Culto Divino
14/05/2021
Meditação diária 15/05 – Quem comigo não ajunta, espalha?
15/05/2021

RESUMO LIÇÃO 7 – ALIANÇA NO SINAI

VERSO PARA MEMORIZAR:Vocês viram o que fiz aos egípcios e como levei voCês sobre asas de águia e os trouxe para perto de Mim”. Êxodo 19:4

Leituras da Semana: Deuteronômio 1: 29-31; Oséias 11:1; Apocalipse 5:9; Deuteronômio 29: 10-13; Êxodo 19: 5,6; Romanos 6:1,2; Apocalipse 14:12; Romanos 10:3

INTRODUÇÃO

Israel tinha o privilégio de beber profundamente dos mananciais de salvação, como também nós temos. A libertação de Israel de séculos de escravidão e opressão foi uma maravilhosa revelação da graça. A graça está envolvida em nossa libertação do pecado.

  1. Sobre asas da águia:

Israel esteve imerso no paganismo egípcio por longos e difíceis séculos, uma experiência que evidentemente obscureceu seu conhecimento de Deus, de Sua vontade e bondade. Ele demonstrou a sinceridade de Seu amor por Israel mediante poderosos atos de Libertação. Ele começou a atrair a nação a uma resposta de amor à Sua proposta de aliança. Nas figuras da águia e do pai que carrega seu filho percebemos a preocupação de Deus com no nosso bem-estar.

  • Padrão de Salvação

“Vou tirá-los dos trabalhos pesados de Israel”,  Êxodo 6:6. A libertação de Israel da escravidão egípcia e o livramento de Noé e sua família do dilúvio são os dois eventos salvíficos de destaque nos escritos de Moisés. Ambos representam percepções sobre a ciência da salvação.

“A palavra ‘resgatar’ no verso 6 refere-se ao costume no qual um membro da família comprava de volta ou resgatava outro, especialmente quando esse membro estava em condição de escravidão por motivo de dívida, ou quando ainda estava em vias de entrar em escravidão”. (Bernad L. Ramm, His Way Out [ Sua Saída]. Glendale, CA: Regal Books Division, G/L Publications, 1974, p. 50)

Êxodo 3:8, Deus disse que “desceu” para resgatar Israel. Esse é um verbo hebraico comum para designar a interação de Deus com a humanidade.  No sentido mais verdadeiro da ideia, comente quando Jesus desceu, viveu, sofreu e ressuscitou por nós por nós, pudemos ser resgatados.

  • Aliança no Sinai

O livro de Êxodo chama a atenção do leitor para três grandes eventos. Concentre-se na sequência de eventos abaixo:

  1. A chegada e o acampamento de Israel no Sinai (Êx 19:1,2)
  2. Proposta de Deus de uma aliança com Israel (Êx 19:3-6)
  3. A resposta de Israel ao aceitar a aliança (Êx 19:7,8)
  4. Preparativos para o recebimento formal da aliança (Êx 19:9-25)
  5. A proclamação dos Dez Mandamentos (Êx 20:1-17)
  6. Moisés como Mediador da aliança (Êx 20:18-21)
  7. Princípios da aliança explicitados (Êx 20:22-23;22)
  8. A confirmação da aliança (Êx 24:1-18)

Essa aliança desempenha uma função vital no plano da Salvação. É a quarta aliança da Bíblia, e nela Deus Se revelou mais plenamente do que antes, especialmente quando o ritual do santuário. O santuário se tornou o meio pelo qual Ele mostrou ao povo o plano da salvação. Ele desejava resgatar a humanidade do pecado, a escravidão suprema mediante o sacrifício do Messias. Pois a a aliança não é nada senão uma aliança de salvação.

  • Deus e Israel

Em Êxodo 19:5-6, o Senhor estava propondo Sua aliança com os filhos de Israel. Embora em certo sentido o Senhor os tivesse chamado, esse chamado não foi automaticamente concedido sem escolha deles. Até a libertação do Egito tinha envolvido com sua cooperação.

“Não ganhamos a salvação pela obediência”. (Ellen G. White, Caminho a Cristo, p. 61). Pense no que o Senhor estava disposto a fazer pela nação de Israel. Ele não apenas a libertou milagrosamente da escravidão egípcia, mas desejava torná-la Sua propriedade preciosa, um nação de sacerdotes. Tudo o que eles tinham que fazer, em resposta, era obedecer.

  • Promessas, promessas (êx. 19: 8)

O Senhor tinha livrado Seu povo oferecendo a ele as promessas da aliança e ele havia concordado em fazer tudo o que o Senhor havia lhe ordenado. Porém, Israel tropeçou, de acordo com Romanos 9:31-32; 10:3 e Hebreus 4:1-2, Israel até buscava a lei da justiça, porém, o tropeço foi porque não fazia pela fé. Acreditava que suas obras eram mais que o suficiente. O povo hebreu acreditava que a obediência havia se tornado o meio de sua salvação, não o resultado da salvação.

Os comentários estão encerrados.