Comentários da Lição 2 (2o Trim/2017) por Flavio Reti
05/04/2017
Meditação diária de 07/04/2017 por Flávio Reti
07/04/2017

Meditação diária de 06/04/2017 por Flávio Reti

Dia da Esposa do Pastor

“Mulher virtuosa, quem a pode achar? Pois o seu valor muito excede ao de joias preciosas” Provérbios 31:10

O pastor Heber Mascarenhas estava, um dia, contando na Igreja do IASP suas experiências vividas na África. Dentre as suas peripécias com sua moto subindo e descendo morros para chegar a alguma vila distante, isolada, ele falou também da sua esposa. Disse ele que sua esposa apanhou malária 5 vezes na África. Enquanto ele falava eu fiquei pensando: E como essa mulher não desistiu. Por que não deixou tudo pra lá e não voltou para seu país? Ela provavelmente não deixou e não voltou porque havia assumido o compromisso com ele e com Deus. Diz o texto sagrado que a “mulher virtuosa é a coroa de seu marido” e diz mais “que do Senhor vem a mulher prudente”. A esposa do pastor manifestou depois publicamente o desejo de voltar para a África. Impressionante!

Eu me lembro de ver mulheres trabalhando na lavoura lado a lado com seus maridos. Elas levantavam de madrugada para fazer o almoço e ao raiar do sol já estavam no eito, trabalhando na terra. Muitas com crianças ainda pequenas, improvisavam um “cafofo” debaixo de uma árvore para as crianças dormir enquanto elas batalhavam para defender o sustento da família.

Os pastores não têm residência fixa, vivem mudando de campo conforme a necessidade dos administradores e suas esposas quase se veem obrigadas a acompanhá-los aonde quer que vão. Só mesmo a dedicação, o compromisso assumido, a lealdade, a confiança dessas esposas de pastores podem convencê-las de acompanhá-lo pelos campos de trabalho às vezes inóspitos.

Surge, então, a pergunta óbvia: Ser esposa de pastor é um peso ou um privilégio? É uma tarefa desafiadora ser esposa de pastor. Normalmente quando um pastor é consultado para assumir um distrito pastoral, o líder sempre pergunta se sua esposa sabe tocar piano, se sabe dirigir departamento infantil, se já atuou como mediadora em conflito de famílias, já foi líder do ministério das mulheres. Até parece que quem está sendo chamado a assumir é a mulher e não o pastor.

Todo homem precisa dos cuidados de uma mulher. Por isso mesmo Deus ao criar a mulher disse: “Não é bom que o homem esteja só, vamos fazer-lhe uma companheira” (Gen.2:18). Ser companheira é ser também companhia. A mulher ao lado de seu marido, para enfrentar com ele todas as peripécias da vida é algo bom, nunca um fardo. É exatamente isso que se chama casamento.

As igrejas sempre vão precisar de uma esposa de pastor que saiba dirigir o louvor, se possível reger o coral, fazer visitas com ele, organizar escolinhas infantis, preparar o pão da Santa Ceia.

As cobranças da mulher de um pastor são muitas. Lembre-se, a mulher do pastor, geralmente, tem filhos, e que na própria casa ela tem um campo missionário onde deve trabalhar com energia infatigável e zelo inquebrantável, sabendo que os resultados de sua obra perdurarão por toda a eternidade. Não é a alma de seus filhos de tanto valor como a dos incrédulos? Cuidar, pois, deles com amorável solicitude é dever dela. Cabe-lhe a responsabilidade de mostrar ao mundo o poder e a excelência da religião no lar. Ela deve ser regida por princípios, não por impulsos e operar com a consciência de que Deus é seu ajudador. Não deve permitir que coisa alguma a distraia de sua missão. Para se ter uma ideia do que significa uma mulher virtuosa, o livro de Apocalipse compara a igreja de Deus a uma mulher virtuosa.

Quando você se lembrar da mulher do seu pastor, ore por ela. Ela, às vezes, trabalha mais do que o próprio pastor, mas ore por ele também. Se você que está lendo é esposa, mãe, ou mesmo solteira, saiba que as responsabilidades da mulher não são menos que a responsabilidade dos pastores. Talvez por isso que o anjo saudou Maria com as palavras “Bendita é tu entre as mulheres. Salve agraciada Maria!”

Os comentários estão encerrados.