Meditação diária de 06/02/2017 por Flávio Reti
06/02/2017
Meditação diária de 08/02/2017 por Flávio Reti
08/02/2017

Meditação diária de 07/02/2017 por Flávio Reti

Dia do Gráfico

“Vinde e vede as obras de Deus. Ele é tremendo nos seus feitos para com os filhos dos homens” Salmos 66:5

Atualmente pouco se fala de um gráfico, porque se associou, ou se acrescentou, ao seu nome um outro adjetivo: a palavra designer. Uma palavra importada do Inglês que descreve as atividades dessa pessoa.

Normalmente, quando ouvimos chamar alguém de designer, nossa tendência é ligar esse nome com desenho, mas um designer não faz só desenhos. Ele desenha, sim, mas com foco na necessidade do cliente, ele tenta materializar ideias em forma de desenhos, de logos, de layouts, de legendas. Ele cria inclusive figuras de coisas imaginárias, coisas que na realidade não existem, para atingir um objetivo gráfico, chamariz para propaganda, promoção e vendas. Não é fácil o

processo de criação que ele deve fazer. Ele precisa de conceitos, de cores, de noções de espaço e vai depender também da fotografia. O designer gráfico precisa ser habilidoso para captar o que a outra pessoa está tentando dizer com palavras e desejando passar com gestos sem conseguir totalmente. O profissional da área de Design Gráfico cria projetos de comunicação visual e novos produtos e embalagens, desenha logotipos, formata qualquer tipo de material visual como panfletos, outdoors, páginas da internet, etc. Ele também pode atuar na área de Design de Produtos, desenhando novos produtos para diversas áreas, levando em conta os aspectos funcionais, estéticos e utilitários do objeto. O designer gráfico pode ainda desenhar móveis, joias, vestuário, equipamentos médicos

e odontológicos, peças para maquinário industrial, eletrodomésticos, entre outros. O leque de atividades do designer é muito amplo.

Com o advento da computação, o trabalho do designer ficou bem simplificado e facilitado. George Lucas, o criador daquela série Guerra nas Estrelas, foi um grande designer. Ele criou cada uma das personagens, cada um daqueles planetas e sabe tudo da vida deles. Criou a trama da história e deu vida, embora artificial, a tudo. Essa página que você está lendo agora passou pelas mãos de um designer que lhe deu essa aparência, essa diagramação atraente para você ter o prazer de lê-la.

Deus mesmo desempenhou a função de um designer gráfico quando projetou o mundo.

Ou você acha que foi por acaso que o mundo e os demais corpos celestes foram criados redondos? Quando Deus pôs as mãos no barro e modelou o que viria a ser o homem, Deus estava desempenhando a função de um designer, aliás um designer muito inteligente porque sua criação ainda se mantém por mais de seis mil anos. O homem ainda não caiu da moda. As mulheres, especialmente, ainda o admiram e até brigam por ele.

O que me chama a atenção de maneira inexplicável é o fato de Deus não apenas ter projetado, ter sido o designer inteligente que criou o homem e os mundos. Ele não nos fez desenhos animados, ele nos fez criaturas pensantes, com tantos detalhes e com tamanha precisão inexplicável. Desceu às minúcias, ao íntimo da sua criação, algo muito superior e, se isso fosse pouco, ele interage realmente com suas criaturas, ele fala com elas, ele as ouve.

Gosto da exclamação de Davi quando se põe a pensar na criação do homem: “Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que estabeleceste, que é o homem para que te lembres dele? E o filho do homem para que o visites? Contudo, pouco abaixo de Deus o fizeste e de glória e de honra o coroaste” (Sal.8:3-5). Preciso falar mais alguma coisa para concluir que Deus é um grande e tremendo designer? Você é um projeto dele e diga se não foi um projeto muito funcional?

Os comentários estão encerrados.