Meditação de Pôr do Sol 14/06/2019 por Edilei Rodrigues de Lames
14/06/2019
Novo Encontro – 16/06/2019 com Ana Kelly Ribeiro
15/06/2019

Meditação diária de 15/06/2019 por Flávio Reti – João de Lourenço de Médici

15 de junho

Lucas 8:17  “Porque não há coisa encoberta que não haja de manifestar-se, nem coisa secreta que não haja de saber-se e vir à luz”

João de Lourenço de Médici

Como ele nasceu na Itália, seu nome de registro foi Giovanni di Lorenzo di Medici que veio a ser o papa em ofício quando apareceu na Europa a Reforma Protestante. Ele, o papa, tomou posse em 1513 e morreu em 1521 e a Reforma surgiu com Lutero em 1917, portanto foi ele quem teve de enfrentar a situação criada pela Reforma iniciada com Martinho Lutero, ao pregar no castelo de Wittenberg as 95 teses dizendo porque não concordava com os dogmas de Roma. Como papa, ele se autodenominou Para Leão X e foi, na história dos papas, o único que não era e nunca chegou a ser sacerdote. Nos seus dias foi realizado o famoso 5º concílio de Latrão. Esse tal papa, Leão X, não teve sossego como papa, ele foi fustigado de todos os lados, especialmente com a surgimento da Reforma. Mas Lutero foi até gentil com ele, porque mandou para Leão X uma explicação da sua postura e como isso não resolveu, Lutero foi intimado a comparecer em Roma, mas Lutero não foi, antes foi para Augsburgo para se explicar a um cardeal, mas ninguém, nem bula papal, fez Lutero voltar atrás. Foi um ano de vai e vem de mensagens papais e de Lutero, e com isso deu tempo da Reforma se alastrar na Europa, porque já era plano de Deus. Foi esse Leão X quem excomungou Lutero em 1521. Ele se apresentava assim tão bravo, tão defensor da fé, mas os historiadores sugerem que ele era um tremendo homossexual e provam isso com cartas trocadas entre ele e um historiador e estadista italiano de nome Francesco Guicciardini afirmando que um tal conde Ludovico Rangone e outro tal de Galeotto Malatesta eram seus amantes, com certeza. Como ele se tornou papa, diz a história que dizia para seu irmão: “Desde que Deus nos fez papa, vamos desfrutar disso”. Outros sustentavam que esse papa era ateu, outros ainda diziam que ele era apaixonado por um nobre de Veneza. Seja lá o que for, se era ou não homossexual, se era de fato ateu, se usava o papado para se divertir com seu irmão, isso tudo demonstra ausência de seriedade para o cargo que ocupava, era no mínimo leviano com a igreja que o constituiu papa e assim decepcionava os seus irmãos de fé.

Esse é o comportamento que não deveria, jamais, existir na vida de um crente sincero. É bom ler essas coisas para sabermos evitar tais coisas. Por oculto que possa parecer, nossos atos não ficaram escondidos para sempre, um dia tudo virá à luz, se não agora, na vinda de Jesus, mas pode estar certo de que tudo está sendo anotado nos livros do céu e não é sem motivo. Deus sabe muito bem o que está fazendo e o que vai fazer com estas anotações. Por isso, muito cuidado com suas ações achando que ninguém vê, porque, como diz o hino (n.500 no hinário Adventista), Deus sabe, Deus ouve, Deus vê.

Os comentários estão encerrados.