Culto de Adoração com Pr. Helbert Almeida 27/10/18
26/10/2018
Meditação diária de 27/10/2018 por Flávio Reti
27/10/2018

O segredo para a unidade

Imagine-se em pé na esquina de um cruzamento entre duas grandes avenidas de uma metrópole. Sons, luzes, pessoas e carros por todos os lados, cada um em seu ritmo, buscando resolver a sua própria necessidade. Todos distintamente diferentes, cada um denunciando nitidamente sua “tribo”, suas preferências e suas mais profundas inclinações egoístas… Não é difícil imaginar, não é mesmo? Talvez porque essa seja uma cena muito comum em qualquer cidade grande, e não era diferente em Éfeso. Éfeso era um grande centro comercial e tinha uma grande diversidade de pessoas. A igreja também refletia essa realidade, era formada por judeus, gentios, escravos e livres da Ásia e Europa. Fica fácil acreditar que um grupo assim não prosperaria, por tanto, o tema central da epístola dos Efésios é a união entre os seguidores de Cristo.

A unidade é o único meio que alcançaria os objetivos de Deus para o homem, e ela só seria possível em Cristo. Assim como Ele e o Pai são um, temos que ser UM com Cristo. O amor de Deus nos chama para sermos Seus filhos, herdeiros das bênçãos e responsabilidades, adotados para pertencer a família de Deus. O propósito de Deus no plano da redenção é reunificar tudo, e Ele é a chave dessa união.

Sua morte na cruz, nos atribuiu o valor máximo, pois doando Seu único filho, Deus doou o céu inteiro e no derramamento de Seu sangue, nos fez um. Mesmo assim, por meio de nossas inclinações naturais, construímos “muros” de separação de raça, cor, sexo e religião. Precisamos viver a realidade de igualdade. Cristo derrubou todo e qualquer “muro” que nos separava, nos aproximou por seu sangue, fez judeus e gentios irmãos por meio dEle e essa união só pode ser fundamentada no princípio essencial de Deus: o amor.

Uma igreja desunida e em conflito, desonra a religião que leva o nome de Jesus ao mundo e dá brechas para que os inimigos da verdade, justifiquem seus atos e falem contra a palavra de Deus. Por tanto, para cultivar a unidade na igreja, inspirar e nutrir todos os irmãos, Deus levanta líderes. Líderes estes que devem ter em Cristo o exemplo supremo, para habilitar outros a alcançar perdidos e abreviar a vinda do Rei. Como dons espirituais, o de liderança não foi dado para conseguir vantagens ou visibilidade. Assim como Cristo, o líder deve estar preparado para servir e não ser servido.

Não nos é natural a humildade e consideração com o nosso próximo genuinamente, mas essa sujeição uns com os outros é uma característica da plenitude do Espírito. Paulo enfatiza em Efésios que o ponto de partida para receber a plenitude é o lar. O amor e respeito entre marido e mulher é comparado a Cristo e sua igreja e esse sentimento e devoção deve ser estendido a todos os nossos outros relacionamentos. Quando o nosso lar estiver cheio do Espírito, todos os outros relacionamentos também se encherão do amor do Pai.

Deus em sua grande misericórdia, nos presenteou com bênçãos espirituais que nos tornam filhos legítimos, que nos perdoa de TODO e qualquer pecado, que nos dá a redenção, mas que também restaura nossos relacionamentos. Ligados a Ele, somos transformados, nossas atitudes e ações transbordam esse amor e isso promove a verdadeira união. Não tenho duvidas de que é desígnio de Deus que essas instruções aos Efésios, de tanto tempo atrás, cheguem até nós hoje, em um tempo de tanta diversidade e desunião. É necessário que voltemos os olhos para nosso lar, nossos relacionamentos, nosso coração e sinceramente perguntemos: Em que lugar está Cristo? Pois assim como Efésios 2:19-22 diz que Cristo é a pedra angular e que tudo o que for edificado sobre ela será edificado para habitação de Deus no Espírito, entendemos que se Ele não for o centro de nossas vidas e igreja, Ele não terá como cumprir o Seu papel. Por tanto, em que lugar está Cristo?

[Comentário: Merlyn Göese Schveitzer]

Os comentários estão encerrados.