Meditação diária de 06/03/2020 por Flávio Reti – Canga
06/03/2020
Meditação diária de 07/03/2020 por Flávio Reti – Canivete Suíço
07/03/2020

Comentários da Lição 10 (1o Trim/2020)

Lição 10: “Da Confissão à Consolação”

“Senhor, ouve-nos! Senhor, perdoa-nos! Senhor, olha para nós e faz alguma coisa! Senhor, não nos desprezes! Tua cidade e Teu povo são chamados pelo Teu nome, defende Teus interesses!” (Dn 9:19) – A Mensagem

Daniel não conseguiu entender o significado das 2300 tardes e manhãs. Ao pensar que poderiam ser 2300 anos, ficou mais intrigado ainda. Ele sabia, pela leitura de Jeremias, que o castigo para seu povo seria de 70 anos e estava chegando ao fim. Algumas perguntas ficaram sem resposta:

  • Será que nosso pecado foi tão grande que Deus aumentou o tempo do castigo e o tornou maior que 70 anos?
  • Como aconteceria a purificação de um santuário que havia sido destruído por Nabucodonozor?
  • Quando se iniciariam esses 2300 anos e até que data durariam? Soube que era algo para dias ainda muito distantes. O que haveria nesses dias? Tinha algo a ver com o povo de Deus?

Daniel adoeceu com tanta preocupação e aflição.

Discernimento: Descobrindo o Plano de Deus

O primeiro ano do reinado de Dario foi 539 a.C., ano da queda da Babilônia nas mãos de medos e persas. Essa grande vitória não foi surpresa para Daniel, pois Deus já havia lhe dito que o império dos medos e persas conquistaria Babilônia.

 A Palavra de Deus

Na Palavra de Deus sempre encontramos novidades. Não importa quantas vezes nós a lemos, sempre há algo novo a descobrir ou aprender. Daniel havia lido e estudado o livro de Jeremias e considerava que Deus havia revelado verdades importantes ao profeta. O exílio dos judeus em Babilônia não era um acidente, mas sim uma determinação de Deus, e o povo não seria liberto enquanto não chegasse o tempo determinado pelo Senhor.

O Que Fazer na Dúvida?

No momento de angústia e incerteza, mesmo conhecendo a Palavra de Deus, Daniel decidiu orar para o Deus da Palavra. Essa é a primeira vez que Jeová – o nome de Deus na aliança – é usado no livro de Daniel e aparece apenas nesse capítulo. É importante lembrar que, nesse tempo, Deus estava chamando a nação de Israel de “Lo-Ruhama – Desfavorecida” e de Lo-Ami – Não-Meu-Povo”, pois Israel havia quebrado a aliança. Quando se está fora da aliança, não se pode usar com sinceridade o nome pactual de Deus nem se pode esperar receber as bençãos da aliança.

 Um Apelo à Graça

Daniel achegou-se a Deus suplicando por misericórdia e perdão por si mesmo e por seu povo, e é esse tipo de oração que o Senhor Jeová deseja ouvir. Na verdade, a promessa de perdão foi escrita na própria aliança. “Mas se vocês confessarem seus pecados e os pecados dos seus antepassados – o comportamento traiçoeiro e a resistência que desencadeou minha resistência e os enviou às terras inimigas – se amolecerem o coração e se arrependerem do seu pecado, eu me lembrarei da minha aliança com Jacó, da minha aliança com Isaque e, sim, da minha aliança com Abraão. E me lembrarei da terra.” (Lv. 26:40-42) – A Mensagem

  • Daniel era um homem de oração. Tinha o costume de orar 3 vezes ao dia. A oração era uma parte essencial da sua vida.
  • Mesmo em terra estranha, Daniel orava no horário dos sacrifícios em Jerusalém. Seu corpo estava em Babilônia, mas sua mente e seu coração estavam em Jerusalém.
  • Daniel confessou os pecados do povo e inclui-se. Ele utiliza o pronome “nós”. Ele fazia parte do povo e estava assumindo o papel de intercessor. Daniel reconhece, diante de Deus, a condição pecaminosa do povo que os levou ao cativeiro.
  • Daniel pediu perdão pelos pecados passados e presentes do povo, incluindo os dele. Disse que não mereciam perdão algum, mas pedia misericórdia por meio da graça de Deus. Graça é um dom que Deus dá sem que mereçamos e sem que façamos ou possamos fazer alguma coisa para merecer. Deus nos dá o perdão sem que mereçamos.
  • Daniel fez um apelo a Deus, que jamais poderia ser desconsiderado por Ele. Que Deus os favorecesse, perdoando os pecados e os reconstituísse em sua pátria por causa do nome de Deus. Esse pedido lembra o pedido de Moisés – o cuidado para que os outros povos não zombassem e desprezassem o nome de Deus. Os povos pagãos julgam o Deus dos cristãos a partir do desempenho desses cristãos. Se não forem os melhores do mundo no que fazem, o Deus deles também não é grande coisa.
  • Daniel faz uma oração intercessora. A oração intercessora ocorre quando alguém ora por outra pessoa, para que algo aconteça na vida dela. Deus atende à intercessão, principalmente quando confessamos que não somos merecedores, que pecamos e necessitamos de Deus. Quem intercede, ele mesmo deve demonstrar uma mudança de atitude.

