Meditação diária de 17/06/2019 por Flávio Reti – Arjumand Bano Begum
17/06/2019
Meditação diária de 19/06/2019 por Flávio Reti – Ahmed Salman Rushdie
19/06/2019

Meditação diária de 18/06/2019 por Flávio Reti – Saloth Sar

18 de junho

Mateus 24:14  “E esse evangelho do reino será pregado em todo o mundo para testemunho a todas as nações e, então, virá o fim”

Saloth Sar

Ele tinha mais dois outros nomes pelos quais era conhecido, Minh Hai ou Pol Pot. Quem foi? Foi um louco, revolucionário comunista que governou o Camboja e era o líder do partido chamado de Khmer Vermelho e ficou conhecido por ser o responsável da maior matança de conterrâneos, o genocídio cambodjano. Seu regime só caiu depois que o Vietnã interveio num movimento armado e o depôs em 1979, bem recente este fato. Ele era de família rica, estudou na França, e se juntou a um grupo de jovens estudantes cambodjanos que se opunham ao rei Norodom Sihanouk, mas eles não precisavam disso e com isso perderam a bolsa de estudo e Pol Pot voltou ao Cambodja sem terminar os estudos. Foi aí que ele se afiliou a um partido comunista de nome Kmer Vermelho, que seria o partido dos trabalhadores rurais, mudou seu nome para Pol Pot, e chegou a ser o líder do partido. A inquietação no Cambodja era contra a dominação do Vietnã sobre seu partido, nem era contra o Cambodja em si. Com apoio da China, o Kmer Vermelho derrubou o rei Norodom e Phnom Penh foi tomada pelos comunistas que assumiram o poder e mudaram o nome do país para Kampuchea. Mas o Vietnâ invadiu o Cambodja e destruiu o Kmer Vermelho, mesmo assim Pol Pot continuou na resistência até que suas tropas começaram a desertar, foi aí, então, que Pol Pot mandou matar seu braço direito e mais onze membros da sua própria família, supondo que eles estariam fazendo acordo com o Vietnã. Mas Pol Pot foi preso e sentenciado a prisão perpétua, amarrado a uma coluna. Numa tentativa de evasão, Pol Pot morreu de ataque cardíaco.

Hoje, no Cambodja, ainda se pode ver milhares de crânios humanos amontoados em vários montes como prova de morte por terrem se oposto ao regime de Pol Pot. Para os historiadores ele foi um monstro, um louco, contra seu próprio povo e não levou a nada porque o regime que ele queria impor não chegou a se concretizar, deixando apenas destruição de vidas inclusive seus parentes mais próximos, um absurdo!

E assim é neste mudo, mata-se por motivos fúteis, por uma ideologia nem sempre a melhor. Os primeiros a morrerem nesses casos são da população mais inculta, mais pobre, menos esclarecidas, enquanto os líderes se protegem de muitas maneiras. Quão diferente o propósito de nosso Deus que quer salvar a todos, tantos quantos aceitarem sua proposta de amor, de compreensão, de trabalho pelos demais, aqueles mesmos incultos, pobres que não têm como se proteger. Por isso o reino de Deus está aberto, para receber a todos, por mais incultos ou ignorantes que se sejam, porque o evangelho tem o poder de transformar as pessoas. Paulo estava cheio de razão quando exclamou: “Eu não me envergonho do evangelho de Cristo, porque é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê, primeiramente do judeu e também do grego” (Rom. 1:16). Quem sabe se esse grego, referido por Paulo, não pode ser eu, ou você que estamos sendo alcançados pelo evangelho?

Os comentários estão encerrados.