Utilidade Pública: Doação de Sangue dia 21/09/2019
19/09/2019
Comentários da Lição 12 (3o Trim/2019) por Pastoral UNASP-HT
20/09/2019

Meditação diária de 20/09/2019 por Flávio Reti – Juscelino Kubitschek de Oliveira

20 de setembro

Zacarias 4:10  “Ora, quem despreza o dia das coisas pequenas?”

Juscelino Kubitschek de Oliveira

 Juscelino não foi apenas presidente do Brasil, ele foi médico do exército porque também era militar, formado pela Universidade Federal de Minas Gerais, especializado em urologia em Paris. Ele tentou a política como deputado federal, mas foi cassado com o advento do Estado Novo, o regime político instaurado por Getúlio Vargas, e voltou a exercer a profissão de médico em Belo Horizonte até se candidatar a prefeito pela cidade de Governador Valadares e depois a governador do Estado de Minas. Em 1954 ele se lançou candidato à presidência da República com o slogan “50 anos em 5”. Como presidente eleito ele se encarregou de construir Brasília como a nova capital do país, um projeto para alavancar o desenvolvimento do interior e a integração do país porque a população se concentrava na costa leste do Brasil e o interior era quase despopulado, inóspito. Ele também trouxe para o Brasil a primeira fábrica de automóveis, a Volkswagen vindo da Alemanha. Durante seu governo o país viveu um relativo desenvolvimento econômico interno, mas sentiu também um aumento da dívida pública com aumento da inflação. Nos seus dias não havia ainda a reeleição e ele foi sucedido pelo Sr. Jânio da Silva Quadros, um professor de Língua Portuguesa. Em agosto de 1976 Juscelino faleceu num acidente de carro na via Dutra, quando fazia o trajeto Rio – São Paulo, acidente este até hoje inexplicável. Mas JK passou para a história do Brasil como o pai do Brasil moderno e tido até hoje como um bom presidente. A casa onde ele nasceu, um casarão estilo colonial, ainda hoje se mantém na cidade de Diamantina e é usada como um museu. Seu pai foi um caixeiro viajante, que aqui em São Paulo era denominado de mascate, que chegou a ser delegado de polícia. Seu pai, João César de Oliveira, contraiu tuberculose e para não contaminar a família foi morar noutra casa isolada, mas logo faleceu e a única renda da família passou a ser o salário da mãe, Julia Kubitschek, que era uma professora primária de origem checa e que tinha um casal de filhos, a Maria da Conceição, apelidada de Naná e o Juscelino, apelidado de Nonô. Quando Juscelino, o Nonô, era menino, ele perdeu um dedinho do pé direito e nunca mais conseguiu fazer longas caminhas, mas serviu de estímulo, por causa do médico que o atendeu, que conseguiu plantar nele o desejo de ser também médico.

Aqui eu destacaria a influência das pequenas coisas na vida. A perda de um dedinho mínimo no pé serviu de estímulo para Juscelino Kubitschek ser médico e depois presidente do Brasil. Digo isso porque muitas vezes subestimamos nossas pequenas ações e nem sequer reconhecemos que tudo que fazemos na vida tem consequências, para o bem ou para o mal e, às vezes, consequências eternas. Nunca devemos menosprezar as pequenas coisas, os pequenos favores, as pequenas ações. Jesus comparou a grandiosidade do reino dos céus a um minúsculo grão da mostarda (Mat.13:31) que pode crescer dentro de nós e nos fazer ter uma visão celestial mais completa. Noutra ocasião o apóstolo Tiago comparou a língua, um pequeno órgão, com uma pequena chama capaz de um grande incêndio. As coisas pequenas têm sua importância, logo, cuide das suas ações, das suas palavras, dos seus atos, porque eles podem exercer grande influência inesperada.

Os comentários estão encerrados.