Culto de Adoração (Sábado 05/10/2019)
04/10/2019
Meditação de Pôr do Sol 04/10/2019 por Maria Julia Stamado Marques
04/10/2019

Comentários da Lição 1 (4o Trim/2019) por Classe dos Pais

1 – Entendendo a história: Zorobabel e Esdras

“Assim diz Ciro, rei da Pérsia: O Senhor, Deus dos Céus, me deu todos os reinos da Terra e me encarregou de Lhe edificar uma casa em Jerusalém de Judá “ (Ed 1:2).

A Bíblia a partir do capítulo 3 de Gênesis se ocupa em nos revelar a Deus e Sua forma de agir e intervir na história, de maneira que pudéssemos compreender que a despeito da entrada do pecado no mundo, não estamos abandonados a nossa triste sorte. Ele continua sendo o soberano do universo e conduz a história respeitando nossas escolhas, mas intervindo quando necessário, a fim de cumprir seu propósito maior que é salvar a humanidade. Para tanto usa seus escolhidos, autoridades seculares descrentes e até mesmo animais como no caso de Balaão.

Nesse trimestre estudaremos 2 livros históricos: Esdras e Neemias.

Em primeiro lugar vamos conhecer esses personagens:

Quem era Esdras? Esdras ‪7:10 nos conta que se tratava de um sacerdote da linhagem de Arão que mesmo estando em Babilônia onde não tinha como exercer sua função se ocupou em estudar com profundidade a palavra de Deus conhecida na época, bem como a ciência e a cultura dos caldeus onde vivia no exílio, mas não só era um profundo conhecedor das coisas de Deus como escolheu por em prática em sua vida e ensinar o povo a respeito do Deus de Israel.

Aplicação 1- Estamos vivendo momentos semelhantes. Estamos indo de retorno a canaã, como devemos ocupar nosso tempo? Estamos estudando com profundidade a palavra de Deus? Quando a oportunidade chegou encontrou em Esdras um homem preparado para enfrentar o desafio e cumprir o propósito dEle.

Neemias era um homem prático, um governador. É da junção do conhecimento e da prática que podemos fazer grandes coisas pelo Senhor. Por sua constante desobediencia a Deus, chegou a um nível tamanho de corrupção e afronta aos ensinos de Deus chegando ao extremo de oferecer seus filhos em sacrifício a outros deuses, e Deus permite que colham as consequências de suas escolhas; resultado: foram conquistados e levados cativos para Babilônia, mas não sem antes revelar através do profeta Jeremias que esse cativeiro tinha data para terminar, seriam 70 anos.

Aplicação 2- Nada nessa vida dura para sempre. Se tudo está as mil maravilhas não se empolgue, vai passar.

Mas se tudo parece estar desabando e você não vê sada, não se desespere porque vai passar. A única coisa nessa Terra que não passa é a palavra de Deus. Ele é fiel e a história nos mostra que Ele cumpre o que promete.

Os setenta anos haviam passado e Daniel se angustia porque não vê no horizonte nenhum sinal de mudança. Babilônia foi conquistada pelos Medos e Persas, mas o povo continuava cativo e o templo e a cidade de Jerusalém destruídos.

Porém Deus usa Ciro, seu servo, para dar ordens para que o povo possa voltar e reconstruir o templo 537 a.C, sob o comando de Zorobabel. 50 000 pessoas voltam e o templo é reconstruído. Essa reconstrução será tema de nossos estudos nesse trimestre. Ela se dá em três etapas:

537 a.C por decreto de Ciro 50 000 pessoas reconstroem o templo.

457 a.C por meio de Esdras 1500 homens mais ou menos 6000 pessoas restauração das verdades bíblicas reavivamento espiritual.

444 a.C liderada por Neemias voltam e reconstroem os muros e restauram a soberania.

Por que são importantes essas datas? Pois segundo Daniel 9:25, é em 457 que se tem início a contagem do maior período profético da Bíblia cujos eventos profetizados se cumprem exatamente nas datas determinadas provando mais uma vez que Deus cumpre o que diz: Ele não intervem na história sem antes revelar aos seus servos, os profetas, o que irá ocorrer isso nos dá segurança de sabermos com antecedência como será o final da História, bem como onde estamos e qual o papel que devemos empenhar para que possamos ser agentes ativos no cumprimento das profecias.

Vamos aproveitar o estudo desses livros e acrescentaria também Ester para que tenhamos um conhecimento mais profundo da história e possamos descobrir o que ela tem a ver conosco.

Lembre se ainda estamos em Babilônia, o convite está feito, é hora de voltarmos para casa. Enquanto somos estrangeiros não nos acomodemos com os costumes daqui, pelo contrário façamos como Esdras, estudemos a Palavra, tenhamos uma vida coerente com nossas crenças, oremos para que Deus nos transforme e nos use para que possamos nos envolver no Ensino da Palavra e na prática de boas obras.

(Comentário escrito por Marcia Schweitzer, membro da igreja do UNASP Hortolândia)

Os comentários estão encerrados.