Meditação diária de 20/04/2017 por Flávio Reti
20/04/2017
Meditação diária de 22/04/2017 por Flávio Reti
22/04/2017

Meditação diária de 21/04/2017 por Flávio Reti

Dia de Tiradentes

21 de Abril

“E vi que a mulher estava embriagada com o sangue dos santos e com o sangue dos mártires de Jesus. Quando a vi, maravilhei- me com grande admiração” Apocalipse 17:6

Um pouco da história de Tiradentes é propaganda. Era um dentista, militar (alferes era um militar na época), e entusiasta da Independência do Brasil. A massa precisava de um mártir para fazer dele um ícone em torno do qual influenciar o movimento de libertação, um herói nacional. Toda sociedade precisa criar seus heróis para influenciar os demais.

A data coincide com as ideias iluministas que se alastravam pela Europa na segunda metade do século XVIII. Todos os inconfidentes faziam parte de uma elite cultural, fato é que havia poetas entre eles (Tomás António Gonzaga), ou alguns que ocupavam cargos militares. As ideias de independência por aqui eram as mesmas que promoviam a revolução francesa em 1798. A cobrança de impostos, a famosa derrama, era apenas um pretexto para disparar o movimento de

libertação. Eles estavam bem articulados e a Independência sairia, se não fosse desarticulada por um delator, um traidor, um dos maiores devedores que acreditava que delatando se livraria das dívidas. Resultado: Os inconfidentes foram presos, banidos do país e o líder foi enforcado no rio de janeiro ao som de discursos que elogiavam a política da rainha Dona Maria, cognominada “A Louca”.

Tiradentes, de início considerado um rebelde, traidor, após a independência foi elevado a herói nacional, como um mártir que lutou pala causa da liberdade. O pintor Pedro Américo pintou Tiradentes sendo enforcado e esquartejado assemelhando o martírio de Tiradentes com o martírio de Cristo.

Temos na bíblia um caso semelhante, mas ao inverso. Estevão, um dos diáconos junto aos apóstolos que sendo um eloquente pregador da causa do evangelho, um grande exemplo de obediência e piedade, acabou sendo rotulado de traidor e de amotinador, alguém que falava contra a soberania do povo judeu e defendia Cristo em lugar de Cesar. Sem qualquer julgamento, ele foi apedrejado e morto. Veja como são as coisas. Tiradentes, de traidor a herói nacional. Estevão de herói do evangelho a traidor da pátria.

Assim são as coisas deste mundo, às avessas ao que Deus pensou para seus filhos. Quando Deus disse a Adão e Eva que se pecassem morreriam, satanás disse que certamente não morreriam. Quando o profeta Jeremias anunciou o cativeiro dizendo que se não se convertessem certamente iriam para o cativeiro de Babilônia, aparece um tal Hananias pregando que dentro de dois anos quebraria o jugo de Babilônia, mas não foi isso que aconteceu.

Faz parte da ideologia de satanás contrariar os planos de Deus. Por várias vezes ele tentou destruir o próprio Cristo, ou na pior das hipóteses, leva-lo a desistir da cruz. Talvez hoje você tenha definido no seu coração que será fiel até o fim e que nada o demoverá de seguir a Cristo. Exatamente nesse ponto é que satanás pode aparecer tentado reverter sua decisão para fazer exatamente o contrário do seu voto. Olha para a história de tantos que mudaram seu objetivo depois que algum contratempo insignificante lhe sobreveio no caminho. Na história da nossa igreja temos Kellogg, um médico influente que deixou as fileiras dos seguidores de Cristo simplesmente

porque queria se apoderar do sanatório de Battle Greek. Visitei o seu túmulo e ao estar ali pensando na história dele e de seu relacionamento com Ellen White, me veio à mente o seguinte: Aqui jaz alguém que morreu longe de Cristo”, que pena, que desastre que poderia ser evitado. A vida ensina, meu amigo, mas ensina de modo amargo. “Satanás tem uma grande confederação, que é sua igreja. Cristo a denomina sinagoga de Satanás, porque seus membros são filhos do pecado. Os membros da igreja de Satanás têm estado sempre a trabalhar para inutilizar a lei divina e estabelecer confusão entre o bem e o mal. Satanás trabalha com grande poder nos filhos da desobediência, e por meio deles, a fim de exaltar a traição e a apostasia como se fossem verdade e lealdade. E, na presente época, o poder de sua inspiração satânica está movimentando as forças vivas para promover a grande rebelião contra Deus, iniciada no Céu” (A Igreja Remanescente, p.12).

Os comentários estão encerrados.