Novo Encontro (15/09/2019 às 20h00)
14/09/2019
Seven Bikers no Programa Vida e Saúde
15/09/2019

Meditação diária de 15/09/2019 por Flávio Reti – Alexander Fleming

15 de setembro

Lucas 6:31  “Assim como quereis que os homens vos façam, do mesmo modo lhes fazei vós também”

Alexander Fleming

Aqui temos um cidadão escocês, nascido em agosto de 1881, que foi médico, biólogo, botânico, microbiologista e farmacologista. Seu interesse maior estava em bacteriologia, imunologia e quimioterapia sobre o que escreveu variados trabalhos e se notabilizou descobrindo a penicilina e uma enzima antimicrobiana chamada lisozima. Pelas suas descobertas e pelos seus trabalhos, ele foi laureado com o prêmio Nobel de Fisiologia e Medicina em 1945. Suas pesquisas, assim que se formou, se concentraram em substâncias bactericidas que não fossem tóxicas ao ser humano. Trabalhou pacientemente como médico até o início da I guerra mundial, mas durante a guerra ele foi convocado e serviu na frente de batalha na França e voltou impressionado com o grande número de soldados que morriam com gangrena motivada pelas feridas causadas pelas armas de fogo. Sua atenção se voltou a buscar intensamente um antisséptico que evitasse o sofrimento advindo das infecções adquiridas na guerra. Por acaso, sua primeira descoberta ocorreu quando, depois de um espirro, o muco do seu nariz caiu sobre uma lâmina onde cultivava colônias de bactérias. Dias mais tarde observou que as bactérias haviam morrido no local onde caiu o muco nazal. Semelhantemente, ele descobriu a penicilina e suas propriedades antibióticas observando uma cultura desenvolvendo mofo ao seu redor e elas no meio circulando livremente. Fleming começou trabalhando com o fungo, mas para se obter a penicilina desse cultivo era preciso purificar através de químicos e a comunidade científica achava que penicilina era alguma coisa banal que só serviria para pequenas e leves infecções e por isso não demonstrou muito interesse. Mas a descoberta de Fleming despertou o interesse dos americanos que queriam fazer igual aos alemães que dispunham das sulfas durante a guerra. Só foi quando se descobriu um meio de purificação da penicilina que sua síntese foi possível e também a distribuição comercial para toda a população e não apenas para soldados feridos. Fleming não quis patentear sua descoberta, porque preferiu que ela fosse disponibilizada para a população que vinha sofrendo a falta de um fármaco que curasse as muitas infecções que afligiam a população. Nas entrelinhas podemos perceber a grandeza de alma do grande pesquisador Fleming ao concluir suas experiências, depois de alguns anos de trabalho, e não querer patentear para que ficasse disponível a qualquer um que dela precisasse. São poucas pessoas que demonstram esse gesto de magnanimidade, espírito aberto e desinteressado de ganho pessoal, preferindo o bem coletivo a um seu sucesso particular. Isso não lembra a você o comportamento de Cristo? Quantas vezes Jesus não se privou de oportunidades e privilégios para atender alguém sofredor. Lembra quando Jesus multiplicou os pães e os peixes? Tanto ele como seus discípulos estavam com fome, mas ele fez primeiro a multidão se sentar na relva, serviu-a de pães e peixes quanto quiseram e se fartaram até sobejar. Altruísmo, grandeza de alma, desprendimento, empatia são qualidades que estão cada dia mais rareando entre nós. Os que estão se preparando para o céu precisam ter em mente que seu maior bem é o serviço abnegado prestado aos necessitados que encontramos pelos caminhos da vida. No céu um anjo relator anota nos livros de registro celestial cada ato de bondade realizado. Você ajudou alguém hoje? Já fez alguma coisa boa para um semelhante seu? O que foi que o anjo escreveu a seu respeito nesse dia?

Os comentários estão encerrados.