Meditação diária de 02/08/2019 por Flávio Reti – Lasar Segall
02/08/2019
Meditação de Pôr do Sol 02/08/2019 por Helenice de Oliveira Correa
02/08/2019

Comentários da Lição 5 (3o Trim/2019) por Pastoral UNASP-HT

Lição 4: O Clamor dos Profetas

“Ele te declarou, ó homem, o que é bom e que é o que o Senhor pede de ti: que pratiques a justiça, e ames a misericórdia, e andes humildemente com o teu Deus” (Mq 6:8).

 

Nós adventistas entendemos que não somos somente uma denominação religiosa. Não somos somente uma igreja no meio de tantas outras. Nos consideramos como um movimento profético. Surgimos com uma missão específica, e temos a nossa identidade e missão registrada nas profecias. O Senhor antes de realizar juízo sempre envia os seus profetas (Amós 3:7). E nós, como povo, representamos esse último chamado para as pessoas, anunciando o tempo do fim. “Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor” (Malaquias 4:5). Nós somos esse povo com a mesma missão de Elias: preparar o caminho do Senhor. Nosso Senhor Jesus logo vem, e a nós foi incumbida a tarefa de anunciar isso ao mundo.

Ser profeta não era uma atividade simples, nem fácil. Hebreus sumariza a forma como foram tratados: “enfrentaram zombaria e açoites, outros ainda foram acorrentados e colocados na prisão, apedrejados, serrados ao meio, postos à prova, mortos ao fio da espada. Andaram errantes, vestidos de pele de ovelhas e de cabras, necessitados, afligidos e maltratados. O mundo não era digno deles. Vagaram pelos desertos e montes, pelas cavernas e grutas. (Hebreus 11:36-38) Também Jesus lamentou: “Jerusalém, Jerusalém, você, que mata os profetas e apedreja os que lhe são enviados! Quantas vezes eu quis reunir os seus filhos, como a galinha reúne os seus pintinhos debaixo das suas asas, mas vocês não quiseram.” Mateus 23:34-37

O nosso chamado profético é para anunciar o Juízo de Deus (Ap 14:7). Anunciar que Deus vem fazer justiça nos leva a clamar por justiça. “Ele te declarou, ó homem, o que é bom e que é o que o Senhor pede de ti: que pratiques a justiça, e ames a misericórdia, e andes humildemente com o teu Deus” (Mq 6:8)

Assim como esses nobres homens do passado clamaram por Justiça e lutaram contra a opressão, cabe a nós, como povo, no tempo do fim, erguermos nossas vozes contra a injustiça. Vivemos numa era de muita fala e pouca ação. Qualquer um nas redes sociais pode sair dando opinião por aí sobre qualquer assunto. Se quisermos realmente impactar o nosso mundo com nossa mensagem cabe a nós largar o “sofativismo” e nos mover. Nossas ações falarão muito mais alto do que qualquer discurso.

Vivemos numa época onde toda autoridade é questionada. Onde todos criticam a todos. Mas hoje é tempo de fazermos mais e falarmos menos. De falar mais com nossas ações. Se queremos levar essa mensagem a todo mundo e cumprir o nosso papel profético precisamos falar mais alto do que as palavras: “Há uma eloquência mais poderosa do que a eloquência de meras palavras na tranquila e coerente vida do puro e verdadeiro cristão. O que o homem é tem mais influência do que o que ele diz. (…) O mais forte argumento em favor do evangelho é um cristão que sabe amar e é amável.”. CBV pág 470.

Que cada um de nós possa, individualmente e como igreja, levantar a nossa voz na luta por justiça. Mas que seja uma luta que vá além das palavras. O que farei eu hoje para lutar contra a injustiça?

 

Por Pr. Alex Galindo

Os comentários estão encerrados.