Meditação diária de 01/06/2019 por Flávio Reti – Paul Landowski Maximilien
01/06/2019
Novo Encontro – Pr. Renato de Paula da APSO (2/6/2019)
02/06/2019

Meditação diária de 02/06/2019 por Flávio Reti – Mohammed Abdel Rahman Abdel Raouf Arafat al-Qudwa al-Husseini

02 de junho

Apocalipse 21:7  “Aquele que vencer herdará essas coisas e eu serei o seu Deus e ele será o meu filho”

Mohammed Abdel Rahman Abdel Raouf Arafat al-Qudwa al-Husseini

Resumindo, seu nome pelo qual ficou conhecido era Yasser Arafat, que foi líder da autoridade Palestina, líder de uma facção guerrilheira, a OLP (Organização para Libertação da Palestina). Ele se dizia nascido em Jerusalém em 1929, mas depois da sua morte se descobriu que ele, na verdade, nasceu no Cairo, Egito, e só o ano era verdadeiro, 1929. Como ele havia estudado na Universidade do Cairo, pelos registros de matrícula e pela vida escolar, foi fácil descobrir que ele, de fato, nasceu no Cairo. Para entender seu nome, vamos por parte: Mohammed Abdel Rahman era seu verdadeiro nome. Abdel Raouf era o nome de seu pai. Arafat era o nome de seu avô. Al-Qudwa era o nome da família e Al Husseini era o nome de um clã que englobava todos os Quduas. Bem, no Cairo, ele fez o curso de engenharia civil, foi membro da Irmandade Muçulmana e também da associação dos estudantes. Ao chegar à idade de servir ao exército, ele serviu no Egito e conseguiu conquistar a nomeação para ser líder da OLP. Ele foi casado com uma palestina de nome Suha e teve uma filha, de nome Zahwa , que depois da sua morte se mudaram para a França e hoje ainda vivem em Paris. Das muitas entrevistas que deu, como líder da OLP, uma delas ficou marcada quando a jornalista da rede CNN americana o apertou com perguntas, ele irritado saiu de cena e a deixou falando sozinha. Quando Os Estados Unidos guerreavam no Iraque, Yasser Arafat tomou partido a favor do Iraque e com isso ele foi boicotado na suas negociações com Israel que vinham evoluindo bem. Como todos sabem, os palestinos são um povo que não tem uma pátria, não tem terra e como tal não constitui um país reconhecido. Eles brigam pela terra dos Israelenses como suas desde que a ONU votou a recriação do Estado de Israel, em 1947, mas até hoje ainda não conseguiram. Para demonstrar política da boa vizinhança, Israel ofereceu aos palestinos um pedaço de terra na Cisjordânia e na Faixa de Gaza, mas Arafat não aceitou e queria anexar Jerusalém como sua capital, o que foi e ainda é inegociável pelos Israelenses. Arafat morreu em Paris, em 2004 com 75 anos de idade, segundo informação do hospital de falência múltipla dos órgãos, mas segundo seus súditos, sua morte se deveu a sucessivos envenenamento por parte dos serviços secretos israelenses.

Bem, deixem a saga de Arafat de lado e entendam que os palestinos brigam para ter uma pátria e não conseguem, porque Israel não cede às pressões palestinas, assim a guerra continua. Já para os cristãos, Jesus promete uma nova terra gratuitamente, sem lutas e sem dor de cabeça. Basta aceitar os méritos de Jesus e lançar mão da oferta. Não precisa de negociação com governo nenhum, não precisa de mediação de outros governos, basta dizer a Jesus, sim, eu aceito. Entenda, o reino dos céus pode ser seu, não é isso maravilhoso? Não é algo jamais visto por aqui? Mas é verdade, pode crer. O reino do céu está ao nosso alcance!

Os comentários estão encerrados.