Meditação diária de 15/03/2017 por Flávio Reti
15/03/2017
Meditação diária de 17/03/2017 por Flávio Reti
17/03/2017

Meditação diária de 16/03/2017 por Flávio Reti

Dia do Ouvidor

“Congregai o povo, homens, mulheres e os pequeninos e os estrangeiros que estão dentro das vossas portas, para que ouçam e aprendam e temam ao Senhor, vosso Deus, e tenham cuidado de cumprir todas as palavras desta lei” Deuteronômio 31:12

Quando ainda jovem, juntamente com outros da mesma idade, decidimos trabalhar para uma empresa que estava desmatando uma grande área para a plantação de pinus. Levantávamos às quatro horas da manhã e íamos a pé até o local de trabalho, numa distância de uns oito quilômetros. Normal para quem estava acostumado com a vida do interior. Éramos de família pobre, precisávamos trabalhar desde cedo. Era inverno e um dos nossos amigos que sempre ia

junto morava na última casa da rua. Íamos formando o grupo e passando pelas casas chamando os companheiros. Logo éramos um grupo de seis jovens caminhando com uma foice nas costas e um embornal com uma marmita de comida pendurado no ombro. Certo dia batemos na última casa, chamando o último colega e ele não respondia. Insistimos duas ou três vezes, até que por fim ele ouviu. Nós, aqui de fora, num frio tremendo, gritamos: “Vamos rapaz, o que está fazendo que não ouve! Ao que ele respondeu: Estou esquentando minha roupa. Mas esquentando como, gritamos aqui de fora. E ele novamente respondeu: Deitado em cima dela.

Ele bem que estava ouvindo chamar, mas não respondia porque estava deitado em cima da roupa de trabalho, com medo do frio e se negando a responder fingindo não estar ouvindo.

Dizem que ouvir é uma arte. Só não ouve quem não quer ouvir. Lendo sobre o apedrejamento de Estêvão, um dos diáconos entre os apóstolos, descobri que ele era cheio do Espírito Santo e no momento do apedrejamento, ele olhou firmemente para o céu e viu a glória de Deus e Jesus em pé à direita de Deus. E ele contou o que estava vendo aos seus algozes. Eles, gritavam com grande voz, para abafar as palavras de Estêvão e fizeram mais, taparam os ouvidos para não ouvir mesmo, e arremessaram contra ele, arrastando-o para ser apedrejado fora da cidade (At.7:54 – 60).

“Os justos clamam e o Senhor os ouve (Sal.34:17). Eles não queriam ouvir a voz de Estêvão, mas Deus estava ouvindo, a despeito da gritaria deles.

Às vezes nos parece que também clamamos e Deus não nos ouve. O Senhor só não ouvirá se tivermos guardado a iniquidade no coração. Davi sentiu isso e assim se expressou: “Se eu tivesse guardado a iniquidade no meu coração, o Senhor não me teria ouvido. Mas na verdade, Deus me ouviu e tem atendido a voz da minha oração” (Sal.66:18, 19)

Até os surdos conseguem ouvir através das mãos, num processo chamado LIBRAS, uma linguagem especial para surdos. Então, por que nós com ouvidos perfeitos nos negamos a ouvir? Será que somos nós os néscios? Os tolos que pagamos para não ouvir. “Eis que vem dias, diz o Senhor, em que enviarei fome sobre a terra, não fome de pão nem sede de água, mas de ouvir a palavras do Senhor” (Am.8:11).

Hoje é o dia da aceitação. “Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração” (Heb.3:7, 8).

Durante o ministério de Jesus, a bíblia é clara quanto a isso, multidões vinham para ouvi-lo porque já haviam ouvido de sua fama. Todos queriam ver de perto o homem de Nazaré que falava como nunca ninguém falou, que ensinava como nenhum Rabi jamais ensinou e fazia milagres nunca dantes vistos entre eles. Mas ouvir é diferente de escutar. Escutavam por um ouvido e deixavam escapar pelo outro. Enquanto estou escrevendo, estou escutando os carros passando lá na rua, mas não estou dando atenção para nenhum deles. Mas quando minha esposa me chama para almoçar, ela diz: Você está me ouvindo? Se eu respondo “sim”, ela acrescenta “então venha para o almoço”. Ouvir é dar atenção, levar em conta. Escutar é perceber e deixar pra lá. Hoje é dia do ouvidor, mas você está ouvindo ou apenas escutando?

Os comentários estão encerrados.