Meditação diária de 19/04/2017 por Flávio Reti
19/04/2017
Meditação diária de 20/04/2017 por Flávio Reti
20/04/2017

Comentários da Lição 4 (2o Trim/2017) por Flavio Reti

LIÇÃO 4 – RELACIONAMENTO SOCIAL

– Essa lição de certo modo incomoda, porque trata de relacionamento social
-Aí tem a ver com nossos costumes, sistema social, sistema econômico, nosso tipo de governo
-A chave para a saída das perguntas que a lição vai propor está no verso áureo
-Que é tendo amor intenso uns pelos outros.
-Em que situação se encontravam os crentes nos dias de Pedro?
*Governo corrupto. Opressor, explorador que era o Império Romano
*Alguns cristãos mantendo outros cristãos escravos, algo inadmissível
*Maridos maltratando as esposas, que era e ainda é o regime dos árabes
*As práticas sociais, os negócios comerciais, todos corrompidos pelo sistema
-Mas hoje é diferente, não melhorou? Errado! Hoje está muito pior, vivemos o capitalismo cruel
-Hoje o governo é corrupto, o povo é corrupto, escravos de várias modalidades
-Hoje maridos maltratam as esposas e os filhos. Não vivem o que pregam
-Hoje os laboratórios criam doenças para depois vender medicamentos. Criam doenças para obter lucro
-Hoje os governos criam armas poderosas, letais, com o dinheiro da educação, da saúde
-E nós, como lidamos com tudo isso? Filiamo-nos aos sindicatos, fazemos protestos nas ruas
-Os que não fazem isso vivem de forma neutra, o mesmo que apoiar
-Como viver neste mundo e não ser deste mundo! Amar indiscriminadamente? Também não!

DOMINGO – IGREJA E ESTADO
-Pedro escreveu ao conversos: Sujeitai-vos a todas autoridade por amor do Senhor (Veja 2:13-17)
-Digamos que ele estivesse escrevendo para os crentes do Brasil, como seria recebida sua carta?
-Difícil isso – Como vamos nos sujeitar a gente corrupta, se todos merecem estar na cadeia?
-Leia 2:17- Honrai a todos, amai aos irmãos, temei a Deus e honrai ai rei (ou ao presidente)
-Exatamente por isso a carta de Pedro é para nós também hoje
-Se naquele tempo o sistema imperial era autocrático e corrupto, imagine como é hoje
-Se aquela carta era adequada para os crentes daquele tempo, ela é também para nossos tempos
-A despeito de tudo, devemos ser exemplos de lisura, de honestidade e de obediência às leis
-Devemos ser cidadãos que possam servir de referência aos demais cidadãos do país
-A Lava-jato está aí clamando como pedras: Não furtarás, nãos dirás falso testemunho
-A igreja não pode ser dirigida pelo Estado e o Estado não pode sofrer por causa dos crentes
-A igreja não deve se envolver com política, nem se candidatar e nem promover esse ou aquele partido
-Se você aceita Ellen White, então, leia o que ela escreveu:
“Os mestres, na igreja ou na escola, que se distinguem por seu zelo na política, devem ser destituídos sem demora de seu trabalho e suas responsabilidades; pois o Senhor não cooperará com eles. O dízimo não deve ser empregado para pagar ninguém para discursar sobre questões políticas. Todo mestre, pastor ou dirigente em nossas fileiras, que é agitado pelo desejo de ventilar suas opiniões sobre questões políticas, deve-se converter pela crença na verdade, ou renunciar à sua obra. Sua influência deve ser a de um co-obreiro de Deus no conquistar almas para Cristo, ou devem ser-lhe cassadas as credenciais. Se ele não muda, há de ser nocivo, apenas nocivo” (Fundamentos da Educação Cristã, 477)
-O assunto é polêmico e perigoso, mas temos suficiente orientação do Espírito de Profecia
-Devemos ser corretos e obedientes às autoridades em tudo que elas fizerem com coerência bíblica
-Se não pode sonegar, não vamos sonegar. Se não pode passar de 120, não vamos passar

SEGUNDA – MESTRES E ESCRAVOS
-Pedro toca num assunto delicado: A escravidão, aceita como coisa normal para seus dias
-O império romano vivia às custas de escravos. Nunca tais coisas têm fundamento bíblico
-Quem autorizou um ser humano escravizar o outro? De onde veio essa noção?
-Ou vale a lei do amor, que é de DEUS e está na Bíblia, ou a lei que é do inimigo
-Os Israelitas faziam escravos e eles mesmos foram também escravos
-Foram escravos no Egito, depois já nos tempos dos juízes, depois em Babilônia
-Não causa espanto que pagãos e idólatras fizessem escravos, mas o povo de Deus causa
-Os escravos geralmente eram derrotados de guerra, nascidos em classes inferiores
-Alguns se vendiam por dívidas, mas a maioria era escravizada pela dominação romana
-Pedro deixa entender que os escravos estão mais perto de Deus do que seus senhores
-Pedro falaria hoje a mesma coisa dos funcionários maltratados ou explorados em uma empresa
-Mas Pedro tem uma lógica: Que se fossem castigados, que fosse por realizar um bom trabalho
-Porque é melhor ser castigado injustamente do que por merecimento
-Vergonhoso seria ser castigado por ser relaxado, por merecer, por justa causa
-Pedro não fala dos escravizadores, mas fala do amor que deveria existir, e isso basta
“Cristo aguarda com fremente desejo a manifestação de Si mesmo em Sua igreja. Quando o caráter de Cristo se reproduzir perfeitamente em Seu povo, então virá para reclamá-los como Seus” (Eventos Finais, 39; Parábolas de JESUS, 69)

