Meditação de Pôr do Sol de 04/11/2016 por Sandra Cordeiro Viotto
31/10/2016
Meditação de Pôr do Sol de 11/11/2016 por Sandra Cordeiro Viotto
11/11/2016

Comentários da Lição 7 (4º Trim/2016) por Flavio Reti

slide1

 
CASTIGO RETRIBUTIVO
 
-Não sabemos quanto tempo Jó sofreu até ser restabelecido
 
-Só sabemos que o início da sua desgraça foi rápido – parece que foi 1 dia
 
-A doença demorou um pouco mais para chegar – talvez uma semana depois
 
-Satanás garantiu que Jó falharia se o sofrimento o atingisse
 
-As perdas atingiram externamente, mas a doença foi na própria pele
 
-Úlceras malignas da sola do pé até o alto da cabeça – insuportável
 
-Provavelmente, seus amigos só souberam depois de algum tempo
 
-Elifaz era de Temã e Zofar era da região da Arábia. Jó estava em Uz
 
-Uz era também a terra de Abraão quando foi chamado por Deus
 
-Bildade era Suíta, morava na beira do Eufrates
 
-Eles devem ter demorado no mínimo 1 semana para chegar onde Jó estava
 
-Chegaram e se assentaram com ele na terra durante 7 dia e 7 noites (2:13)
 
-Todos falam, Jó retruca e assim discorre o livro
 
-Quase no final aparece um outro amigo – Eliú, provavelmente de perto dali
 
-Em seguida Deus mesmo repreendeu a Jó e lhe deu lições
 
-Isso tudo deve ter levado alguns meses – 2 ou 3 meses
 
-Consolo – A provação uma hora chega ao fim. Chegou para Jó
 
-Observe tudo que Jó perdeu
 
*perda de todos os seus bens (ao que parece, menos a sua casa)
 
*perda da maioria dos seus funcionários
 
*perda de todos os animais
 
*perda de todos os filhos e filhas
 
*perda da saúde
 
*amigos que o acusaram durante todo esse tempo.
 
-Felizmente, como consolo, não perdeu a esposa (não sei da sogra)
 
-Durante o tempo todo, Jó não esperava mais nada; seu desejo era morrer
 
-Mas, não perdeu a esperança de um dia, com seus próprios olhos, ver a Deus
 
-Que Deus nos livre duma situação como esta
 
 
DOMINGO – MAIS ACUSAÇÕES – 06 DE NOVEMBRO
 
-O segundo a falar foi Bildade com as mesmas acusações
 
-A diferença é que ele foi mais enfático, mais ofensivo
 
-Quem sabe sendo mais duro Jó assumiria seu erro, seu pecado
 
-Para um castigo tão duro, o pecado devia ter sido muito grave
 
-A suspeita era de pecados secretos, a imagem de Jó era de um bom homem
 
-Pra eles, Jó era durão, não queria revelar o que só Deus sabia
 
-E Deus dizendo para Lúcifer que Jó era um homem justo e íntegro
 
-Pense o que pode fazer a imaginação da cabeça humana!
 
-Primeira fala de Bildade: Suas palavras são como vento impetuoso (8:2)
 
-Jó estava apenas se lamentando a sorte, tinha esse direito
 
-E Bildade, o suíta, acusou os filhos de Jó também (veja 8:4)
 
-Frase precipitada, como pode acusar inclusive os filhos?
 
-Deus não age assim, a justiça será feita apenas no final
 
-Outra frase infeliz: Deus não dá a mão para os malfeitores (8:20)
 
-Jó não estava sendo castigado, ele estava provando que é possível ser fiel
 
 
SEGUNDA – MENOS DO QUE MERECE TUA INIQUIDADE – 07 DE NOVEMBRO
 
-Agora quem fala é o terceiro “amiguinho” de Jó
 
-A imaginação era a mesma, Jó era um grande pecador
 
-Deus estava simplesmente aplicando sua justiça sobre ele
 
-Falava bobagens e coisas que não se aplicavam a Jó
 
-Mais uma vez- Se não tivermos toda informação, erraremos no diagnóstico
 
-Veja sua argumentação (11:2-6)
 
-Deus exige te ti menos do que merece a tua iniquidade, v.7 (Achava pouco ainda)
 
-Quem mais falava concretamente, com nexo, era o próprio Jó
 
-Acusação: O homem vão é falto de entendimento (v 12)
 
-O homem nasce como a cria de um jumento (v.12) burro agora?
 
-Em que isso ajudava Jó? Essa deve ser nossa preocupação
 
-Se o que eu vou falar não ajuda, então é melhor…
 
-E ajudaria em que se Jó era um homem íntegro?
 
-Pelo menos um conselho bom ele deu para Jó:
 
-Se há iniquidade na tua mão, lança-a para longe de ti (v.14)
 
-Se houver – Mas na realidade não havia
 
 
TERÇA – RETRIBUIÇÃO DIVINA – 08 DE NOVEMBRO
 
-Quer ver a incongruência das afirmações deles?
 
-Diziam: Deus abençoa os bons e castiga os maus, certo?
 
-Então por que Jó era antes de tudo um homem muito abençoado?
 
