Vigília Chutando o balde
11/06/2019
Meditação diária de 13/06/2019 por Flávio Reti – Juan María Bordaberry Arocena
13/06/2019

Meditação diária de 12/06/2019 por Flávio Reti – Annelies Marie Frank

12 de junho

Colossenses 2:8  “Tende cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vâs sutilezas segundo a tradição dos homens e não segundo Cristo”

Annelies Marie Frank

Apenas mais uma adolescente alemã eliminada no holocausto da Alemanha. Acontece que ela deixou um diário escrito que vem servindo de base para reconstituir a triste história do holocausto na construção de filmes, peças teatrais desde que tudo aconteceu. Ela nasceu em Amsterdã e sua fama surgiu depois de sua morte com achados de alguns documentos seus relatando as experiências vividas num quarto oculto durante a II guerra mundial. Assim que os nazistas assumiram o poder já começaram a aparecer perseguição antissemitas e os pais de Annelies se mudaram da Alemanha para Amsterdã, mas os nazistas chegaram lá e a população judaica foi perseguida lá também. Para evitar a prisão, a família decidiu se esconder em aposentos secretos de um prédio comercial, mas alguém os traiu e a família inteira foi mandada para campos de concentração depois de dois anos escondida. Anne (esse era seu apelido) e sua irmã morreram de tifo sem qualquer anotação de causa. Quando a guerra terminou, o único sobrevivente foi seu pai, o Sr. Otto Frank e ao voltar para Amsterdã ele ficou sabendo do diário da filha salvo pela pessoa que os ajudara a se esconder no edifício. Com muita obstinação e dificuldade, o pai conseguiu que publicassem o diário e ele tem sido muito traduzido pelo mundo afora. Dele foi feito um filme, THE DIARY OF ANNE FRANK (O diário de Anne Frank), mas isso só em 1960, 15 anos depois do final da guerra. Um museu foi fundado com seu nome, e no museu de Madame Tussauds foi inaugurada uma estátua de cera com a pessoa de Anne Frank. Quando Otto Frank deixou a Alemanha se mudando para Amsterdã, mais de 300.000 judeus fizeram o mesmo, era a movimentação de Hitler ganhando corpo na Alemanha, entre os anos 1933 a 1939 e a maioria deles foi para Amsterdã, nos países chamados baixos. Mas os nazistas chegaram lá e logo forçou os filhos de judeus estudar só em escolas judaicas e ao mesmo tempo expropriando as empresas de judeus. Apesar de ser ainda adolescente, Anne já sabia o que queria da vida, e você percebe isso num parágrafo que ela escreveu no seu diário: “Eu quero ser útil ou trazer diversão para todas as pessoas, mesmo aqueles que eu nunca conheci. Eu quero continuar vivendo mesmo depois da minha morte! E é por isso que eu sou tão grata a Deus por ter me dado este presente que eu posso usar para me desenvolver e expressar tudo o que está dentro de mim”. O presente a que ela se referia era a capacidade de escrever.

Bem, você leu sobre a sinceridade de uma adolescente, um objetivo despretensioso ao escrever seu diário e quanta utilidade não resultou da sua iniciativa. Isso me faz lembrar das coisas que fazemos, muitas vezes também sem qualquer intenção, mas que podem ter consequências inusitadas. Logo, é de bom alvitre que cuidemos criteriosamente de tudo que fazemos, porque não sabemos o que virá como consequências das nossas ações. Uma coisa sabemos: Um anjo no céu anota tudo que fazemos de bom ou de mau e lá fica registrado nosso comportamento de vida com o qual vamos nos defrontar um dia, por isso cuidado!

Os comentários estão encerrados.