Meditação diária de 30/11/2018 por Flávio Reti
30/11/2018
Matéria da Street Store Hortolândia 2018 na TV Hortolândia
30/11/2018

Lição 09 – A Prova Mais Convincente

SUA VIDA, SEU TESTEMUNHO

Nossa filha caçula está prestes a se formar no ensino médio. A mais velha entrou na faculdade neste ano. Por isso, estamos envolvidos a algum tempo em assuntos como ENEM, faculdade e vestibular. As provas e diversos testes pelas quais os jovens são submetidos nessa fase da vida fazem parte da avaliação onde os alunos provam o seu conhecimento. Não é fácil e nem confortável passar por esses momentos, mas é necessário.

De semelhante forma, os cristãos são provados através da sua vida diária. É do frade São Francisco de Assis a conhecida frase: “Pregue o Evangelho em todo tempo. Se necessário, use palavras.” A minha e a sua vida poderão ser as únicas formas com que alguém conhecerá a Cristo. Essa é a nossa tarefa como cristão: convencer as pessoas de que o nosso Salvador Jesus é visível, inteligível e desejável. Por isso, o seu testemunho não é algo que você faz, é algo que você é. Oremos por isso diariamente.

ALIMENTE O CACHORRO CERTO

Uma pessoa recém convertida desabafou certa vez:

– Desde que entreguei minha vida a Jesus, uma luta está sendo travada dentro de mim. Uma luta entre o bem o mal. O bem, sempre me convidando a fazer coisas boas, e o mal, sempre me levando a fazer coisas ruins. É como se fossem dois cachorros brigando o tempo todo, um cachorro bom e um ruim.

E a outra pessoa questionou:

– Qual dos dois cachorros está vencendo a luta?

– O cachorro que eu alimento, confessou o convertido.

O grande conflito ocorrerá até que Cristo volte. Portanto, brigas, desavenças, lutas ainda acontecerão. Mas, quando surgirem desentendimentos, principalmente dentro da igreja, não alimente desuniões. Respeito, paciência e tolerância são palavras chaves em qualquer relacionamento.

AGENTE RECONCILIADOR

Dois irmãos que moravam em fazendas vizinhas, separadas apenas por um riacho, entraram em conflito. Foi a primeira grande desavença em toda uma vida de trabalho lado a lado. Mas agora tudo havia mudado. O que começou com um pequeno mal entendido, finalmente explodiu numa troca de palavras ríspidas, seguidas por semanas de total silêncio. Numa manhã, o irmão mais velho ouviu baterem à sua porta.

– Estou procurando trabalho, disse um senhor. Talvez você tenha algum serviço para mim.

– Sim, disse o fazendeiro. Claro! Vê aquela fazenda ali, além do riacho? É do meu vizinho. Na realidade é do meu irmão mais novo. Nós brigamos e não posso mais suportá-lo.

– Vê aquela pilha de madeira ali no celeiro? Pois use para construir uma cerca bem alta.

– Acho que entendo a situação, disse o carpinteiro.

– Mostre-me onde estão a pá e os pregos.

O irmão mais velho entregou o material e foi para a cidade. O homem ficou ali cortando, medindo, trabalhando o dia inteiro.

Quando o fazendeiro retornou, não acreditou no que viu, em vez de uma cerca, o carpinteiro construiu uma pequena ponte ligando as duas margens do riacho.

O fazendeiro ficou enfurecido e falou:

– Seu velho atrevido… não foi isso que mandei você construir!

Mas, ao olhar novamente para a ponte viu o seu irmão se aproximando de braços abertos:

– Você realmente é mais que um irmão… é um amigo muito especial… construindo esta ponte mesmo depois de todas as tolices que eu lhe disse!

Num só impulso, o irmão mais velho correu na direção do outro e abraçaram-se, chorando no meio da ponte.

“Mas todas as coisas provêm de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Cristo, e nos confiou o ministério da reconciliação” – II Coríntios 5.18.

