Comentários da Lição 8 (1o Trim/2017) por Ligado na Videira
18/02/2017
Meditação diária de 20/02/2017 por Flávio Reti
20/02/2017

Meditação diária de 19/02/2017 por Flávio Reti

Dia do Esporte e do Esportista

“E a mão do Senhor estava sobre Elias, o qual cingiu os lombos e veio correndo perante Acabe, até a entrada de Jesreel” I Reis 18:46

Muitos são os esportistas que se destacam no mundo dos esportes. São centenas deles e me veio à mente o corredor Usain Bolt, cujo sobrenome significa raio, em Inglês, sua língua materna. Ele gosta de se colocar na posição de um atirador com arco e demonstrar com isso seu nome Bolt (raio). Campeão de medalhas em corridas de cem metros. Bolt foi criado num lar adventista e sua mãe ainda é fiel membro da igreja, na Jamaica. Mas ele preferiu correr para longe de Deus. Uma das frases de Bolt: “Quando estou na academia, penso em mulheres, ir à praia e me divertir. Faço isso pelas garotas”. É um grande esportista, sem dúvida, colecionador de medalhas, com um patrocínio de vinte milhões de dólares em 2016, mas… só Jesus sabe.

Correr é apenas um dos esportes mais populares e correr qualquer um pode correr, até as crianças gostam de correr. Houve um menino conhecido pelo nome de David que, como todos os demais, gostava de correr pelos campos da cidade de Abilene, nos Estados Unidos. Certo dia ele se sentiu mal com uma dor numa das pernas. Levado ao médico ele ouviu a trágica sentença: “Temos que amputar-lhe uma das pernas”. Ele se arrepiou de medo porque sem uma das pernas sua infância estaria comprometida, nunca mais correr, subir nas árvores, brincar de pega-pega e outras coisas próprias dos meninos sapecas. Ele chamou seu irmão Edgar e pediu: Não me deixem cortar a perna, prometa. Durante três dias Edgar dormiu sentado à porta do quarto do irmão David para evitar que alguém viesse buscá-lo para cortar a perna. Foram dias de oração intensa pela família.

Nos cultos familiares, dos dias que se seguiram, o pai, a mãe e outros cinco irmãos se ajoelhavam e oravam pelo pequeno David. Deus ouviu as orações e o garoto David logo estava curado. O

pequeno David cujo nascimento se deu no dia 17 de Fevereiro cresceu normalmente e se tornou um grande general das forças armadas e mais tarde veio a ser um dos presidentes dos Estados Unidos, Dwight David Eisenhower. Quem visita hoje a cidade de Abilene, no Estado do Kansas, ainda pode ver lá a casa original de Eisenhower, a capela onde repousam seus restos mortais, e uma grande biblioteca que leva seu nome. Ele nunca foi um esportista, mas gostava de correr quando criança.

Hoje o que correu foi o tempo, mas ficou a lição de que a oração ainda traz poder àquele que

ora porque Deus ainda continua atento às orações de pessoas sinceras.

Nunca devemos hesitar em ir a ele com sinceridade de coração, porque ele nos ouvirá e sempre fará o que for melhor. “O Salvador deseja que animemos os enfermos, os desesperançados, os aflitos a apegarem-se a Sua força. Mediante a fé e a oração, o quarto do doente pode se transformar numa Betel. Por palavras e atos, os médicos e as enfermeiras podem dizer, tão positivamente que não possa ser mal compreendido: “Deus está neste lugar” para salvar, e não

para destruir. Cristo deseja manifestar Sua presença no quarto do doente, enchendo o coração dos médicos e enfermeiros com a doçura de Seu amor. Se a vida dos assistentes do enfermo é de maneira a Jesus os poder acompanhar ao leito dele, ao mesmo sobrevirá a convicção de que o

compassivo Salvador está presente, e essa convicção por si só fará muito em benefício tanto de sua alma como do corpo” (CBV, p.226). Orai sem cessar é o conselho do apóstolo (II Tes.5:17).

Os comentários estão encerrados.