Meditação diária 12/08
12/08/2021
Comentário Lição 7 – 3º trimestre
13/08/2021

Meditação diária 13/08

E daí, seu pai sempre acreditou em você? 

Salmos 27:13 “Creio que hei de ver a bondade 

do Senhor na terra dos viventes” 

Com catorze para quinze anos eu perdi minha mãe e depois de oito meses meu pai se casou com outra mulher bem mais nova que minha mãe. De repente meu pai começou a ficar agressivo demais comigo, aliás ele sempre foi um pai muito severo que nos espancava por pouca coisa, mas desta vez eu já estava com quinze anos e comecei a enfrentá-lo. A situação começou a ganhar um rumo muito estranho e eu resolvi conversar com um vizinho, muito cristão, que me foi muito honesto comigo e me aconselhou o seguinte: “Você está deixando de ser adolescente para ser um jovem que começa a tomar consciência da sua vida. Seu pai acabou de se casar com uma mulher bem nova, mais nova do que sua mãe, e ele está desconfiando de você com a esposa dele. Então, você deve começar a pensar em tomar o rumo da sua vida e se desvencilhar de seu pai, porque pode acontecer alguma coisa pior. O ciúmes não tem limites na cabeça de um homem violento”. Aquela conversa começou a fazer efeito na minha mente e logo depois eu resolvi que era hora de ganhar o mundo e cuidar da minha vida. Um belo dia, eu juntei minhas poucas coisas que tinha, fiz literalmente um pacote embrulhado com jornal usado e saí de casa. Procurei um amigo na cidade de Duartina e fui morar com a família dele plantando amendoim no sítio do tio dele. Lá fiquei dois anos e com dezessete anos vim para o GAC, hoje Unasp-HT, para estudar. Daí tudo foi ganhando um novo rumo e um outro sentido na minha vida. Mas este pequeno recorte da minha vida serve para mostrar que meu pai nem sempre confiou em mim, nem sempre acreditou em mim. Ele me tinha como um rival dele, na sua vida amorosa. Quanta diferença encontramos na vida de Jesus, quando algumas vezes o pai se manifestou dizendo “Este é meu filho amado em quem tenho prazer (Mat.3:17; Marc.9:7). Embora eu fosse o filho mais velho, o primogênito, meu pai nunca teve prazer em mim, pelo visto eu era detestado, ao passo que o filho de Deus era amado e dava prazer. Bem, é até compreensível, porque nossos pais terrenos são falhos, são pecadores como qualquer outra pessoa, não é de se admirar se um dia eles vierem a nos desacreditar, a não ter interesse em nós, os filhos, mas tal nunca vai acontecer entre Deus e seus filhos, porque o amor de Deus é eterno e porque Deus é amor.

Os comentários estão encerrados.