Meditação diária de 11/05/2019 por Flávio Reti – Robert Nesta Marley
11/05/2019
Feliz Dia das Mães 2019
12/05/2019

Meditação diária de 12/05/2019 por Flávio Reti – Florence Nightingale

12 de maio

Provérbios 17:5  “O que escarnece do pobre insulta aquele que o criou”

Florence Nightingale

Se você já assistiu a alguma formatura de cursos de enfermagem, deve ter notado que na entrada dos formandos sempre vai à frente uma enfermeira carregando uma lamparina fazendo uma reminiscência à Dama da Lâmpada, Florence Nightingale, a enfermeira que ficou famosa por atender aos pacientes feridos de guerra durante a noite se valendo de uma lamparina. Florence era britânica e na sua mente Deus a havia chamado para ser um anjo dos feridos da guerra da Crimeia. Mas o que fez de Florence uma referência foi ela ter lançado as bases da profissionalização da enfermagem, aplicando suas pesquisas, sua organização, seus métodos na sua própria escola de enfermagem em um hospital de Londres e que sem perceber era a primeira escola particular de enfermagem no mundo. Hoje o juramento que os novos profissionais em enfermagem fazem inclui uma homenagem a Florence Nightingale e um dia em sua homenagem foi reservado no calendário, o dia 12 de maio que vem sendo comemorado desde 1820 como o dia do enfermeiro (ou da enfermeira), que por sinal era o dia de seu aniversário. Nos seus dias, todo trabalho de enfermaria era exercido por mulheres que trabalhavam em hospitais ou acompanhavam os exércitos nas guerras e para mudar de vida, muitas cozinheiras ou até prostitutas se metiam na enfermagem para acompanhar os exércitos. Florence levantou a discussão sobre o papel das mulheres na enfermagem e sobre o tratamento que era oferecido aos pobres e indigentes, isso a partir da morte de um mendigo em uma enfermaria de um hospital de Londres e tal foi sua indignação que o caso acabou ganhando proporções nacionais se transformando em um escândalo no tratamento médico oferecido e ela obteve o apoio de autoridades até conseguir uma reforma nas leis acerca dos pobres, obrigando o Estado a ir além de tratamento médico aos necessitados. Quando ela visitou um hospital da Alemanha, que era dirigido pelas freiras, ela voltou entusiasmada com o tratamento dado aos pobres e com a dedicação das freiras enfermeiras da Alemanha. Quando estourou a guerra da Crimeia (um litígio entre a Inglaterra e a Rússia), Florence arrebanhou mais 38 enfermeiras, entre suas alunas, e partiram para o campo de batalha com a finalidade de socorrer feridos. Quando voltou já era a heroína mais famosa depois da rainha Vitória. A rainha lhe ofereceu a Ordem do Mérito e deu-lhe a Cruz Vermelha Real como reconhecimento a sua participação na vida londrina. Ela faleceu em 1910, com 90 anos, mas deixou esse legado de persistência, capacidade, dedicação e compaixão e as bases para a enfermagem moderna.

Como estamos vivendo a era da emancipação da mulher, é muito apropriado se nos lembrarmos também das mulheres da bíblia que muito antes de Florence Nightingale já desempenhavam papel de suma importância entre o povo de Israel. Que tal Débora, Sara, Miriã, Raabe, Rute, Ana e outras que nunca receberam qualquer distinção do governo, mas foram cumpridoras da vontade de Deus e exemplos que gritam até hoje que as mulheres estão aí? Quando Deus criou a mulher, com certeza ele tinha muitos outros planos para ela, além de ser companheira de Adão apenas. Hoje estamos presenciando os objetivos de Deus, lá na criação, com muitas mulheres cristãs baluartes da sua igreja neste mundo.

Os comentários estão encerrados.