Meditação diária de 21/09/2019 por Flávio Reti – Otto Fredrik Gedeon Sandback
21/09/2019
Indicação de literatura: “A Ciência Descobre Deus”
22/09/2019

Meditação diária de 22/09/2019 por Flávio Reti – Gerald Rudolph Ford Junior

22 de setembro

Salmos 66:7  “Ele governa eternamente pelo seu poder, os seus olhos estão sobre as nações, não se exaltem os rebeldes”

Gerald Rudolph Ford Junior

Conhecido apenas como Gerald Ford, ele foi o 38º presidente dos Estados Unidos da América, o único a ser vice presidente e presidente, dois mandatos portanto, sem nunca ter sido eleito pelo colégio eleitoral. Ele faleceu em 2006, com 93 anos de idade, sendo um dos presidentes mais longevos que já assumiram a Casa Branca, ficando atrás apenas de George Bush pai e Jimmy Carter. Os Estados Unidos tem um histórico manchado com assassinatos de alguns presidentes e tentativas de assassinato de outros.  Abraham Lincoln assassinado por John Wilkes Booth em 1865, James Garfield assassinado por Charles J. Guiteau em 1881, William McKinley assassinado por Leon F. Czolgosz em 1901, John Kennedy assassinado por Lee Harvey Oswald em 1963. Gerald Ford, por sua vez, sofreu duas tentativas de assassinato durante seu mandato na presidência e as duas num intervalo de três semanas entre elas e todas perpetradas por mulher. A primeira foi em Sacramento, na Califórnia, por Lynett Squeaky Fromme, uma seguidora do terrorista Charles Manson. Lynett Fromme foi levada a julgamento e condenada à prisão perpétua. O serviço de segurança começou a se preocupar mais com o presidente e a mantê-lo mais distante do público e isso evitou a segunda tentativa de assassiná-lo. Quando ele saía de um hotel na cidade de São Francisco, Sara Jane Moore, uma militante esquerdista, em plena rua e no meio da multidão, apontou o revólver. No momento exato do disparo, um ex-marinheiro agarrou a arma e desviou a trajetória da bala, mas acertou uma outra pessoa na multidão. Sara Moore também foi condenada à prisão perpétua, mas conseguiu reverter a pena depois de 32 anos de trancafiada. Carlos de Laet, um jornalista, professor e poeta brasileiro que morreu em 1927 disse em um poema seu que “toda a vida se tece de mil mortes” e quando a gente lê as biografias dos presidentes americanos podemos ver claramente que eles estão sempre sob a mira de algum atirador. Muitos deles realmente vinham tecendo a vida se esquivando de mil mortes. Aqui no Brasil também já tivemos três presidentes cujas mortes até hoje estão envoltas em mistérios. São eles Juscelino Kubitschek, João Goulart e Tancredo Neves. Juscelino morreu num acidente, mal explicado. A crítica diz ter sido premeditado, João Goulart a crítica diz ter sido envenenado e Tancredo Neves que morreu no dia da sua posse nunca chegou a assumir o governo, diz a crítica que também morreu envenenado. Todos os presidentes, tanto americanos como brasileiros, morreram em decorrência de algum complô político, interesses escusos nesses meandros sujos da política.

O próprio filho de Deus, Jesus Cristo, morreu numa rude cruz pelos nossos pecados porque um dia, lá no céu ainda, satanás quis ter nas suas mãos sujas o governo de Deus sobre o universo. Novamente a política! Satanás queria estar acima da mais alta posição, queria ter o governo do universo sob seu domínio e esse foi o motivo do mundo estar como está hoje. Mas Deus tem um plano muito bem tracejado para levar de volta o mundo à condição em que fora criado. A vida será restaurada, a terra será renovada, as pessoas serão perdoadas e santificadas, capacitadas para viver na eternidade e no céu. Tudo será esclarecido na volta de Jesus, o maior acontecimento que esse planeta vai contemplar, a culminância da nossa maior esperança, a salvação afinal.

Os comentários estão encerrados.