Novo Encontro com Emanuelle Salles, do Bonita Adventista
25/05/2019
Meditação diária de 27/05/2019 por Flávio Reti – Muammar Mohammed Abu Minyar al-Gaddafi
27/05/2019

Meditação diária de 26/05/2019 por Flávio Reti – Ratko Mladić

26 de maio

Isaías 28:17  “E farei do juízo a linha para medir e da justiça, o prumo…”

Ratko Mladić

Nós sempre aborrecemos Hitler pela chacina de 6 milhões de judeus nos campos de concentração, nos fornos de Auschiwits e o mundo ainda olha de soslaio para os alemães achando que todos são Hitlers modernos, mas o que dizer dessa criatura aí acima, cujo nome nossa língua nem consegue falar e que na guerra da Bósnia, em 1992 até 1995 ele que foi um comandante direto da Sérvia, comandou o massacre de Srebrenica causando a extinção de 8.300 muçulmanos e banimento de 40.000 deles e também cercou a cidade de Sarajevo durante 43 meses matando a população de fome, e onde milhares de civis foram mortos a tiros de artilharia de atiradores independentes, mas apoiados por ele, de cima das colinas que margeiam a cidade? O tribunal da ONU emitiu uma ordem de captura e detenção do comandante bósnio considerando-o o executor de crimes de guerra e crimes contra a humanidade. A Sérvia ofereceu 5 milhões de euros a quem desse pistas de sua localização e mais tarde dobrou a oferta para 10 milhões de Euros. A União Europeia (UE) exigia a captura de Ratko Mladic como condição para formalizar a entrada da Sérvia no bloco Europeu. O comandante do massacre conseguiu ficar escondido durante 10 anos, mas em 2011, lá na Sérvia mesmo, sua prisão foi anunciada em Belgrado pelo presidente do país. Ao prendê-lo, o presidente declarou que sua prisão era uma página virada e removida da história da Sérvia. Em 2017 ele foi condenado a prisão perpétua e deve estar cumprindo a pena ainda hoje. Quando ele foi promovido a coronel, um mês depois, eles bloquearam a cidade de Sarajevo cortando a eletricidade e o fornecimento de água e o fechamento do espaço aéreo. Nesse ato iniciou-se o cerco oficial de 4 anos enquanto ao mesmo tempo era bombardeada dia e noite. Segundo o juiz do tribunal internacional de Haia, que lavrou a sentença, ele declarou que lá se deram “verdadeiras cenas do inferno escritas nas páginas mais negras da história humana”, porque todos tinham consciência de que lá se praticou execução sumária sem julgamento, milhares foram enterrados em valas coletivas sem identificação, mulheres aos milhares foram violentadas, algumas mutiladas e muitas assassinadas, crianças executadas na frente dos pais, dos avós. Houve o relato de um avô que foi obrigado a comer o fígado de seu netinho morto pelas tropas de Mladic. Ele foi tão ousado que chegou a fazer reféns o próprio pessoal da ONU que inspecionava a área. Sabedor de sua condenação e rebaixado a simples observador, ele desapareceu das vistas e durante 10 anos ninguém soube dele. A família chegou a pedir ao governo que desse uma declaração de que ele estava morto, para poder vender as propriedades da família e poder também receber aposentadoria do governo, mas o pedido foi negado. Quinze anos depois da sua condenação, 10 anos depois de desaparecido, finalmente ele foi descoberto e preso no norte da Sérvia usando um nome falso de Milorad Komadic e com um braço paralisado acometido de paralisia inexplicável.

A gente fica pasmo pensando como Deus vai julgar uma pessoa mais do que satânica como essa, gostaríamos de entender como será o juízo de Deus, mas um dia ele esclarecerá, um dia tudo virá à tona e o universo tomará conhecimento. Deus é um justo juiz, pode crer.

Os comentários estão encerrados.