Meditação diária de 07/05/2019 por Flávio Reti – Alfred Josef Ferdinand Jodl
07/05/2019
Meditação diária de 09/05/2019 por Flávio Reti – Robert Schuman
09/05/2019

Meditação diária de 08/05/2019 por Flávio Reti – Antoine Laurent de Lavoisier

08 de maio

Lucas 6:45  “… pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca”

Antoine Laurent de Lavoisier

Pense em um camarada muito rico aos cinco anos de idade, devido à herança deixada pela morte de sua mãe, esse foi Lavoisier, conhecido como o pai da química moderna. Ele também foi reconhecido por ter elaborado o princípio da conservação da matéria, de ter identificado e dado nome ao oxigênio e de ter participado na criação da nomenclatura da química. Lembra do “nada se perde, tudo se modifica e tudo se aproveita” já imortalizado na fala popular? Veja uma de suas frases: Em uma reação química feita em recipiente fechado, a soma das massas dos reagentes é igual à soma das massas dos produtos”. Lavoisier descobriu e afirmou que a água é uma substância composta por dois átomos de hidrogênio e um de oxigênio dando a fórmula H2O. Lavoisier teve a sorte de se casar com uma mulher que dominava o Inglês e o Latim e ela traduzia para o Francês as novidades que surgiam no mundo científico além de que também desenhava muito bem, passando a ser sua ilustradora das experiências que fazia. Nos seus dias a França estava amadurecendo para a revolução francesa, quando os camponeses, os burgueses e os comerciantes estavam juntando forças para disputar o poder na França e nesse imbróglio ele foi guilhotinado. Antes de Lavoisier, era comum os químicos empregarem nomes estranhos e inventados por eles, cada um inventava o seu, e o crescimento da química exigia que se tivesse um sistema prático de notação científica. Manteiga de arsênico, água fagedênica, óleo de tártaro por desfalecimento, flores de zinco e isso ia confundindo os químicos e Lavoisier foi o primeiro a levantar a necessidade de se sistematizar os vocábulos. Juntamente com outros colegas também químicos, ele iniciou um trabalho de criar uma nomenclatura mais funcional e mais lógica. Lavoisier deu o nome de oxigênio ao gás encontrado na água porque oxigênio significa formador de ácidos porque achava que tudo que era calcinado gerava ácidos com a presença do oxigênio. Ele também notou que a presença do gás em orgânicos gera combustão e na presença dele em metais gerava oxidação. Você consegue perceber quanta coisa proveio da mente de Lavoisier? E assim é, quando a mente está interessada em alguma coisa, essa coisa prospera e traz resultados, mas quando a mente está nalgum outro lugar vagueando sem rumo e sem firmeza, é tempo perdido. Ora, se nós que temos a mente voltada para a vinda de Jesus realmente fizermos caso dela, a informação de que Jesus em breve virá será rapidamente conhecida de todos os habitantes da terra e produzirá uma avalanche de informações úteis como a descoberta dos gases da água produziu nos dias de Lavoisier. Mas se acomodarmos a mente e nada fizermos, Jesus ainda demorará séculos para voltar. O tema é livre, o espaço é amplo e nós somos convidados a dar a mensagem ao mundo, basta aceitar o desafio. O mundo está amadurecendo para a volta de Jesus!

Os comentários estão encerrados.