Meditação diária de 22/02/2019 por Flávio Reti – Sérgio Augusto Naya
22/02/2019
Meditação de Pôr do Sol 22/02/2019 por Eliane de Lima Marques
22/02/2019

Comentários da Lição 8 (1o Trim/2019) por Classe 3

Satanás, um inimigo derrotado

“ E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro, e pela palavra do seu testemunho; e eles não amaram as suas vidas até a morte.” Ap 12:11 KJ
A lição trata de dois pontos fundamentais no conflito final; vitória e testemunho, pontos que são baseados por uma prática que antecede todo contexto desse conflito; que é adoração.

Quando lemos na bíblia o relato do nascimento de Jesus, a perseguição e a tentativa de assassinar o menino ainda bebê, notamos que apenas os que estavam em oração e adoração ao Deus verdadeiro entenderam a profecia do nascimento do salvador. Quando Jesus é apresentado no templo após o oitavo dia em adoração e agradecimento, José e Maria oferecem dois pombinhos. Notemos que no momento em que a criança é apresentada apenas Simeão e Ana são tocados pelo Espirito Santo e reconheceram o Messias, ambos estavam alertas, pois entenderam o significado do Espirito da Profecia; da verdadeira adoração.

Quando pensamos em adoração muitas vezes a relacionamos apenas cânticos, louvores; a música. Mas adoração esta em todo o ciclo da justificação e santificação, toda escolha, todo propósito em nossa vida aponta a dois caminhos; a Deus e a satanás.

O inimigo de Deus tem avançado com o propósito de confundir mentes a profanarem o nome de Deus com falsa adoração, quem não adora a Deus em espirito e em verdade adora satanás.

Notemos que mesmo com a luta já ter sido definida na Cruz do calvário, satanás ainda insiste em ocupar o lugar de príncipe desse mundo, ele não desiste e quer compartilhar a sua derrota com todos aqueles que se afastam de Deus, da verdadeira adoração.

“ Satanás viu que estava desmascarado. Sua administração foi exposta perante os anjos não caídos e o Universo celestial. Revelara-se um homicida. Derramando o sangue do Filho de Deus, desarraigou-se Satanás das simpatias dos seres celestiais. Dai em diante sua obra seria restrita. Qualquer que fosse a atitude que tomasse, não mais podia esperar os anjos ao virem das cortes celestiais, nem perante eles acusar os irmãos de Cristo de terem vestes de trevas e contaminação de pecado. Estavam rotos os últimos laços de simpatia entre Satanás e o mundo celestial.

Todavia, Satanás não foi então destruído. Os anjos não perceberam, nem mesmo tudo quanto se achava envolvido no grande conflito. Os princípios em jogo deviam ser mais plenamente revelados. E por amor do homem, devia continuar a existência de Satanás. O homem, bem como os anjos, devia ver o contraste entre o Príncipe da Luz e o das trevas. Cumpria-lhes escolher a quem servir.” DTN pag. 761

Entendamos que a necessidade de satanás em avançar sobre os santos no juízo final reflete seu verdadeiro caráter, que é homicida e destruidor. A nós cabe escolher a quem iremos adorar; o criador do céu, do mar, e das fontes das águas, ou adorar um homicida e enganador, que quer arrastar o homem criado por Deus para a morte eterna.

Seu objeto é fortalecer a mentira, o engano e a falsa adoração, muitos serão perdedores nessa batalha por escolher o evangelho do conforto, da popularidade, da facilidade na observância, na flexibilidade da adoração, por não entenderem o que Deus espera de um coração sincero. Muitos de nós que ocupamos a fileira frontal até o dia da batalha estaremos em pé, mas quando soar a trombeta e começar a batalha final cairemos, pois não estaremos repletos de poder que emana de Deus, e sim do evangelho do conforto e da formalidade.

O testemunho da profecia deve ser a realidade de todo que professa servir a Deus e aceita o sacrifício de Cristo. Testemunhar a profecia é viver aceitando a Justificação de Jesus e consequentemente viver em constante consagração de suas escolhas. As testemunhas da profecia mostrarão ao mundo o caráter de Deus em suas vidas, serão selados pelo sangue do cordeiro serão testemunhas vivas, e serão puros em um mundo impuro, serão luz em um mundo em trevas.

Mesmo derrotado ele atuará até o final com suas forças, seu propósito é enganar os escolhidos de Deus. Quem são os escolhidos? São todos a quem Jesus deu seu sangue para que tivessem vida, ele nos escolheu para a vida.

Os comentários estão encerrados.