TERÇA – ESPOSAS E MARIDOS
-Pedro escreveu para mulheres cujos maridos não eram cristãos e alguns que eram
-Fica claro quando ele diz: Se alguns ainda não obedecem à palavra… (3:1)
-Logo não escreveu somente para esposas cujos maridos não eram cristãos
-As mulheres não tinham, naquele tempo, tantos direitos como têm hoje nos países democráticos
-Em ambiente pagão, as mulheres sempre foram inferiorizadas em relação aos homens
-Pedro sugere que elas fossem submissas, mas em posição estratégica
-Visando conquistá-los de maneira que não entendessem como rebeldia delas
-Os homens não devem ser machistas e nem as mulheres feministas
-“Amais-vos cordialmente, como Cristo amou sua igreja e a si mesmo se entregou por ela”
-Essa é a regra, o amor. A cortesia cristã deve reinar em cada lar
-“Não é o propósito do Criador que nossa individualidade se dissolva na de outro; Ele deseja que possuamos nosso próprio caráter, abrandado e santificado por Sua encantadora graça” (Refletindo a CRISTO, MM 1986, 182)

QUARTA – RELACIONAMENTOS SOCIAIS
-Pedro orienta que os cristãos se abstenham das paixões carnais
-Hoje existem drogas, existem festas para os jovens, que duram noites inteiras e até vários dias
-E onde fica nosso exemplo aos “gentios” que não conhecem o que conhecemos?
-Um cristão deixa tudo limpo por onde passa, não joga lixo na rua, é cuidadoso no trânsito
-Lembra dos japoneses nos jogos olímpicos no Brasil. Eles limpando o lixo dos outros?
-Sujeitar-nos a todas instituições humanas, tais como, governos, exército, polícia, judiciário, poder legislativo, empresas, escolas, igrejas, partidos políticos, sindicatos, instituições de lazer, hospitais, bancos
-Podemos não concordar com o que afirmam algumas dessas instituições, mas devemos respeitar.
-Praticar o bem para emudecer nossos oponentes ou os que não concordam conosco.
-“Jesus não suprimia da verdade uma palavra que fosse, mas sempre a proferia com amor. Em Seu convívio com o povo exercia o maior tato, dispensando-lhes atenta e bondosa consideração. Não era nunca rude, jamais pronunciava desnecessariamente uma palavra severa; nunca motivava dores desnecessárias a uma alma sensível. Não censurava as fraquezas humanas. Dizia a verdade, mas sempre com amor. Denunciava a hipocrisia, a incredulidade e a injustiça; mas o pranto transparecia em Sua voz quando proferia Suas fulminantes repreensões. Chorou sobre Jerusalém, a cidade que amava, e que recusava recebê-Lo a Ele” (Caminho a Cristo, p.12)
-Uma pessoa magoada é como uma ferida que se nega a sarar

QUINTA – CRISTIANISMO E A ORDEM SOCIAL
-Vimos que o cristão deve viver em submissão às autoridades constituídas
-Mas, e quando as leis dos homens conflitam com as leis de Deus?
-É delicado o assunto. É uma grave questão e é perigoso emitir opinião
-Podemos errar e obedecer aos homens quando deveríamos obedecer a Deus
-Ou podemos escolher desobedecer aos homens e sermos presos e processados
-O conselho de Pedro é um tanto subversivo: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens
-Isso é contraditório aos interesses dos governos humanos e pode haver retaliação drástica
-Logo vem aí o decreto dominical. Nós vamos entrar num beco de difícil saída
-Temos que escolher: Melhor é ser castigado injustamente do que não ser castigado e perder a vida eterna
-Em Atos 5:27 temos a história da prisão de Pedro e João porque pregavam com poder
-Eles pregavam sobre a ressurreição de Jesus e seu poder, sua doutrina, suas promessas
-Isso aumentava o número de interessados que queriam ouvi-los. Muita popularidade irrita as autoridades
-Prenderam Pedro e João, mas de madrugada um anjos os tirou de lá sem que alguém visse
-No dia seguinte os dois estavam ensinando no templo, exatamente no lugar que o sinédrio não permitia
-Foram levados novamente diante das autoridades e perguntados por que estavam ensinando outra vez
-Não haviam sido proibidos de ensinar em nome de Jesus, considerado “o falecido”?
-Daí que veio a resposta direta e fria: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens (5:29)
-Combater contra Deus é o mesmo que apoiá-lo, porque ele é sábio demais para ser combatido
-Logo chegará o tempo em que devemos escolher a quem obedecer
-E essa escolha será decisiva para a vida eterna ou para a perdição eterna
-Haverá 144 mil separados. Será que você vai fazer parte deles? Vai estar em pé naquele grande dia?

SEXTA – CONCLUSÃO
-O governo celeste tem por base única a obediência. Todos os cidadãos precisam ser obedientes
-Se alguém desobedece, não é o governo de DEUS que se desestabiliza, mas esse alguém
-Mesmo nos governos da Terra, onde não há obediência, há desordem
-O Brasil é um bom exemplo disso, a partir do Congresso Nacional e dos grandes empreiteiros
-É por isso que é mais importante obedecer a DEUS que aos homens
-Ele tem um reino eterno com vida eterna, os homens têm reinos passageiros e logo morrem.

Os comentários estão encerrados.