Meditação diária de 11/03/2017 por Flávio Reti
11/03/2017
Meditação diária de 12/03/2017 por Flávio Reti
12/03/2017

Comentários da Lição 11 (1o Trim/2017) por Ligado na Videira

A Lição trata de um assunto extremamente importante. Não há assunto mais importante do que esse. Tem a ver com a salvação a mim proposta e a minha escolha a respeito disso. Tem a ver se deixo o Espírito Santo fazer a Sua obra completa em mim ou não.

A Lição está dividida assim: “Resistindo”, “Entristecendo” e “Apagando o Espírito Santo” e “A blasfêmia contra o Espírito Santo”. Será importante entender o que isso significa – mas, mais importante ainda será a aplicação pessoal. Não basta saber as definições teológicas a respeito do tema – temos que fazer uma aplicação – e essa aplicação não deverá ser para os outros, mas para mim mesmo: “O Espírito Santo está batendo na porta do meu coração, e eu vou abrir, e Ele vai entrar, e vai permanecer comigo, e vai cear comigo”. E haverá muita alegria no Céu!

E assim deve ser o desfecho da Lição – um desfecho positivo.

Não há razão para exterminar a esperança de ninguém. De ninguém! Nem de si próprio!

Como ponto de partida, sugerimos a leitura de “O que é pecado contra o Espírito Santo”, escrito por Pedro Apolinário, em Leia e Compreenda Melhor a Bíblia.

“Ninguém precisa considerar o pecado contra o Espírito Santo como coisa misteriosa e indefinível. O pecado contra o Espírito Santo é o pecado de persistente recusa de atender aos convites para arrependimento” (Para Conhecê-Lo, pág. 243 – Meditação Matinal de 25/08/1965).

“Não é Deus quem cega os homens ou lhes endurece o coração. Envia-lhes luz para lhes corrigir os erros e guiá-los por veredas seguras; é pela rejeição dessa luz que os olhos cegam e o coração se endurece. Muitas vezes o processo é gradual e quase imperceptível. A luz chega até à alma por meio da palavra de Deus, de Seus servos, ou diretamente por Seu Espírito; mas quando um raio de luz é rejeitado, dá-se o parcial entorpecimento das percepções espirituais, e a segunda revelação da luz é menos claramente discernida. Destarte aumenta a treva, até que se faz noite na alma” (O Desejado de Todas as Nações, capítulo 33 – Quem São Meus Irmãos?)

“As pessoas têm o poder de extinguir o Espírito de Deus; o poder de escolha é deixado com elas. Deus lhes permite liberdade de ação. Elas podem ser obedientes mediante o nome e a graça de nosso Redentor, ou podem ser desobedientes e sofrer as consequências. O homem é responsável por receber ou rejeitar a verdade sagrada e eterna. O Espírito de Deus está continuamente convencendo, e pessoas estão decidindo a favor ou contra a verdade” (Testemunhos Para a Igreja, vol. 3, pág. 428).

“A pessoa que é atraída repetidamente por seu Redentor, e despreza as advertências dadas, não cedendo a suas convicções no sentido de arrepender-se, nem atendendo quando é exortada a buscar perdão e graça, essa pessoa está em posição perigosa. Jesus a está atraindo, o Espírito sobre ela exerce Seu poder, insistindo que renda a sua vontade à vontade de Deus; e se é desprezado esse convite, o Espírito é ofendido e Se retira. O pecador prefere permanecer em pecado e impenitência, embora tenha provas suficientes para se animar na fé. Maior número de provas, já não lhe fariam bem. … Outra atração existe, à qual ele vai cedendo – é a atração de Satanás. Cede obediência aos poderes das trevas. Este procedimento é fatal e deixa a pessoa em obstinada impenitência. Esta é a blasfêmia mais comum entre os homens, e atua de modo muitíssimo sutil, até que o pecador não mais sinta remorso de consciência, nem arrependimento, e consequentemente não mais tem perdão” (Para Conhecê-Lo, pág. 244 – Meditação Matinal de 26/08/1965).

“O Espírito de Deus não será para sempre ofendido. Retirar-Se-á, caso seja ofendido por um pouco mais de tempo. Depois de ter sido feito tudo quanto Deus podia fazer para salvar os homens, caso eles mostrem por sua vida que menosprezam a oferecida misericórdia de Jesus, a morte será o quinhão deles e elevado o preço a ser pago. Será uma terrível morte; pois terão de sofrer a angústia sentida por Cristo, na cruz, a fim de adquirir para eles a redenção que recusaram” (Testemunhos Para a Igreja, vol. 1, pág. 124).

“… Aquele que rejeita a obra do Espírito Santo, assume uma posição que impede o acesso ao arrependimento e à fé. É pelo Espírito que Deus opera no coração; quando o homem rejeita voluntariamente o mesmo, e declara que é de Satanás, corta o conduto por onde Deus Se pode comunicar com ele. Quando o Espírito é afinal rejeitado, nada mais pode Deus fazer pela pessoa” (Maravilhosa Graça de Deus, pág. 213 – Meditação Matinal de 26/07/1974).

Aceita umas explicações a mais que encontramos nos escritos de Ellen White?

Cuidado com um coração duroNossa Alta Vocação, pág. 158

Os resultados de endurecer o coraçãoCristo Triunfante, pág. 103

Endurecimento do coraçãoVidas Que Falam, pág. 89

Termino aqui o comentário desta semana – mas não sem esta maravilhosa frase:

“Seja qual for o pecado, se a pessoa se arrepende e crê, a culpa é lavada no sangue de Cristo” (Maravilhosa Graça de Deus, pág. 213 – Meditação Matinal de 26/07/1974).

Os comentários estão encerrados.