Autor desconhecido

Através do sangue de Cristo na cruz você tem a graça de já ter sido reconciliado com Deus. Aproveite e se reconcilie com alguém que você precisa se acertar. Às vezes um familiar que a muitos anos você não conversa; talvez um amigo do trabalho, ou algum irmão da igreja; talvez o seu próprio cônjuge ou com o seu Deus. Pela graça de Cristo, não adie a sua decisão e seja um agente reconciliador hoje. Depois de tudo que o Salvador fez por você não receba a Sua graça em vão.

“Nisto conhecerão todos que sois Meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros.” João 13:35

CRISTO: NOSSO MODELO

1 Pedro 2:21, o apóstolo escreveu: “Cristo sofreu por vós, deixando-vos um modelo para seguirdes de perto os seus passos.” Precisamos ser imitadores de Cristo e aprender algumas de suas qualidades:

Jesus era equilibrado. Apesar de ‘não ter onde reclinar a cabeça’, Jesus não promoveu nem aprovou um estilo de vida rígido, sem prazer. Ele comparecia à festas e não era anti-social.
Reflexão: você tem equilibrado seus interesses materiais com os espirituais?

Jesus era acessível. A Bíblia mostra que Jesus era um homem cordial e amigável. Pessoas vinham até ele, além de crianças e doentes. Seus tratos com seus discípulos foram marcados por conversas francas e amigáveis.
Reflexão: será que as pessoas acham você acessível?

Ele mostrava empatia e era compassivo. Uma das maiores virtudes de Jesus era sua capacidade de se colocar no lugar dos outros, sentir o que eles sentiam e agir para ajudá-los. Tudo o que ele fazia era influenciado por uma de suas declarações mais memoráveis em Lucas 6:31: “Assim como quereis que os homens façam a vós, fazei do mesmo modo a eles.”
Reflexão: a sua compaixão por outros pode ser notada em suas ações?

Jesus era compreensivo. Embora não tenha cometido nenhum erro, Jesus nunca esperou perfeição de outros ou assumiu um ar de superioridade; nem agiu com falta de entendimento.
Reflexão: você é conhecido por ser rápido em elogiar e vagaroso em condenar?

Ele era imparcial e respeitoso. Jesus tinha uma afeição especial por seu discípulo João, talvez por terem personalidade parecida e um possível vínculo familiar. Apesar disso, ele não mostrou nenhuma parcialidade em relação a João nem o favoreceu em relação aos outros discípulos.
Reflexão: você é imparcial com pessoas de outra raça, sexo, língua ou nacionalidade?

Ele cumpria seus deveres como filho e irmão. É bem provável que Jesus tenha ajudado sua mãe, seus irmãos e suas irmãs trabalhando como carpinteiro. Nos momentos finais de sua vida, ele deixou sua mãe aos cuidados de seu discípulo João.
Reflexão: você pode imitar Jesus por cuidar de suas responsabilidades familiares?

Jesus era um amigo de verdade. Seus discípulos nem sempre agiam como ele desejava. Mas ele mostrou que era amigo por se concentrar nas boas qualidades deles em vez de lhes atribuir má motivação.
Reflexão: Você continua sendo amigo mesmo quando outros o irritam ou o ofendem?

Essas e muitas outras notáveis qualidades fazem de Jesus o modelo perfeito para nós. Se nos deixarmos influenciar por sua conduta, seremos pessoas melhores e mais felizes. A vida exemplar de Jesus nos ensina que tipo de pessoas devemos ser.

Reflexão: se alguém fosse ler a sua vida como um livro, encontraria Jesus em suas páginas?

SINTOMAS

Quando estamos com febre ela não é um mal do organismo enfermo, é apenas o sintoma de um problema maior: a infecção. Você toma remédio, ou descansa, ou trata ela e a febre desaparece. Da mesma forma a falta de unidade na igreja, as divisões em nosso meio são apenas sintomas de uma causa mais profunda: a imaturidade espiritual.