As 70 Semanas e a Obra do Messias

Antes que Daniel concluísse sua oração, um anjo – Gabriel – foi enviado para acalmar seu coração e dar as respostas que ele precisava. O anjo disse a ele: “Setenta semanas estão decretadas para seu povo e sua santa cidade, como forma de conter a rebelião, dar fim ao pecado, arrancar o crime pela raiz, estabelecer a justiça para sempre, cumprir a profecia e ungir o Lugar Santíssimo”. (Dn. 9:24) – A Mensagem

  • 70 Semanas – Haveria um tempo para os judeus se arrependerem
  • Conter a rebelião e dar fim ao pecado – O povo deveria se arrepender da rebeldia que os levou ao exílio ou seriam rejeitados como nação, para sempre. Essa expressão também se aplica a morte de Jesus que cessa a rebelião no sentido de tornar a salvação disponível através de Sua morte.
  • Arrancar o crime pela raiz – Referência ao que Jesus fez na cruz para que nossos pecados pudessem perdoados.
  • Estabelecer justiça para sempre – Por meio da morte de Jesus, somos considerados justos, como Ele foi justo.
  • Cumprir a profecia – Está no sentido de confirmar a profecia das 70 semanas e dos 2300 dias. Além disso, Jesus cumpriu em sua vida todo o ritual do santuário que apontava para Ele.
  • Ungir o Lugar Santíssimo – Refere-se à entrada de Jesus no lugar santíssimo do santuário celeste. Após Sua ressurreição, Jesus assumiu a função de sacerdote, intercedendo por todos nós. Em 1844, Ele entra no Lugar Santíssimo para o tempo de expiação, onde intercede e julga. O julgamento começa por todos aqueles que já morreram e segue com o julgamento dos vivos. Vivemos hoje, num longo Dia da Expiação.
  • Calendário Profético
    • Início das 70 semanas – A Igreja Adventista entende que o início das 70 semanas coincide com o início dos 2300 dias. A data apontada na profecia é o decreto para a reconstrução de Jerusalém. Essa ordem saiu no ano 457 a.C., no sétimo ano do reinado de Artaxerxes.
    • 490 Anos divididos em 3 partes
      • 7 semanas ou 49 anos – essa primeira divisão de 49 anos é designada para a restauração e reconstrução de Jerusalém.
      • 62 semanas ou 434 anos – completa o período até o surgimento do Messias em 27 d.C.
      • 1 semana ou 7 anos
        • Começo da última semana – batismo de Jesus e início de Seu ministério.
        • Metade da semana – morte de Jesus trazendo perdão de pecados e fazendo cessar o sacrifício.
        • Fim da semana – Ano 34 d.C. – morte de Estevão e a rejeição do povo judeu como nação escolhida.

Colocando em Prática

  1. Vivemos um tempo em que temos muitas perguntas e dúvidas. Semelhante a Daniel, temos a sensação de que Deus se esqueceu de nós e do nosso sofrimento.
  2. A palavra de Deus continua sendo nossa única segurança e conforto em meio às tribulações e angústias desse mundo.
  3. A dúvida e a incerteza devem nos levar a uma vida de mais oração e menos questionamento.
  4. Mesmo estando e vivendo no mundo (terra estranha), precisamos manter nosso coração em Jerusalém, nas promessas e na habitação de Deus.
  5. Precisamos de mais pessoas dispostas a orar, intercedendo por nós e por nossa igreja. Se orarmos mais, experimentaremos os benefícios da graça que Jesus nos oferece gratuitamente.
  6. O cumprimento das profecias deve reforçar a nossa fé no cumprimento de profecias futuras.
  7. Devemos fazer nossas escolhas sempre ao lado de Deus. Aqueles que escolhem viver com Deus jamais serão rejeitados por Ele.

Baseado nos seguintes textos:
WIERSB. Warren W. Comentário Bíblico Expositivo. Volume 4. Proféticos

MARKS, Sikberto. cristovoltara.com.br/lição-10-da-confissao-a-consolacao

HASEL, Gerhard. Por que o ano de 457 a.C. é o início da contagem dos 490 anos de Daniel 9:24-27. Publicado em: leandroquadros.com.br/inicio-490-anos-de-daniel-924-27

Por Wanderson Feldkircher Paiva

Os comentários estão encerrados.