-A questão é se o castigo do dilúvio influenciou o pensamento deles
 
-No dilúvio Deus destruiu os homens maus – retribuiu o pecado deles
 
-Mas deu tempo – cada golpe de martelo era uma pregação
 
-Eles estavam também insistindo com Jó, pregando para ele
 
-A mesma coisa Deus fez em Sodoma e Gomorra
 
-Antes do dilúvio e em Sodoma, os homens chegaram no limite
 
-E se Deus não tivesse destruído no dilúvio e em Sodoma, o que aconteceria?
 
-Eles iriam destruir o mundo antes de Cristo vir ao mundo
 
-Desvirtuaria o plano de Deus de enviar Jesus na plenitude dos tempos
 
 
QUARTA – SE O SENHOR CRIAR ALGUMA COISA NOVA – 09 DE NOVEMBRO
 
-É aceitável que Deus abençoe os bons, justos, como Jó
 
-Mas é lógico que ele castigue os maus? Faz sentido?
 
-Temos vários exemplos onde Deus castigou pessoas más
 
-Hofni e Fineas, filhos de Eli; Alguns reis de Israel
 
-Várias vezes Israel foi invadido como castigo enviado por Deus
 
-O reino do norte foi destruído pelos Assírios como castigo
 
-Duas vezes o templo de Jerusalém foi destruído como castigo
 
-Os judeus deixaram de ser o povo escolhido por causa da sua apostasia e rebelião
 
-E então, os amigos de Jó estavam certos? Deus castiga os maus?
 
-Deus disse que destruiria Nínive e não destruiu – por quê? (Jonas 3:4)
 
-Os ninivitas se arrependeram e Deus não destruiu como havia dito
 
-Deus não destruiu o rei Acabe como Elias tinha dito – por quê? (II Re.21:27-29)
 
-Acabe se humilhou e Deus mandou Elias voltar e dizer que não traria o mal
 
-Deus não destruiu Jerusalém nos dias de Josias – por quê? (II Cr.34:23-28)
 
-Josias promoveu uma reforma e Deus pospôs a destruição de Jerusalém
 
-Tanto quanto possível, Deus quer evitar a destruição de quem quer que seja
 
-Sempre que Deus tomou a decisão de destruir, foi para evitar um mal maior
 
-Se não tivesse destruído Datã, Coré, Abirã, o povo todo ia querer voltar ao Egito
 
-Eles poderiam ter matado Moisés e Arão e como ficaria então o povo de Deus?
 
-Se Deus não destruísse Sodoma? Se tivesse poupado Israel do exílio?
 
-Se Deus julga e castiga imediatamente os maus, veja esses casos:
 
+ Satanás teria razão em suas acusações quando se rebelou
 
+ Nós também há muito já estaríamos destruídos
 
+ Adão e Eva teriam sido destruídos imediatamente, seu pecado foi sério
 
+ E pra que julgamento final se todos foram julgados e condenados?
 
-O pecado traz sua própria punição, não é Deus que castiga. Deus ainda vai julgar
 
 
QUINTA – A SEGUNDA MORTE – 10 DE NOVEMBRO
 
-como diz a lição, a manifestação do juízo retributivo será após a vinda de Cristo
 
-O julgamento está em andamento – a retribuição virá no final
 
-E mesmo assim, não será uma vingança e nem castigo de Deus
 
-Será o resultado das escolhas que fizermos com o que nos foi oferecido
 
-Nós é quem fazemos a opção pela vida ou pela morte
 
-A primeira morte é um sono – a segunda morte não será um sono, será eterna
 
-Temos que mostrar que queremos sair dessa situação de pecados
 
-A segunda morte será a erradicação do pecado em definitivo
 
-Será também a renovação da nossa terra, a restauração do planeta
 
-Mesmo assim não é regra, é a exceção –é o estranho ato de Deus
 
-Cada um colhe o que semeia, mas só no final
 
-Os amigos de Jó estavam certos. Deus castiga sim, mas só no final
 
-Não no momento – como queriam que Jó entendesse
 
 
SEXTA – RESUMO – 11 DE NOVEMBRO
 
-Em alguns casos já houve juízo retributivo de Deus – casos pontuais
 
-Deus viu necessidade de fazer naquele momento por causa das consequências
 
-É o caso de Herodes – ele se achou superior a Deus sabendo que era apenas homem
 
-Quando o mal de alguém pode arruinar a salvação de outros, Deus intervém com juízos
 
-Mas em que Jó estava arruinando a salvação de alguém?
 
“Em alguns casos já houve o juízo retributivo de DEUS, isto é, o castigo direto de DEUS por causa dos atos das pessoas e por falta de arrependimento. São casos bem pontuais e com fortíssima necessidade de ser feito naquele momento, por causa das consequências posteriores, se não fosse feito em tempo. “O mesmo anjo que viera dos palácios reais para libertar a Pedro, fora o mensageiro da ira e juízo a Herodes. O anjo tocou em Pedro para o despertar do sono; foi com um contato diferente que ele feriu o ímpio rei, derribando seu orgulho e trazendo sobre ele o castigo do Todo-poderoso. Herodes morreu em grande angústia de espírito e corpo, sob o juízo retributivo de Deus” (Atos dos Apóstolos, p.152).
 
Flavio Reti

Os comentários estão encerrados.