Isso demonstra que vivemos a viver em função do “ego”, não em função do Reino de Deus. O texto de I Coríntios 3:1-9, fala sobre crentes imaturos e nos comunica três princípios que servem para manter a unidade na diversidade:

  1. A obra é de Deus, não nossa. No Reino de Deus não há menor nem maior. Somos todos cooperadores de um único Deus que não faz acepção de pessoas.
  2. Não somos concorrente, mas cooperadores uns dos outros. No Reino de Deus, cada um é recompensado segundo as suas próprias obras realizadas em função do todo, o Corpo de Cristo.
  3. A obra de Deus não depende do que sou e tenho, depende essencialmente de Deus. Um semeia, outro colhe, mas a glória de tudo pertence a Deus.

Um importante revelador de imaturidade é o egoísmo. Os bebês são completamente egocêntricos. Eles gritam se não conseguem o que querem e quando querem. Tudo o que eles conhecem são suas próprias necessidades e desejos. E, pelo estágio natural da infância, não há nada de errado com isso. Mas, esse é exatamente o estado espiritual de muitos na igreja de hoje. Eles estão absolutamente preocupados com o eu.

“São as pequenas coisas que testam o caráter. Deus Se alegra diante dos despretensiosos atos diários de abnegação feitos com mansidão e alegria. Não devemos viver para nós mesmos, mas para os outros. Devemos ser uma bênção mediante o esquecimento de nós mesmos e consideração pelos outros. Devemos cultivar amor, paciência e força moral.” Testemunho para a Igreja, v. 2, p. 647

A igreja pode se recuperar quando crescer espiritualmente. Para isso deverá confrontar o espírito de uma era relativista e voltar à Bíblia como a infalível Palavra de Deus. Não haverão mudanças sem aprofundamento espiritual. O discernimento virá somente quando treinarmos nossas mentes para entender a verdade da Palavra de Deus e aprender a aplicar essa verdade com habilidade em nossas vidas.

UNIDOS EM MISSÃO

Milhões de pessoas em todo o mundo desconhecem o sacrifício de Cristo por eles. E seguindo instruções claras de Deus devemos pregar o Evangelho eterno a todas as nações, tribos, línguas e povos (Ap. 14:6). A Igreja Adventista do Sétimo Dia crê na diversidade de dons e ministérios utilizados para cumprir com sua missão. Por essa razão, atua em diferentes áreas que realizam projetos, programas e ações estratégicas e de alguns anos pra cá vem motivando e incentivando jovens a responderem ao chamado de Deus através do “Ide”.

Tive (Karina) a oportunidade de participar de 3 missões nos últimos anos, mas como exemplo de unidade na missão, gostaria de citar o ano de 2016 em que liderei pela 1ª vez um grupo de universitários numa Missão. Estávamos em 15 pessoas e o objetivo principal era impactar a cidade de El Carmen, Bolívia. A igreja local possuía 7 membros e apesar de estar localizada na avenida central da cidadezinha, era pouco conhecida.

A unidade na Missão iniciou na diversidade de trabalhos. Cada um ficou encarregado de liderar uma fatia do projeto. A unidade no objetivo de impactar a cidade e tornar a igreja conhecida, despertou diferentes necessidades: visitação, socorro médico, refeições aos convidados e voluntários, pregações, feira de saúde, escola cristã de férias, palestras, acolhimento e escuta, corte de cabelo e a lista de atividades é grande. Separados, porém unidos, o objetivo foi alcançado!

E como anda o seu senso de Missão? Li uma frase de Alan Redpath, evangelista e pastor britânico que me fez refletir: “Se você se apresenta neutro em relação a Cristo em seus contatos mais íntimos, há algo de errado com seu cristianismo”.

Que essa lição tenha despertado uma reflexão profunda sobre o seu testemunho como cristão e que sua vida seja a prova mais convincente de cristianismo que as pessoas possam ver.

Um grande abraço!

Heber e Karina Girotto

Os comentários estão encerrados.