Meditação diária de 05/12/2019 por Flávio Reti – Arnon Afonso de Farias Mello
05/12/2019
Culto de Adoração (Sábado 07/12/2019)
06/12/2019

Meditação diária de 06/12/2019 por Flávio Reti – William McKinley

06 de dezembro

Salmos 62:11  “Uma vez falou Deus, duas vezes tenho ouvido isto: que o poder pertence a Deus”

William McKinley

A crônica palaciana mantém um registro fiel de tudo que se passa dentro dos governos, desde seus atos como presidente e relatos de sua vida particular para uma futura pesquisa ou consulta. Desde os tempos de Israel já era comum a corte ter os cronistas que se encarregavam de registrar tudo que se passava na corte. No relato bíblico, no final do reinado de cada rei, peguei a esmo o registro do rei Acazias, encontramos a seguinte informação: “Ora, o restante dos feitos de Acazias, porventura não está escrito no livro das crônicas dos reis de Israel?”. Semelhantemente, dentro das crônicas dos presidentes americanos encontramos o presidente William McKinley que foi um dos quatro presidentes assassinados. O primeiro foi Abraham Lincoln, assassinado por John Wilkes Booth; o segundo foi James A. Garfield, assassinado por Charles J. Guiteau; o terceiro foi William Mckinley, assassinado por Leon Czolgosz e o quarto foi John F. Kennedy, assassinado por Lee Harvey Oswald. No Brasil não temos relato de nenhum presidente que tenha sido assassinado, mas temos vários casos cuja morte foi suspeita, mas talvez por falha da crônica palaciana, até hoje ninguém sabe ao certo de que morreram. Começamos com Getúlio Vargas, que dizem morreu por suicídio com um tiro no coração, mas a suspeita é que ele foi assassinado por militares contrários ao seu governo. Depois temos Juscelino Kubitschek que segundo a versão dada morreu em um acidente de carro na via Dutra, mas a suspeita foi que o carro em que viajava foi alvo de uma sabotagem com uma bomba plantada e que no momento exato explodiu. O próximo foi João Goulart, de acordo com a nota dada foi enfarto, mas a suspeita é que seus medicamentos foram trocados por uma ação da CIA americana. Outro foi Castelo Branco que oficialmente morreu num acidente aéreo, mas a suspeita foi que seu avião foi abatido por um caça da força aérea brasileira. O outro foi Tancredo Neves cujo relato oficial foi por uma diverticulite, mas a suspeita foi de envenenamento, tanto é que seu mordomo sentiu as mesmas dores e também morreu em seguida. Nos meandros da busca pelo poder, infelizmente tudo se justifica. Na verdade, se é certo ou errado não sei dizer, um hospital pode ser útil para tratar um presidente e também para matar um presidente e quem de nós tem elementos para provar o contrário da versão oficiosa? Na história de Roma, quantos imperadores não foram assassinados! A política fascina e quem chega ao poder não pretende perder mais o poder.

No final tudo se resume em querer o poder, o mesmo que fez satanás quando se rebelou. Ele queria o poder de Deus para si e deu no que deu. Ele expulso, agora condenado, o mundo arruinado à espera da renovação da terra, os homens vivendo como animais no pasto e nós estamos testemunhando esse caos existencial no mundo. Felizmente Jesus prometeu voltar e nos levar deste mundo para o lar celestial e esta é a esperança que sustenta nossa existência, porque sabemos que nem tudo está perdido, Deus ainda tem planos de salvar a terra e nos salvar também. Até que esse dia não chegue, vamos vivendo pela fé aguardando a bendita esperança, enquanto os homens maus se matam pelo poder.

Os comentários estão encerrados.