Meditação diária de 25/05/2018 por Flávio Reti
25/05/2018
Informações para o Impacto Esperança 2018
25/05/2018

Comentários da Lição 8 (2o Trim/2018) por Pr Narcizo Liedke

Adore o Criador

Introdução

A palavra “anjo” que aparece no verso para memorizar não se refere necessariamente aos seres sobrenaturais criados por Deus e que são superiores aos homens. Estes são eventualmente representantes de Deus e Seus mensageiros. Na realidade, neste texto, se refere a mensageiros (seres humanos), que tem a responsabilidade de proclamar uma mensagem especial para um determinado momento da história.

Nós, adventistas do sétimo dia, acreditamos que a verdade é apresentada ao homem no momento em que é necessária e que mais luz pode ser adicionada à medida que é necessária, a esta ideia chamamos de “verdade presente”.

As três mensagens angélicas de Apocalipse 14:6 a 12, são a verdade presente para os que vivem os dias que antecedem a volta de Jesus.

O estudo desta semana se concentra na mensagem do primeiro anjo.

A universalidade do evangelho

A universalidade do pecado requer a universalidade do evangelho. Os textos de Apocalipse e Mateus deixam claro que o evangelho deve ser pregado a toda nação, tribo, língua e povo. Também fala que deve ser pregado a todo mundo em testemunho de todas as gentes. Todos precisam ouvir o evangelho que é a solução única para o problema do pecado.

O ladrão na cruz e o “evangelho eterno”

Quando pendurado na cruz o ladrão teve um vislumbre de quem era Jesus e sua missão. Sinceramente acreditou no Messias e suplicou de Jesus a graça salvadora. Jesus não jogou na cara do ladrão sua anterior rebeldia, nem tão pouco lhe mostrou como ele era indigno, não lhe fez sermão frisando como ele era um grande pecador. Não! Simplesmente virou-se para aquele homem de defeituoso caráter e lhe prometeu: “estarás comigo no paraíso”. Existe outro evangelho que não este?

Temei a Deus e dai-Lhe glória

Temer a Deus é mais do que admira-lo e reverencia-lo. Quem teme a Deus no sentido bíblico fatalmente irá dar glorias a Ele. No texto que estamos estudando a ideia de temor a Deus inclui a obediência a Ele. Na verdade, ser grato a Deus e glorificar o seu nome inclui acima de tudo fazer a Sua vontade, inclui ser obediente à Ele.

É chegada a hora do Seu juízo

Na primeira mensagem angélica, a ideia de temer a Deus e dar-Lhe glória está relacionada ao juízo (Ap 14:7). Se existe um assunto claro na Bíblia, é o conceito de que o Senhor é um Deus de justiça e de juízo. Um dia, o juízo e a justiça que faltam neste mundo realmente virão.

Não é de admirar que as pessoas necessitem temer a Deus. Por isso, o “evangelho eterno” também inclui a realidade do juízo. Qual é a relação entre esses dois elementos? Se o evangelho significa “boas-novas”, isso quer dizer que, embora sejamos pecadores e tenhamos transgredido a lei de Deus, quando o dia do juízo chegar, como o ladrão na cruz, não enfrentaremos a pena e o castigo que merecemos pelos nossos pecados e pela transgressão da lei.

“Não pode o homem por si mesmo se defender dessas acusações. Em suas vestes manchadas de pecado, confessando sua culpa, ele está perante Deus. Mas Jesus, nosso Advogado, apresenta uma súplica eficaz em favor de todos os que, mediante arrependimento e fé, a Ele confiaram a guarda de sua vida. Defende-lhes a causa e derrota seu acusador, com os poderosos argumentos do Calvário. Sua perfeita obediência à lei de Deus, mesmo até à morte de cruz, conferiu-Lhe todo o poder no Céu e na Terra, e Ele pleiteia de Seu Pai misericórdia e reconciliação para o homem culpado” (Ellen G. White, Testemunhos Para a Igreja, v. 5, p. 471).

Adorai Aquele que fez o céu e a Terra

Juntamente com o evangelho, o chamado para testemunhar ao mundo e para temer a Deus e dar-Lhe glória, vem também o chamado para adorar o Senhor como Criador. E não é de admirar. Qual é o significado de todos esses outros aspectos da “verdade presente” – o evangelho eterno, o chamado para testemunhar e o juízo – sem Deus como nosso Criador? Essas e todas as outras verdades surgem da verdade fundamental de que o Senhor é Aquele que fez todas as coisas. Ao adorá-Lo como Criador, estamos voltando ao princípio básico, ao fundamento do que significa ser humano, estar vivo e, diferentemente de outras criaturas terrestres, ser feito à imagem de Deus. Ao adorar o Senhor como Criador, reconhecemos que dependemos Dele para e para ter a esperança quanto ao futuro. Por essa razão, a observância do sábado é tão importante. É um reconhecimento especial de que somente Deus é nosso Criador, e que adoramos apenas a Ele. Isto é, juntamente com o evangelho e o juízo, o chamado para adorar o Senhor como Criador é ressaltado nessa mensagem.

Comentário final

Somos o Anjo de Apocalipse 14, consequentemente temos a responsabilidade de proclamar o evangelho eterno que é o amor de Deus manifesto por Suas criaturas. Amor que o levou a entregar à morte Seu próprio filho para salvar a raça caída

Somos, ainda, instados a adora-Lo pois ao fazê-Lo estamos reconhecendo que Ele é o Criado de tudo e de todos.

Por fim, a mensagem acentua que a hora do juízo é chegada.

Cumpra sua missão de Anjo, seja uma testemunha obediente e fiel. 

Os comentários estão encerrados.