Culto de Adoração (Sábado 26/10/2019)
25/10/2019
Meditação de Pôr do Sol 25/10/2019 por Rosa Maria Silva
25/10/2019

Comentários da Lição 4 (4o Trim/2019) por Classe dos Pais

4- Diante da Oposição

“Porém os olhos de Deus estavam sobre os anciãos dos judeus, de maneira que não foram obrigados a parar, até que o assunto chegasse a Dario, e viesse resposta por carta sobre isso.” (Ed.5:5)

O livro de Esdras demonstra vários períodos de conflitos. A oposição para a reconstrução do templo era grande. A bíblia nos apresenta um pouco da pessoa de Esdras no capítulo 7, versículo 1. Por volta de 457 aC, Esdras chegou à cidade de Jerusalém, as mudanças começaram e a obra para a reconstrução dos muros avançava gradativamente. Treze anos depois chegou Neemias e a construção do muro foi retomada. A oposição foi intensa, mas continuou até a sua finalização após 52 dias de muito trabalho e luta. Naquela época a reconstrução do templo incitou a oposição e provocou a perseguição. Nos dias de hoje não é diferente. A obra do Senhor é resistida. Satanás não deseja o avanço do evangelho, seria a perda do domínio sobre a terra.

Primeiro, os adversários (inimigos) tentaram unir forças aos israelitas para a reconstrução do templo. Parecia uma ótima ideia, agradável aos olhos humanos. Então, eles eram adversários por qual razão?

Os adversários, Segundo Reis 17: 24–41, foram importados de outras nações para Samaria e algumas regiões depois do Reino do Norte. O rei da Assíria enviou sacerdotes, que deveria ensiná-los a adorar o Deus da terra, deus de Israel. No entanto, a religião resultante incorporou os deuses dos cananeus. Surge a dúvida, como unir forças para a construção do templo de adoração a Deus com essas pessoas. Existia muitas divergências de adoração.

O “Não, obrigado”. Foi a decisão mais acertada por Zorobabel naquele momento. Ele agiu de maneira dura e firme com os inimigos que faziam constante oposição à reconstrução. A liderança dele demonstrou esforço para incentivar o povo mesmo no momento muito difícil.

Para nossa reflexão, Paulo adverte aos coríntios sobre o perigo da aliança com pessoas que iriam tentá-los a fazer concessões nos seus valores cristãos. Agir de maneira oposta a essência do capítulo 2 Coríntios 6:14, é colocar-se em jugo desigual com descrentes.

A maneira de reconstruir o templo não foi sempre adotada por todos, pois os judeus estavam com medo. Portanto, Deus chamou dois profetas para intervir. Mesmo os próprios judeus sendo opositores, por conta do medo, Deus não os abandonou. Ele trabalhou através dos profetas para motivá-los e impulsioná-los a agir novamente. “Os profetas Ageu e Zacarias foram levantados para liderar durante a crise. A falta de prosperidade temporal foi o resultado de uma negligência em colocar os interesses de Deus para depois.”

O “povo da terra” escreveu cartas de acusação contra os judeus e seu trabalho, primeiro para Dario (Esdras 5 e 6), depois para o rei Xerxes (Assuero), bem como Artaxerxes. Infelizmente, o rei Artaxerxes foi levado a crer que os judeus estavam construindo apenas porque queriam ganhar independência, assumir um reino próprio. Ele ordenou para cessarem, impedindo a construção. Os judeus perceberam que Deus os havia chamado para reconstruir a cidade e o templo, mas por causa da forte oposição, eles estavam com medo. Talvez tenham inventado desculpas como “Agora não deve ser a hora certa ”ou“ se isso era realmente o que Deus queria, Ele mostraria o caminho, seria mais fácil”. Agora, vamos fazer um breve “link“ com a história de Moisés: Foi fácil? Não. Mesmo mostrando o caminho, como agir, o que comer, o povo se rebelou, questionou e tentou intervir nas decisões divina.

Em alguns momentos, a oposição atrapalha o processo que Deus nos chama a fazer, temos a tendência de questionar e duvidar das orientações de Deus. Quando ficamos com medo, nossa mente fica paralisada, o corpo começa a suar, bate o desespero, coração acelera, não queremos nem imaginar ou raciocinar sobre “como vencer esse medo”. Até hoje, a lição que mais aprendi e tento executar quando o medo tenta dominar, fixe os olhos no Criador.  A concentração e fé deveriam estar voltadas para Deus, para o poder dEle. Logo, uma valiosa mensagem para os temerosos do livro de Esdras e para nós.

Neemias também organizou as pessoas ao redor do muro com armas para que cada família estivesse pronta para lutar. Eles fizeram a parte deles; Deus fez o resto. A fé de Neemias na proteção de Deus é inspiradora. Pois ele não ficou “sentado no sofá” e esperando que Deus fizesse tudo. Eles prepararam, semearam, zelaram, exploraram, fazendo o melhor de suas habilidades.

Saiba que quando estivermos presos em nossas limitações, às nossas crenças, devemos lembrar que “Deus lutará por nós”. Portanto, uma pergunta importante a ser feita é: como saber se o que estou fazendo é a vontade de Deus? Para encontrar resposta dessa indagação, construa critérios baseados na Palavra.

Quanta pressão Neemias sofreu ter que lidar com a oposição a todo momento. A visão dele era como a de Noé, no longo prazo: “Estou fazendo uma grande obra” (Ne. 6: 3). Neemias considerou o trabalho para Deus como “grande” e mais importante, porque ele percebeu que a honra do nome de Deus estava em jogo em Jerusalém.

Outra maneira de avaliar a persistência e fé de Neemias está na administração dos conflitos. Isto porque a oposição e desânimo era presente, existiam inimigos abertos e amigos fingidos.  Tão propício para os nossos dias, a causa de Deus continua a mesma. Ele quer nos libertar da escravidão deste mundo. Em qualquer ambiente, nossa casa, trabalho ou até mesmo na igreja devemos nos atentar, não apenas pela raiva, desprezo e crueldade dos inimigos, mas pela indolência, inconsistência, morno e traição de amigos e ajudantes declarados, como diz Ellen G. White, Profetas e Reis.

O fracasso dos inimigos de Neemias teve duas razões. Ele não era excepcional, essas razões não estavam presas na sua pessoa.  Partiram de atitudes: devoção à obra e firme confiança em Deus.

Não devemos enxergar a perseguição e acusação como algo perturbador ou privilégio único. Pois o próprio Jesus foi acusado de violar o sábado, João 9:14-16. A resposta foi simples e objetiva aos acusadores, como pode ser visto em João 10:11-21, baseadas nas mesmas atitudes de Neemias.

Querido leitor, quando o propósito e as razões se intercalam com o objetivo de Deus, a acusação e oposição desaparece. É como se o mal, quisesse fixar raiz na areia, sem êxito, pois ali encontrará pouco apoio.

(Comentário escrito por Mariucha Ruis, membro da igreja do UNASP Hortolândia)

 

 

Os comentários estão encerrados.