Comentários da Lição 1 (1o Trim/2017) por Ligado na Videira
01/01/2017
Meditação diária de 03/01/2017 por Flávio Reti
03/01/2017

Meditação diária de 02/01/2017 por Flávio Reti

Dia da Abreugrafia

“Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos” Sal. 139:23

Abreugrafia é o nome que dava aqui no Brasil a um método barato de se obter um filme negativo dos pulmões para se ter um diagnóstico rápido. O método foi desenvolvido pelo médico brasileiro Manoel de Abreu, um jovem que se formou em medicina no rio de Janeiro com apenas 21 anos de idade, no ano de 1913.

No Brasil grassava um alto índice de tuberculose nas décadas de 30 e 40 e em maior grau no Rio de Janeiro. As autoridades sanitárias não contavam com aparelhos sensíveis para diagnosticar a doença e nesse ambiente de necessidade nasceu o processo da abreugrafia que o mundo comemora nesse dois de janeiro. A abreugrafia veio a se chamar popularmente de chapa, fazer uma chapa,

e futuramente de maneira mais formal de raios X. Posteriormente passou a servir para muitos outros fins, especialmente na área de ortopedia porque se poderia diagnosticar precisamente uma quebradura. Bem, o mundo evoluiu e hoje já conhecemos métodos mais avançados e melhores, tais como ultrassom, tomografia computadorizada e deve vir mais métodos por aí porque a área médica continua evoluindo mais que outras áreas.

Mas ainda não se criou, a despeito de tanta tecnologia e conhecimento, aparelho algum para diagnosticar doenças da alma. O que vai no íntimo e que só sabe quem tem, e não é possível ser observado com abreugrafia, nem com ultrassom e menos ainda com tomografia computadorizada. Apenas Deus, quem criou a maquinaria humana, tem a prerrogativa de conhecer a máquina que criou. Daí por que Davi invoca-O para sondar seu coração porque Ele o conhece, convoca-O para provar, fazer prova de tudo que fosse preciso porque Ele conhece inclusive os pensamentos.

Acha isso um tanto invasivo ou acha bom que exista alguém que pode perscrutar o íntimo de nosso ser? Jeremias exclamou que “enganoso é o coração do homem, mais do que todas as coisas” (Jer. 17:9), logo se não fosse um Deus conhecedor cabal de nosso ser, quem poderia, estribado em máquinas e métodos antigos como a abreugrafia, raios X, ou mesmo as máquinas modernas de ultrassom e de tomografia, diagnosticar o que necessitamos para viver feliz? Jesus conhece as circunstâncias de cada pessoa. A recíproca é que é o problema, porque nós nem sempre conhecemos a Jesus. “Como um pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor Se compadece daqueles que O temem. Pois Ele conhece a nossa estrutura; lembra-Se de que somos pó” (Sal. 103:13 e 14). Para que possamos receber auxílio de Cristo, devemos compreender nossa

necessidade. Cumpre-nos conhecer-nos verdadeiramente. Unicamente ao que se reconhece pecador, pode Cristo salvar. Só quando vemos nosso inteiro desamparo e renunciamos a toda confiança própria, lançaremos mão do poder divino. Nós temos um certo conceito próprio e achamos que nos conhecemos e até dizemos com muita propriedade: ! “Eu me conheço muito bem. Você não me conhece, não sabe do que sou capaz”. Mas essa é uma afirmação errada, porque nós não nos conhecemos. Nossa vida acaba sendo um mistério para nós mesmos. Quanta coisa encerrada dentro de nosso subconsciente que nós desconhecemos, mas que ajudaram a formar nossa personalidade de hoje. Já viu alguém quando ouve sua própria voz num aparelho de som? Ela diz na hora: “Nossa! Essa é minha voz? Que coisa horrível”! As pessoas não reconhecem sequer a própria voz e como vai se reconhecer por dentro e por fora? Na verdade o homem é um ilustre desconhecido de si mesmo. Mas graças a Deus porque Ele me conhece por inteiro, por dentro e por fora, Ele me sonda e conhece o meu coração, Ele me prova e conhece até meus pensamentos. Realmente, graças a Deus! Ele sabe de tudo que eu preciso acrescentar na minha vida e de tudo que eu preciso retirar da minha vida. E eu achando que sabia tudo!

Os comentários estão encerrados.