NOVO ENCONTRO: Série “Novo Encontro com a Saúde” – Ministério da Saúde
29/06/2018
Meditação diária de 30/06/2018 por Flávio Reti
30/06/2018

Comentários da Lição 13 (2o Trim/2018) por Pr Narcizo Liedke

Lição 13 – A volta do nosso Senhor Jesus

Introdução

Última lição do trimestre. Foi uma experiência muito enriquecedora para mim. Espero que tenha contribuído para que os leitores crescessem no entendimento destas lições tão importantes para os tempos que estamos vivendo.

Ficou bastante claro a importância de entendermos os eventos finais e as doutrinas que serão cruciais para a nossa experiência. Considerando que além de entender precisamos nos posicionar, agindo de acordo com nossas convicções recomendo que estudemos com mais dedicação e que assumamos com coragem uma postura coerente com a vontade Divina.

O nome de nossa igreja, Adventista do Sétimo Dia, carrega consigo duas crenças fundamentais: a criação por um ato Divino e a consequente guarda do memorial da criação, o sábado, e a volta de Jesus.

Por maior que seja o intervalo de tempo entre a criação do mundo (nosso princípio) e a segunda vinda de Jesus (nosso fim, pelo menos o fim dessa existência pecaminosa), esses eventos estão ligados. O Deus que nos criou (Jo 1:1-3) é o mesmo que voltará e, “num momento, num abrir e fechar de olhos, ao ressoar da última trombeta” (1Co 15:52), trará nossa redenção suprema. Em nosso princípio, de fato, encontramos nosso fim.

 

O Dia do Senhor

Meu avô, pastor Germano Streithorst, começou a pregar sobre a volta de Jesus em 1915 quando chegou ao Brasil vindo da Alemanha. Meu pai, pastor Narcizo Raul Liedke, pregou sobre a volta de Jesus enquanto teve folego. Ambos estão mortos. Sepultados no cemitério de Sumaré. Eu preguei sobre o retorno de Jesus e hoje estou aposentado. Por mais tempo que já tenha passado, eles e eu nunca tivemos a menor dúvida sobre esta promessa de Jesus: “vou preparar um lugar e voltarei”. Por mais que demore, nunca duvide desta promessa de Jesus.

“Certamente o “dia do Senhor” será um dia de destruição, sofrimento e confusão para os perdidos. Mas também será um dia de libertação para todo o povo de Deus, os que forem achados inscritos no livro (veja também Fp 4:3; Ap 3:5; 13:8).”

Daniel e a segunda vinda de Cristo

“Talvez nenhuma outra passagem do Antigo Testamento revele tão claramente quanto Daniel 2 a verdade de que o novo mundo não será uma evolução do antigo, mas uma criação nova e radicalmente diferente.

Daniel 2 revela o surgimento e a queda de quatro grandes impérios mundiais – Babilônia, Média-Pérsia, Grécia e, finalmente, Roma, que depois se divide nas nações da Europa moderna. Contudo, o sonho de Nabucodonosor a respeito da estátua (que simboliza a sucessão desses quatro grandes poderes mundiais) termina de maneira espetacular, revelando a grande diferença entre este mundo e o que virá após a volta do nosso Senhor Jesus Cristo.

Entretanto, a pedra que destruiu todos os vestígios deste nosso mundo “se tornou em grande montanha, que encheu toda a Terra”. E o novo reino, que surgirá como resultado da segunda vinda de Jesus, “não será jamais destruído” e “subsistirá para sempre” (Dn 2:44).

Apenas um desses dois destinos aguarda todo ser humano que viveu neste planeta. Ou estaremos com Jesus pela eternidade, ou seremos reduzidos à inexistência, desaparecendo com a palha deste mundo. De uma maneira ou de outra, a eternidade aguarda todos nós.”

Perspectivas em longo prazo

Não há nenhuma esperança para a Terra e o Universo, se pensarmos como os evolucionistas. Como começou, com o passar dos tempos serão destruídos. Não há nenhuma esperança.

”Em contrapartida, o conceito bíblico acerca da nossa origem não é apenas muito mais lógico do que essa visão, mas também muito mais esperançoso. Graças ao Deus do princípio, nossas perspectivas em longo prazo são muito boas. Temos muitas razões para ter esperança no futuro, e essa esperança está fundamentada na promessa da segunda vinda de Jesus.”

Nas nuvens do céu

Infelizmente muitos cristãos tem uma ideia equivocada de como ocorre a segunda vinda de Jesus. A Bíblia deixa este assunto bem claro, a volta de Jesus será:

– Física, real;

– Todo verão;

– Os mortos ressuscitarão.

Os vivos e os mortos

“Os que acreditam em Jesus, de fato, morrem. No entanto, como Ele disse, ainda que morram, eles tornarão a viver. Esse é o significado da ressurreição dos mortos. Ela torna a segunda vinda de Jesus essencial à nossa esperança.

A grande esperança da segunda vinda de Cristo é que, assim como o próprio Jesus ressuscitou, Seus fiéis seguidores de todos os tempos também serão trazidos de volta à vida. Na ressurreição de Jesus, eles têm a esperança e a certeza de sua própria ressurreição.

Os fiéis que estiverem vivos por ocasião do retorno de Jesus, manterão um corpo físico, mas não em seu estado atual. De maneira sobrenatural, o corpo deles será transformado no mesmo tipo de corpo incorruptível dos ressurretos. “Os justos vivos são transformados ‘num momento, num abrir e fechar de olhos’. À voz de Deus foram eles glorificados; agora tornam-se imortais, e com os santos ressuscitados, são arrebatados para encontrar seu Senhor nos ares” (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 645).”

Comentário final

A Palavra de Deus é clara: Jesus voltara!

Querido leitor, acredite e viva de acordo com esta crença.

QUE MARAVILHOSA ESPERANÇA!!!

Os comentários estão encerrados.