Comemoração 70 anos UNASP HT – 20 à 22/09/2019
20/09/2019
Meditação diária de 22/09/2019 por Flávio Reti – Gerald Rudolph Ford Junior
22/09/2019

Meditação diária de 21/09/2019 por Flávio Reti – Otto Fredrik Gedeon Sandback

21 de setembro

Salmos 98:1   “Cantai ao Senhor um cântico novo, porque ele tem feito maravilhas, a sua destra e o seu braço santo lhe alcançaram a vitória”

Otto Fredrik Gedeon Sandback

Esse nome causa estranheza porque raramente alguém já ouviu esse nome. Duvido que você desconfie antes de ler mais algumas linhas na frente. Seu nome completo é Otto Fredrik Gedeon Sundbäck. Mas ele entrou para a história de gente famosa por um pequeno feito. Foi um engenheiro sueco que morreu em 1954 nos estados Unidos. Filho de um fazendeiro que após seus estudos migrou para a Alemanha e depois para os Estados Unidos. Seu nome está eternizado no rol dos inventores pela simples invenção do “Zíper”. Isso mesmo, o zíper de fechar roupas e malas, esse mesmo que você deve ter aí nesse exato momento na sua calça ou na sua saia. A primeira grande guerra gerou desafios e invenções que mais tarde vieram a criar soluções úteis à sociedade. Até o século XIX as únicas maneiras de fechar uma roupa era com ganchos, botões, colchetes e fivelas e durante a guerra os soldados precisavam de alguma coisa mais rápida para fechar as roupas e as botas para se abrigar do frio.

A guerra forçou as pequenas invenções. Absorventes usados para curativos na guerra vieram a ser usado com outra finalidade. O relógio de pulso para os soldados sincronizar os horários de ataque, a salsicha vegetal, inventada pela falta de alimentos na Alemanha, o aço inoxidável que os militares acabaram descobrindo para fabricação de armas que não enferrujassem e uma série de outras pequenas invenções.

Tudo é muito maravilhoso, mas a maravilha maior é Deus ter dado aos homens essa capacidade inventiva. O homem é o único ser da criação dotado de raciocínio, que pode racionalizar, deduzir e concluir. Falamos de invenções e elogiamos os homens e os chamamos de gênios, como se o mérito fosse deles e nos esquecemos do criador, de Deus, que criou o próprio homem. Esquecemos que nossa capacidade vem de Deus. “Não que sejamos capazes, por nós, de pensar alguma coisa, como de nós mesmos, mas a nossa capacidade vem de Deus” (II Cor.3:5). Fico feliz quando consigo pegar alguma coisa, Deus fez as minhas mãos; fico feliz por poder andar ereto, Deus fez os meus pés; fico feliz quando levo um copo de água à boca, deus me fez de um modo articulado que não preciso lamber a água como um cão, nem pegar um gole e virar o pescoço para cima como fazem as galinhas; Fico feliz quando levo a mão a qualquer parte do meu corpo para me coçar, me lavar, porque Deus me fez bem articulado. Tudo que existe na natureza expressa ordem, beleza, exatidão, adaptação e pressupõe um planejamento inteligente. Observe as maravilhas da natureza: as flores de vários matizes, o perfume variado de cada uma, as aves, os insetos, a organização de uma colmeia, o milagre da reprodução vegetal e animal. Tudo me diz que Deus criou essas coisas. Por isso eu creio. Por acaso você sabia que era desígnio do tentador frustrar o plano de Deus de criar o homem? Sabia que era plano dele encher a terra de miséria e desolação para desmoralizar o criador? Então, saiba agora, que todo esse mal satanás atribuía a Deus como consequência dele haver criado o homem. Se você estranhou Gedeon Sandbäck criar o zíper, o que pensa de Deus criando o universo?

Os comentários estão encerrados.