Meditação diária de 24/03/2017 por Flávio Reti
24/03/2017
Meditação diária de 26/03/2017 por Flávio Reti
26/03/2017

Meditação diária de 25/03/2017 por Flávio Reti

Dia Mundial do Orgulho Gay

“Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem os adúlteros, nem os afeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus” I Cor. 6:9 e 10

Eu não saberia dizer se existe algum orgulho em ser gay. Também não vejo razão lógica para se ter um dia com essa comemoração esdrúxula.

Não temos uma explicação plausível, mas todos somos tentados a fazer as coisas que Deus proibiu. Eva desejou comer do fruto proibido, exatamente porque era proibido, alguns preferem o ganho desonesto, alguns homens preferem a mulher de outro homem e algumas pessoas desejam outra pessoa do mesmo sexo e por aí vai.

Deus colocou limites para nosso comportamento sexual inclusive. Temos o relato bíblico que dois anjos vieram à casa de Ló, em Sodoma, e os habitantes tentaram invadir a casa para abusar sexualmente dos dois anjos. Estes estenderam as mãos e os homens da cidade foram cegados imediatamente (Gen.19:4 e 5). Era o limite. Eu não vejo o que comemorar, eu vejo a falta de um princípio, domínio próprio.

Parece que claramente está faltando domínio próprio. É um princípio, um estilo de vida que se aplica a todos, para os homossexuais também. E por que exercer domínio próprio? Porque todos devem aprender a dominar seus desejos. Vai agora culpar a genética? A ausência de um pai na infância? Foi criado no meio de mulheres? Deus condena absolutamente as relações homossexuais tanto de homens como de mulheres. “Por causa disso, os entregou Deus a paixões infames; porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário à natureza; semelhantemente, os homens também, deixando o contato natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição do seu erro” (Romanos 1:26-27).

“Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas . . . herdarão o reino de Deus” (1 Coríntios 6:9-10).

Nossa tendência pecaminosa é procurar desculpas que possam justificar o pecado e isso é impossível, não existe desculpa para o pecado. Cabe a nós fazer tudo para vencer a tentação e nunca se deixar vencer por ela. Casamento gay, então, só Deus, porque nós não podemos julgar, mas podemos entender e evitar. Jesus confirmou que a união em casamento só entre um homem e uma mulher (Mat.19:4). O homem e a mulher foram criados para um complementar o outro e ponto final. Deus deixou bem claro que o clamor de Sodoma revela seus sentimentos ao ele declarar que o pecado deles era muito grave (Gen.18:20)

Os homossexuais merecem ser amados como qualquer pessoa e merecem igualmente o perdão de Deus. Eles são seres humanos de carne e osso como nós, sentem dores como nós, sofrem como nós. É para eles também a promessa de “que se convertam ao Senhor que se compadecerá deles” (Is.55:7). Conhece algum homossexual? Aproveite, ore por ele. Peça a Deus que lhe dê compreensão da vida e da Sua vontade.

“Para cada privilégio lícito, concedido por Deus, Satanás tem uma contrapartida a propor. O pensamento puro e santo ele procura substituir pelo impuro. A santidade do amor matrimonial ele quer substituir pela permissividade, infidelidade, excesso e perversão, pelo sexo pré-marital, adultério, animalismo, dentro e fora do casamento e a homossexualidade. Jesus não impunha o

celibato a qualquer classe de homens. Ele veio não para destruir a sagrada relação matrimonial, mas para exaltá-la e restaurá-la a sua santidade original. Ele olha com prazer para a relação de família onde o amor sagrado e altruísta domina o equilíbrio” (O Lar Adventista, p.121). Todo jovem e toda jovem precisa se compenetrar da santidade do casamento e aprender a evitar as aberrações que perpassam nossa sociedade permissiva. Deus é desonrado pelo comportamento de alguns, inclusive de adultos casados. Não somos animais, somos filhos de Deus e devemos ter sempre isso em mente, inclusive nos momentos de intimidade. A presença de Deus santifica qualquer relacionamento. Se Deus não puder ser convidado para estar presente, então… algo deve estar errado.

Os comentários estão encerrados.