Meditação de Pôr do Sol 13/09/2019 por José Justino da Silva Filho
13/09/2019
Novo Encontro (15/09/2019 às 20h00)
14/09/2019

Meditação diária de 14/09/2019 por Flávio Reti – Norma Jeane Mortenson

14 de setembro

I Samuel 2:24  “Não, filhos meus, não é boa fama esta que ouço, fazeis transgredir os filhos de Deus”

Norma Jeane Mortenson

Marilyn Monroe era seu nome de guerra no cinema e nos palcos da vida. Nascida em Los Angeles, profissionalmente era uma atriz e modelo que eventualmente veio a ser a estrela de Hollywood e considerada um dos maiores símbolos sexuais do século. Todo as a imortalizavam pelos cabelos loiros volumosos e pelo seu corpo estrutural, voluptuoso. Sua passagem pelo cinema levou a uma arrecadação de mais de 200 milhões de dólares até a sua morte, que foi algo inesperado e até hoje mal explicado. Já faz mais de 50 anos que ela morreu (1962) e ainda continua sendo considerada um ícone da cultura popular americana. Foi no seu começo de atividade no palco que cunharam o título “loira burra” até hoje usado jocosamente. Seu início de vida foi de uma órfã que passou boa parte de sua infância em orfanatos e em lares adotivos e acabou se casando a primeira vez com 16 anos. Durante a guerra, em 1944, ela trabalhava numa fábrica de drones para o exército quando conheceu um fotógrafo e iniciou uma carreira como modelo. De lá para as telas foi um pulinho e já fechou contratos com as grandes produtoras de filmes (20th Century Fox, Colúmbia Pictures). Criaram em torno dela um escândalo ao propagarem que ela havia pousado nua para fotos antes de ser atriz e isso aumentou o interesse do público para ver os seus filmes, foi mais uma jogada de marketing dos produtores. Sua vida particular, que diziam ser conturbada, despertava interesse dos fãs, ainda mais porque diziam que ela lutava contra o vício, sofria de depressão e de ansiedade. Teve dois casamentos com homens da mídia e ambos acabaram em divórcio. Ela mesma causou discussão nos meios cinematográficos por que chegou a ser amante do presidente John F. Kennedy. Com apenas 36 anos ela foi encontrada morta, a princípio por causa de uma overdose de barbitúricos, mas pelo envolvimento com o presidente especula-se que sua morte tenha sido um possível homicídio. Há um livro denominado THE GUIDE TO UNITED STATES POPULAR CULTURE que descreve Marilyn Monroe como sem rival em popularidade, mais popular do que Elvis Presley e Mickey Mouse e ela é chamada de a sexta maior lenda da história do cinema americano. Centenas de livros já foram escritos tentando contar a saga de Marilyn Monroe, cada um tenta acrescentar alguma coisa a sua biografia, ainda mais porque o mercado sabe até hoje como tirar proveito da valiosa imagem comercial atrelada a centenas de produtos e ela continua sendo item de publicidade para grandes marcas e grandes empresas de marketing.

Consegue você abstrair desse pequeno relato o que é fama? Tudo que você leu de Marilyn Monroe se resume a fama de seus projetos, de sua carreira, de seu nome, de sua beleza, de seus filmes e por aí vai, mas a pergunta que ressalta aos olhos é sempre a mesma: De que lhe valeu a fama, essa ascendência rápida na mídia, esse nome idolatrado pelos homens, aquele corpo estrutural? Hoje seus “restos” repousam no Westwood Village Memorial Park Cemetery e se quiser ter uma ideia de quem ela era, visite o Museu de Cera Madam Tusseau. A vida dela se resumiu nisso, agora pergunte-se: E a minha vida, em que se resume? Tenho eu alguma perspectiva de vida futura? Oportunidade todos têm, mas é necessário se valer dela e saber viver a vida com os olhos na realidade da vida eterna.

Os comentários estão encerrados.