Meditação diária de 08/02/2019 por Flávio Reti – Jules Gabriel Verne
08/02/2019
Meditação de Pôr do Sol 08/02/2019 por Deyvison de O. Romangnoli
08/02/2019

Comentários da Lição 6 (1o Trim/2019) por Classe 3

O povo de Deus selado

Muitos se perguntam o que é o selo de Deus? Analisando essa pergunta parece que a resposta vem de fontes comuns a nós, nasce da visão dos valores que nos cercam, do que os olhos mostram, do que é comum em meio ao mundo que vivemos. Mas quando nos baseamos nos princípios da criação a primeira resposta que vem a nossa mente é; adoração. A quem adoramos? A quem nosso coração se inclina? O selamento se baseia em  quem escolhemos a servir, e adorar, aquele que nos criou, que criou o universo, aquele que reina em nosso coração.

“ Os três primeiros mandamentos mencionam a palavra “Deus”, mas por eles não podemos dizer bem a quem se referem, porque há multidões de objetos a que é aplicado este nome. Há “muitos deuses e muitos senhores”. 1Co 8:5  Sem considerar agora o quarto mandamento, o quinto contém as palavras “Senhor” e “Deus”, mas não as define. E os outros cinco preceitos não contêm o nome de Deus. Só com a parte da Lei que examinamos seria impossível convencer de pecado o idólatra. O adorador de imagens podia dizer: “Este ídolo que está diante de mim é o meu deus; o seu nome é Deus, e estes são os seus preceitos.” O adorador dos astros podia também dizer: “O Sol é o meu deus, e eu o adoro segundo esta Lei.” Assim, sem o quarto mandamento o Decálogo é nulo e sem valor no que diz respeito a definir a adoração do verdadeiro Deus Mas acrescentemos agora o quarto mandamento, devolvamos à Lei este preceito, que tantos consideram descartado, e vejamos qual é a situação. Examinemos este mandamento, que contém a declaração: “Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar, e tudo o que neles há”, e vemos imediatamente que lendo os mandamentos dAquele que criou todas as coisas. O Sol não é, pois, o Deus do Decálogo. O verdadeiro Deus é Quem fez o Sol. Nenhum objeto do Céu ou da Terra é o Ser que aqui reclama obediência, porque o Deus desta Lei é o único que fez todas as coisas criadas. Temos agora uma arma contra a idolatria. Esta Lei não pode mais ser aplicada a falsos deuses, que “não fizeram os Céus e a Terra.” Je 10:11 O Autor desta Lei declarou Quem é Ele, a extensão do Seu domínio, e o Seu direito a governar, porque todo ser criado deve reconhecer imediatamente que Aquele que é o Criador de tudo, tem direito de exigir obediência de todas as Suas criaturas. Assim, com o quarto mandamento no seu lugar, esse maravilhoso documento, o Decálogo, o único documento entre os homens escrito pelo dedo de Deus tem uma assinatura, tem algo que o torna inteligível e autêntico; tem um selo. Mas sem o quarto mandamento a Lei é incompleta e carece de autoridade.

Nesta ordem de ideias é evidente que o quarto mandamento constitui o selo da Lei de Deus, ou o selo de Deus. as Escrituras acrescentam seu testemunho a esta conclusão.”  Daniel e Apocalipse Urias Smith págs 295 e 296

O direito a receber o selo já começou para alguns, pois o primeiro passo é a escolha que fazemos; adoramos o verdadeiro Deus e criador, nossa escolha nos dá por herança o selo de Deus. Alguns já se foram, e por sua vez dormem com os selos em seus corações.

