Meditação diária de 20/05/2019 por Flávio Reti – Yonatan Netanyahu
20/05/2019
Meditação diária de 22/05/2019 por Flávio Reti – John Wycliffe
22/05/2019

Meditação diária de 21/05/2019 por Flávio Reti – Laszlo Toth

21 de maio

Colossenses 2:8  “Tende cuidado para que ninguém vos faça presa sua por meio de filosofias e vãs sutilezas segundo a tradição dos homens…”

Laszlo Toth

Lá um belo dia, esse húngaro de nome Laszlo Toth, que era formado em geologia, mas morador na Austrália, começou a dar sinais de insanidade mental. Como seu Inglês era deficiente e seu diploma não era válido na Austrália, ele foi trabalhar numa fábrica de sabão. Em junho de 1971 ele se mudou para a Itália e como também não sabia falar o Italiano e querendo ser reconhecido como o Cristo, ele passou a escrever várias cartas ameaçando de morte os funcionários do vaticano e enviou para o papa, na tentativa de ser recebido por ele, mas como se tratava de uma pessoa meio desajustada ninguém deu maior atenção. Um belo dia, quando a crise aumentou, exatamente quando ele completava 33 anos de idade, a mesma idade de Jesus quando morreu na cruz, ele viajou para a capital Roma levando consigo seu martelo de geólogo. Dirigiu-se à praça de São Padro, no Vaticano, e entrou no local onde estava a estátua Pietá, esculpida em mármore, pelo artista Michelangelo e começou a desferir golpes de martelo na estátua em meio aos visitantes que estavam passando pelo local. Pietá é uma escultura que retrata a virgem Maria sentada segurando no colo seu filho Jesus, recém retirado da cruz, segundo a tradição católica. Ao todo ele deus umas 50 marteladas e uma das mãos da estátua caiu ao chão esfacelada e os visitantes recolheram os pedaços e levaram como lembrança do fato, um talismã para alguns. Artistas reparadores tentaram refazer as partes danificadas, mas os pedaços levados pelos visitantes nunca mais foram recuperados. Alguns homens que assistiram ao atentado logo o agarraram e imobilizaram. Houve alguém que agrediu Toth várias vezes antes de colocá-lo no chão. Ele ficou dois anos preso na Itália e depois foi deportado para a Austrália que não quis ficar com ele por lá e mandaram de volta para seu país, a Hungria.

Esse foi apenas mais um débil mental querendo se passar por Jesus Cristo. Muitos e em vários lugares do mundo têm havido desajustados, líderes religiosos, políticos que reclamam a honra de ser o Cristo que voltou, que reencarnou, que desceu do céu nesses últimos dias. Aqui mesmo no Brasil temos o Inri Cristo, um gaúcho atualmente morando em Brasília que vive cercado de suas inriquietes que afirma categoricamente que é o Cristo, “enviado pelo pai”, diz ele com um sotaque estranho. Mas não é para se admirar, porque o próprio Jesus nos advertiu que nos últimos dias muitos viriam em seu nome, dizendo ser o Cristo e enganando a muitos. Quando Cristo vier, ele virá com a glória de seu pai e se manifestará nas nuvens do céu, sem tocar a terra e todo olho o verá simultaneamente. Ninguém precisará se deixar ludibriar pelo engano, porque, segundo disse Jesus, o próprio satanás se apresentará como anjo de luz.

Os comentários estão encerrados.