Culto de Sábado – 02/05/2020 – Transmissão Ao Vivo, a partir das 9h30
01/05/2020
Meditação diária de 02/05/2020 por Flávio Reti – Endoscópio
02/05/2020

Comentários da Lição 5 (2o Trim/2020)

Lição 05 | Somente pelas Escrituras – Sola Scriptura

1.1 – Verso

“Porque a Palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração” Hebreus 4: 2.

1.2 – Reflexão

A Bíblia deu força e autoridade decisivas à Reforma Protestante e à sua revolta contra Roma e os erros que esta vinha ensinando durante séculos. Em oposição a uma interpretação alegórica das Escrituras … os reformadores enfatizaram a importância de uma interpretação histórico-gramatical da Bíblia. p. 57

1.3 – Comentário

A expressão Sola Scriptura se constituiu no grito de guerra da Reforma Protestante. Trata-se do princípio de interpretação bíblica onde a Bíblia, e somente a Bíblia, se torna no único critério para a fé e o viver cristão. Isto implica no Tota Scriptura, ou seja, em matéria de fé só é verdadeiro se nossas crenças corresponderem ao testemunho de toda a Escritura. p. 65.

  1. Norma e Unidade

2.1 – Verso

“…Não ultrapasseis o que está escrito; a fim de que ninguém se ensoberbeça a favor de um em detrimento de outro” 1Coríntios 4: 6. “…Apegado à palavra fiel, que é segundo a doutrina, de modo que tenha poder tanto para exortar … como para convencer …” Tito 1: 9. “Mantém o padrão das sãs palavras …”. 2Timóteo 1: 13.

 

2.2 – Reflexão

Não ultrapassar o que está escrito não exclui ideias de outros campos de estudo, como a arqueologia bíblica e a histórica. Na tarefa de interpretação apropria-se de recursos como léxicos, dicionários, concordâncias e comentários. Porém, não devemos ultrapassar nem contrariar o que está escrito na Bíblia. p. 58.

Os escritores da Bíblia consideravam as Escrituras um todo coerente, inseparável, no qual os principais temas são desenvolvidos. Jesus e os autores bíblicos reconheceram a unidade das Escrituras. Paulo citou o Antigo Testamento (Salmos, Eclesiastes, Isaías). p. 59

2.3 – Comentário

Se não houvesse inspiração divina, não haveria unidade nas Escrituras. Sem a inspiração de Deus, teríamos apenas escritos bíblicos diferentes e contraditórios. A teologia onde a Igreja Adventista se firma é a teologia bíblica abrangente, onde a cena de fundo é o Grande Conflito. p. 66

2.4 – Aplicação

Diante das incertezas da vida aproxime-se da Bíblia como um aprendiz procura seu mestre para aprender. Permita que o texto fale ao coração e a mente. Extraia das histórias bíblicas os valores espirituais para sua vida.

  1. Clareza e Interpretação

3.1 – Verso

“Perguntou-lhes Jesus: Nunca lestes nas Escrituras: A pedra que os construtores rejeitaram, essa veio a ser a principal pedra, angular…”. Mateus 21: 42. “Não tendes lido que o Criador, desde o princípio os fez homem e mulher” Mateus 1: 4. “Nem ao menos tendes lido o que fez Davi, quando teve fome, ele e seus companheiros?” Lucas 6: 3.

 “E, começando por Moisés, discorrendo por todos os Profetas, expunha-lhes o que a se respeito constava em todas as Escrituras”. Lucas 24: 27. “…Importava que se cumprisse tudo o que de mim está escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos”. Lucas 24: 44.

 3.2 – Reflexão

A Bíblia é suficientemente clara para nos ensinar. Seus ensinamentos fundamentais podem ser compreendidos por todos os cristãos. Portanto, a própria Palavra nos encoraja a estudá-la por nós mesmos, pois somos capazes de entender a mensagem de Deus para nós. p. 60.

Para tanto torna-se necessário que as Escrituras interpretem a si mesmas. Textos devem ser comparados com textos. O estudante deve aprender a ver a Palavra como um todo, e também a relação entre suas partes. Se possível examine nas línguas originais ou numa tradução apropriada, fiel ao significado no hebraico e grego. p. 61

3.3 – Comentário

A Bíblia se autoexplica. Por haver clareza suficiente nas Escrituras, somos totalmente responsáveis pelas decisões que tomamos diante de sua mensagem.

3.4 – Aplicação

Diante de uma profecia escatológica primeiro ore. Depois, estude todo o contexto, símbolos e compare significados. Peça a Deus clareza para compreender os impactos da profecia em sua vida pessoal. Lembre-se, que “toda Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, repreensão, correção, educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra”. 2 Timóteo 3: 16.

  1. Sola Scriptura e Ellen G. White

4.1 – Verso

“À lei e ao testemunho! Se eles não falarem desta maneira, jamais verão a alva”. Isaías 8: 20.

 4.2 – Reflexão

Quando somos confrontados com a pergunta “do que fazer com Ellen White que também foi inspirada por Deus e serviu com mensageira do Senhor para Seu povo remanescente?

Os escritos de Ellen White mostram de forma clara em seus escritos que a Bíblia era fundamental e central em todo o seu pensamento e teologia. Ellen White confirma que a Bíblia é a autoridade superior, norma e padrão supremos para toda doutrina, fé e prática (O Grande Conflito, p. 595). Além disso, também apoiou e defendeu o grande princípio protestante de Sola Scriptura (O Grande Conflito, p. 9).

4.3 – Comentário

De Ellen White: “Ninguém confie em si mesmo, como se Deus lhe houvesse conferido Luz especial acima de seus irmãos. […] Advirto-lhes que se protejam contra esses movimentos desviados, cuja tendência é distrair a mente da verdade” (Eventos Finais, p. 90, 91).

4.4 – Aplicação

“O Espírito Santo é o autor das Escrituras e do Espírito de Profecia. Estes não devem ser torcidos e levados a indicar o que o homem quer que indiquem, para cumprir as idéias e os sentimentos do homem, para levar avante os seus desígnios sob todos os riscos”. Carta 92, 1900. ME v. 3 p. 30.

Jael Eneas

Pastor Emérito da Igreja Adventista e Editor da Pastoral News, Unasp.

Os comentários estão encerrados.