“ E eu vi outro anjo subindo do leste, tendo o selo do Deus vivo; e ele gritava em alta voz aos quatro anjos, aos quais havia sido concedido ferir a terra e o mar, dizendo: Não firais a terra, nem o mar, nem as árvores, até que tenhamos selado os servos de nosso Deus em suas testas. E eu ouvi o número daqueles que foram selados; e foram selados cento e quarenta e quatro mil de todas as tribos dos filhos de Israel.” Ap 7:2-4 KJ

Os 144mil passam pelo tempo de angústia qual nunca houve desde que houve nação.  Dn 12:1 Experimentam a angústia mental do tempo da angústia de Jacó. Je 30:4-7 Hão de subsistir sem mediador através das terríveis cenas das sete últimas pragas, que são manifestações da ira de Deus na Terra, como veremos em Apocalipse 15 e 16. Passam através do mais duro tempo de angústia que o mundo jamais conheceu, mas triunfam e são libertados.

 

Vestes brancas — Eles lavam as suas vestes e as branqueiam no sangue do Cordeiro. A última geração recebem conselhos muito enfáticos sobre a necessidade de adquirir a veste branca . Ap 3:5 e 18  Os 144mil recusam violar os mandamentos de Deus. Ap 14:1, 12 Ver-se-á que puseram sua esperança de vida eterna nos méritos do sangue derramado de seu divino Redentor, e fizeram dEle sua fonte de justiça. Há ênfase especial ao dizer-se deles que lavaram suas roupas e as alvejaram no sangue do Cordeiro.

As primícias — O versículo 15 descreve o posto de honra que eles ocupam no reino, e sua proximidade de Deus. Noutro lugar são chamados “primícias para Deus e para o Cordeiro”     Ap 14:4

João, o revelador, vê uma multidão que não se podia contar, eram os que morreram e ressurgiram chamados para a vida, na segunda ressurreição, ali estão eles, em meio aos mártires que foram torturados em todas as épocas por amor e fidelidade ao Deus criador. Esse grande grupo é composto por pessoas  com as palmas do triunfo, e suas vestes brancas simbolizando a justiça sem macula de Jesus Cristo.

Haverá naquele dia um grupo em meio a todos os salvos que refletirá o caráter de Cristo, resplandeceram a verdadeira Imagem e semelhança de Deus. Estes escolheram a Jesus como seu salvador e renunciaram sua natureza para que fossem vencedores segundo os méritos de Cristo.

Há nesta obra, o perigo de pôr diante do povo teorias que, se bem que sejam em tudo verdade, suscitem debates e não levem homens à grande ceia preparada para eles.  Precisamos do amor de Deus no interior a fim de subjugar e abrandar nossa natureza humana e pôr-nos em conformidade com seu santo caráter. Exporemos então perante o povo as inescrutáveis riquezas de Cristo em toda a sua abundância. O convite é feito pelo próprio Cristo, e é a obra de todos os Seus seguidores chamar a atenção à mesa de provisões que foi tornada acessível a todos. Não permitamos, pois que assuntos difíceis de serem entendidos venham em primeiro lugar. Cristo chama os homens ao banquete, e todos quantos quiserem, venham. Carta 89 1898.

Nossos membros de igrejas vêem que há diferenças de opinião entre dirigentes, e eles próprios entram em polêmicas acerca de assuntos em controvérsia. Cristo pede unidade. Não pede, porém, que nos unifiquemos em práticas errôneas. O Deus do céu traça frisante contraste entre a verdade pura, inspiradora, que enobrece, e doutrinas falsas, desorientadoras. Ele chama o pecado e a impenitência pelo verdadeiro nome. Não encobre o malfeito com uma capa de argamassa não temperada. Rogo a nossos irmãos que se unifiquem em um fundamento verdadeiro, escriturístico. Manuscrito 10 1905

Nós Adventistas do Sétimo Dia estamos inseridos nesse grande conflito, compete a nós levarmos a palavra a todos, pois precisam saber o que ainda está por vir; o grande conflito que antecede a volta de Jesus Cristo. O selamento será para todos que aceitarem o tocar do Espirito Santo, a viver uma vida de renuncia, e renovação de caráter através do poder e da influência do Espirito de Deus.

 

Os comentários estão encerrados.