Meditação diária de 24/06/2019 por Flávio Reti – Kenneth Arnold
24/06/2019
Meditação diária de 26/06/2019 por Flávio Reti – Francisco Pizarro González
26/06/2019

Meditação diária de 25/06/2019 por Flávio Reti – Claudio Besserman Viana

25 de junho

Lucas 7:32  “…Tocamos flauta e não dançastes, cantamos lamentações e não chorastes”

Claudio Besserman Viana

Bussunda era o nome artístico desse que foi um grande comediante, humorista, ator, jornalista, escritor, cronista de esportes, dublador na TV e um dos membros do grupo Casseta & Planeta, programa da Rede Globo por longo tempo. Como estudante, péssimo, mas como pessoa pública, nota dez. Ele vivia de promover e provocar humor, seu negócio era fazer rir, mesmo com coisas sérias. Gostava de comer bastante, e como humorista, gostava de zombar de si mesmo por ser comilão. Ele escreveu onze livros, lançou três discos, encenou no teatro, participou de filmes, foi dublador do personagem Shrek. Nunca teve interesse pelos estudos, no ciclo básico chegou a ser reprovado em todas as matérias com nota zero. Quando conseguiu chegar ao vestibular, ele só conseguiu o penúltimo lugar para o curso de comunicação na UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Nunca chegou a se formar, mas entrou para o mercado de trabalho como redator do jornal humorístico do grupo Casseta & Planeta que primava por fazer humor com a política. Ele esteve inserido em vários programas de televisão como apresentador, como redator, jornalista independente. Aconteceu que em 2006, ele foi enviado à Alemanha para cobrir a copa do mundo e tirar de lá motivos e lances que poderiam ser matéria para o programa Casseta & Planeta. No dia 16 de Junho de 2006, ele jogou bola com amigos e outros frequentadores do mesmo hotel onde estava hospedado (Erb Best Western no centro de Munique) e se sentiu um pouco mal, mas dispensou ajuda médica. No dia seguinte, enquanto tomava o café da manhã, passou mal novamente. Havia médicos e paramédicos hospedados no mesmo hotel que foram chamados e prestaram assistência, tentaram reanimá-lo, mas todo esforço foi inútil, ele morreu ali mesmo. Por ironia, ele faria 44 anos dentro de uma semana. Um de seus colegas de programa, Hélio de la Peña, sempre o considerou um gênio, embora Bussunda não tivesse estudado um curso superior completo, e se expressou assim: “Ele era o ponto de equilíbrio do grupo, não sabemos como vamos ficar sem ele”. Bussunda gostava de fazer paródias com o jogador Ronaldo, que, segundo a imprensa, vinha engordando e tendo problemas de saúde na profissão de jogador e no momento em que fazia piadas com o Ronaldo, ele mesmo morre com problema cardíaco.

Quando leio sobre alguém com a arte de fazer rir, eu penso no contrário: Quanta gente há neste mundo que só sabe fazer chorar. É um mau pai, um mau político mal intencionado, um professor incapacitado para a profissão, um namorado insensível, um amigo falso e tantos que podem engrossar esta lista. Fazer chorar é tão tocante que até a Jesus fizeram chorar. Jesus chorou quando, do alto do monte, viu a cidade de Jerusalém e o que lhe aconteceria em breve pela ignorância e pelo afastamento de Deus. Ao mesmo tempo Jesus viu muitas causas que podem fazer chorar os seus filhos e disse no sermão do monte a célebre frase: “Bem aventurados os que choram, porque eles serão consolados” (Mat.5:4). Não precisamos de um humorista para nos fazer rir, basta saber que um dia Jesus “enxugará dos olhos toda lágrima” (Apoc.21:4), quando nos franquear livre entrada no seu reino onde “não haverá mais lágrima, nem dor, porque as primeiras coisas passaram”.

Os comentários estão encerrados.