Meditação diária de 25/03/2021 por Flávio Reti – Como a aranha consegue tecer no espaço?
25/03/2021
Meditação diária de 26/03/2021 por Flávio Reti – Como a luz se comporta no vácuo?
26/03/2021

LIÇÃO 13 – A RENOVAÇÃO DO PLANETA TERRA

VERSO PARA MEMORIZAR: “Pois vejam! Criarei novos céus e nova Terra, e as coisas passadas não serão lembradas. Jamais virão à mente!”

LEITURA DA SEMANA: Is 65:17-25; 66

OBJETIVO GERAL: Estudar a promessa de Isaías 65 e 66 acerca da Nova Terra e qual sua relação com a profecia apocalíptica.

RESUMO

Em Isaías 65:17-25 Deus promete uma restauração parcial da Terra, do ser humano e dos animais. Porém, as pessoas, apesar da longevidade, continuariam a morrer. Seria um local de felicidade, não haveria mais choro, como é detalhado no versículo 19. O texto bíblico apresenta uma imagem de uma vida longeva na terra prometida. Mas, a morte ainda existiria. Essa é a grande diferença entre a vida futura apresentada em Isaías, com a vida eterna apresentada em Apocalipse.

Em Isaías 66: 1-19, Existe um contraste nas altitudes de Deus para com o ser humano. Deus rejeitaria os hipócritas e os rebeldes, mas, por sua vez, consolaria os aflitos e os humildes. Ele salvaria e restauraria os humildes. Mas destruiria os que se rebelaram contra ele. Os rituais mencionados em Isaías 66:3 expressam que tudo aquilo que podemos fazer pelo Senhor não tem valor a menos que a nossa vida seja transformada por Ele. Nos versos 18 e 19, Deus serviria como um imã para atrair as nações entorno de si mesmo.

Em Isaías 66: 19-20, a profecia dos sobreviventes significa a expansão missionária, que ocorreria séculos depois do cativeiro babilônico. Os israelitas traziam ofertas de cereais ao Senhor em Seu templo, os missionários também trariam uma ofertas a ele.

No verso 21, a expressão hebraica que significa “alguns deles” refere-se a todos os seus irmãos, dentre as nações. A partir deste momento a relação entre eles. Em Isaías 66: 2, mostra a necessidade de tanto judeus como gentios a agirem como irmãos, isso de acordo com a “nova ordem” de Deus.

Em Isaías 66:22, fala sobre a esperança de encontrar novo céus e Nova Terra. O autor da lição específica de que estamos vivendo uma expectativa de receber os novos céus e uma nova Terra. É válido se destacar que na nova Terra não haverá mais esquecimento, morte, enxerto.

Em Isaías 66:23, quanto o relato que haverá festas de Lua Nova e Sábados na nova Terra era em relação às festas cerimoniais e não aos sábados semanais, já que estes têm vigência eterna. Uma vez que Deus criou o sábado antes mesmo da existência do sistema sacrifical. Embora o sábado tenha sido honrado no sistema sacrifical, o sábado não dependia dele. Outro aspecto importante é que não há indicação bíblica de que as festas de Lua Nova fossem dias legítimos de adoração à parte do sistema sacrifical. Seja qual for o significado específico de Is 66:23, o ponto crucial é que o povo de Deus o adorará por toda a eternidade.

Isaías conclui o relato com uma imagem negativo dos salvos olhando os cadáveres dos rebeldes destruídos por Deus para estabelecer um contraste entre os sobreviventes do exílio babilônicos com os perdidos do juízo final. Esse não era um tormento eterno, os rebeldes eram mortos por “fogo”, uma destruição que não cessaria até que se cumprisse o seu propósito, para que a recriação de Jerusalém pudesse começar. Porém, Isaías aponta para o cumprimento final: a destruição dos pecadores, de Satanás e da morte no lago de fogo.

Os comentários estão encerrados.