tomada de Cusco, Pizarro foi a um jantar com o chefe indígena e lá mesmo assassinou a pequena guarda e fez o chefe seu prisioneiro. Deixou seu amigo e companheiro de lutas, Almagro, cuidando de Cusco e desceu para fundar a cidade de Lima, mas os incas novamente se levantaram para recuperar Cusco e Almagro os derrotou, por isso resolveu tomar Cusco para si. Isso gerou polêmica entre Pizarro e Almagro e por ciúmes Pizarro assassinou o amigo de lutas. Mas os defensores de Almagro se juntaram e assassinaram Pizarro em 26 de Junho de 1541. Com aquele incidente Pizarro entrou para a história do Peru como o fundador da cidade de Lima e seu herói ao recuperar Cusco.

Percebeu quanta guerra e quantos assassinatos tudo porque se interessavam pelo ouro e pelas terras? Agora, não importa quem, importa que você perceba quanta ganância sempre existiu no coração dos homens. Só ouvir falar em ouro já valia a pena navios, armas, homens, munição, comida e um aventureiro disposto a lutar em nome do reino.

Ah! Se aqueles homens soubessem que Jesus prometeu o céu com mansões gratuitamente, ruas de ouro na cidade santa, portais de pérolas, muros de pedras preciosas e muito mais. Flores e folhas que nunca murcharão, ao lado do rio da água da vida à disposição de todos os salvos. Quão certo estava o profeta ao afirmar que “o povo perece por falta de conhecimento” (Oséias 4:6), quando o conhecimento está ao alcance de todos, bastando se interessar por ele. A história da humanidade esta eivada de catástrofes por falta de conhecimento da verdade, da palavra de Deus. Saber mais do que está revelado é especulação, mas saber menos do que está revelado é ignorância. Nós podemos ser grandes ignorantes e ignoramos também isso. Nós ignoramos que somos ignorantes, pode isso?

Os comentários estão encerrados.