Meditação diária de 14/01/2017 por Flávio Reti
14/01/2017
Meditação diária de 15/01/2017 por Flávio Reti
15/01/2017

Comentários da Lição 3 (1o Trim/2017) por Ligado na Videira

Vimos, na Lição 1, que o nosso Senhor Espírito Santo nos presenteou com as Sagradas Escrituras – o Livro que nos leva até Jesus Cristo [ou seria melhor: “o Livro que traz Jesus Cristo até nós”?]. Bem, é pelas Escrituras que Ele achou por bem nos explicar a respeito da entrada da humanidade no conflito entre Deus e Satanás, e sobre o maravilhoso Plano para a nossa redenção, através da segunda pessoa da Divindade, o nosso Senhor Jesus Cristo. Seríamos pessoas muito tristes se nada soubéssemos dessas coisas. Nossa condição estaria piorada se andássemos sem a Sua luz.

Na semana passada, na Lição 2, vimos, pela própria Bíblia, que Deus, o Espírito Santo, age em favor de nossa salvação – porém, o faz nos bastidores. Enquanto Cristo assumiu a posição no palco central, Ele, o Espírito Santo, trabalhou sem ser visto – se bem que notado – e assim fez porque assim quis fazer.

Para esta nova semana, a Lição 3, veremos um pouco sobre a divindade do Espírito Santo – tema que, infelizmente, ainda não é aceito por alguns de nossos irmãos. E, bem por isso, prefiro iniciar pedindo cuidado, respeito. Respeito a Deus, respeito aos nossos semelhantes. Não alfinetemos ninguém. A Lição não é para chicotear. Não entremos no terreno da discussão.

É apropriado dizer que não fomos chamados para ser advogados do Espírito Santo. Apenas testemunhas.

Bem, preparem-se para usar bastante a Bíblia.

No domingo, Pedro disse que Ananias havia mentido ao Espírito Santo, e que tal ato não era contra algum homem, mas a Deus. Assim, o apóstolo de Cristo nos revela o seu entendimento, bem como o da igreja primitiva: o Espírito Santo é Deus.

[Observação: para o bom andamento da Lição, não use a história de Atos 5 para falar de Ananias e Safira, nem de dízimos e ofertas, nem de votos, e nem de juízo rápido e terrível. Para hoje, fale apenas que Pedro e a igreja reconheciam que o Espírito Santo é Deus].

Na segunda, através de ações do Espírito Santo, vemos atributos que só podem ser atribuídos a Deus. Portanto, o Espírito Santo é Deus.

Onisciência – “Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que O amam. Mas Deus no-lo revelou pelo Espírito; porque o Espírito a todas as coisas perscruta, até mesmo as profundezas de Deus. … As coisas de Deus ninguém as conhece, senão o Espírito de Deus” (1Coríntios 2:9-11).

Onipresença – “Para onde me ausentarei do Teu Espírito? Para onde fugirei da Tua face? Se subo aos céus, lá estás; se faço a minha cama no mais profundo abismo, lá estás também; se tomo as asas da alvorada e me detenho nos confins dos mares, ainda lá me haverá de guiar a Tua mão, e a Tua destra me susterá” (Salmos 139:7-10).

Eternidade – “Se o sangue de bodes e de touros e a cinza de uma novilha, aspergidos sobre os contaminados, os santificam, quanto à purificação da carne, muito mais o sangue de Cristo, que, pelo Espírito eterno, a Si mesmo Se ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas, para servirmos ao Deus vivo!” (Hebreus 9:13 e 14).

Onipotência – “Disse Maria ao anjo: ‘Como será isto [referente sua gravidez], pois não tenho relação com homem algum?’ Respondeu-lhe o anjo: ‘Descerá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te envolverá com a Sua sombra; por isso, também o Ente santo que há de nascer será chamado Filho de Deus’” (Lucas 1:34 e 35).

Continuando a Lição, na terça, mais passagens bíblicas nos são apresentadas, e vale a pena serem lidas. Em cada uma delas, em paralelo, vemos que  Espírito Santo é Deus.

1) Isaías 63:10-14; Números 14:11; Deuteronômio 32:12.

2) 2Samuel 23:2 e 3.

3) 1Coríntios 3:16 e 17; 1Coríntios 6:19 e 20.

4) 1Coríntios 12:11 e 28.

Na quarta, mais textos:

1) Tito 3:4-6; Romanos 8:2.

2) Isaías 6:8-10; Atos 28:25-27.

3) 2Pedro 1:21; 2Timóteo 3:16.

4) Romanos 8:11.

Na quinta, ainda alguns textos: 1Pedro 1:2; 2Coríntios 13:14; Mateus 28:18 e 19.

Para conclusão, relaciono alguns textos do Espírito de Profecia:

“O Espírito Santo é o representante de Cristo, mas despojado da personalidade humana, e dela independente. Limitado pela humanidade, Cristo não poderia estar em toda parte em pessoa. Era, portanto, do interesse deles [dos discípulos] que [Cristo] fosse para o Pai, e enviasse o Espírito como Seu sucessor na Terra” (Maravilhosa Graça de Deus, pág. 189).

“O príncipe da potestade do mal só pode ser mantido em sujeição pelo poder de Deus na terceira pessoa da Trindade, o Espírito Santo” (Evangelismo, pág. 617).

“A natureza do Espírito Santo é um mistério. Os homens não a podem explicar, porque o Senhor não lho revelou. Com fantasiosos pontos de vista, podem-se reunir passagens da Escritura e dar-lhes um significado humano; mas a aceitação desses pontos de vista não fortalecerá a igreja. Com relação a tais mistérios – demasiado profundos para o entendimento humano – o silêncio é ouro” (A Fé Pela Qual Eu Vivo, pág. 54).

“Que ninguém se aventure a explicar a Deus. Os seres humanos não podem explicar-se a si mesmos; como, pois, ousam aventurar-se a explicar Aquele que é onisciente?” (Medicina e Salvação, pág. 92).

“Não é essencial que sejamos capazes de definir exatamente o que seja o Espírito Santo” (E Recebereis Poder, pág. 11).

Os comentários estão encerrados.