Meditação diária de 09/10/2020 por Flávio Reti – Soprador de folhas
09/10/2020
Culto de Sábado
09/10/2020

Comentários da Lição 02 (4º Trim/2020)

Lição 2: A Família

“Filho meu, ouve o ensino de teu pai e não deixes a instrução de tua mãe” (Pv 1:8).

“Desde os tempos mais antigos, os féis em Israel haviam dado muita atenção à educação dos jovens. […] Cânticos, orações e lições das Escrituras deviam ser adaptados às mentes em desenvolvimento” (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 69).

Durante a maior parte da história da humanidade, a educação ocorreu principalmente nos lares, especialmente na infância. O que a Bíblia revela sobre a educação na família? Qual princípio podemos retirar dessa educação familiar para nós, seja qual for a situação da nossa família?

A primeira família

“O método de educação estabelecido no Éden era centralizado na família. Adão era o ‘filho de Deus’ (Lc 3:38), e era de seu Pai que os filhos do Altíssimo recebiam instrução. Tinham, no mais estrito sentido, uma escola familiar” (Ellen G. White, Educação, p. 33).

Leia Gn 1-2; 3:1-15; 2Co 4:6; Lc 10:27; Gl 3:11; Ap 22:12. Ao nos depararmos com esses textos, podemos ter certeza de que a educação, no primeiro lar, lidava com as maravilhas da criação e, após o pecado, com o plano da redenção.

No lar, a Bíblia deve ser preservada como a Palavra de Deus. É na família que revelamos como é um relacionamento saudável com nosso Pai celestial.

A história de Caim e Abel nos dá um lampejo sobre a questão do livre arbítrio, pois, embora a educação cristã seja a melhor opção em nosso mundo caído, ela nem sempre leva ao resultado esperado.

A infância de Jesus

Há, nas Escrituras, pouquíssimas informações sobre a infância de Jesus. Entretanto, é possível explicar um pouco de Sua infância e educação por meio das percepções que obtemos sobre o caráter de José e Maria. Os textos a seguir nos ajudam nesse propósito: Lc 1:26-38; Lc 1:46-55; Mt 1:18-24. Por meio desses textos, vemos que Maria e José eram judeus fiéis, que buscavam viver em obediência às leis e aos mandamentos de Deus. Evidentemente, eles foram bons e fiéis professores para o menino, mas, como a história de Lucas 2:41-50 revela, eles não compreendiam ainda muitas coisas sobre seu Filho, pois Jesus tinha conhecimento e sabedoria que somente Lhe haviam sido comunicados pelo Senhor.

Comunicação   

 Em um sentido muito real, educação em qualquer nível é comunicação. Se alguém possui muito conhecimento, mas não é capaz de comunicá-lo aos outros, de que serve tudo o que sabe, pelo menos em termos de ensino?

Além da comunicação, o relacionamento é um aspecto muito importante no que diz respeito à educação. “O verdadeiro professor pode transmitir a seus discípulos poucos benefícios tão valiosos quanto seu companheirismo.” (Ellen G. White, Educação, p. 212).

Quando os cristãos não se comunicam com Deus, mediante a leitura da Bíblia ou oração, o relacionamento deles com Deus fica estagnado. As famílias precisam de orientação divina se quiserem crescer na graça e no conhecimento de Cristo.

Leia Sl 37:7-9; Pv 10:31, 32; 27:17; Ef 4:15; 1Jo 3:18; Tt 3:1, 2; Tg 4:11.

Tomar tempo para semear a semente da comunicação não apenas prepara os membros da família para um relacionamento pessoal com Cristo, mas também ajuda a desenvolver relacionamentos interpessoais dentro da família. E mesmo que não tenhamos filhos, os princípios encontrados nesses textos podem funcionar para todos os tipos de relacionamentos.

A função dos pais

Leia Ef 5:22, 23, 25, 26; 1Co 11:3; 2Co 6:14; Rm 13:13, 14; 2Pe 1:5-7; Fp 4:8.

Os pais cristãos têm a obrigação moral de, por seu comportamento, apresentar um modelo bíblico de Cristo e da igreja. O casamento é uma analogia do relacionamento de Cristo com a igreja. Quando os pais se recusam a liderar, ou se lideram com tirania, estão apresentando uma imagem falsa de Cristo para seus filhos e para o mundo. Deus ordena a todos os pais cristãos que ensinem diligentemente seus filhos (veja Dt 6:7).

Em Deuteronômio 6:7, os filhos de Israel receberam instruções de como educar os filhos em relação às grandes coisas que o Senhor havia feito pelo povo. Após a cruz de Cristo, temos uma história mais significativa para contar. Essa é a responsabilidade dos pais, que pela graça de Deus é possível cumprir.

Entretanto, todos recebemos o dom sagrado do livre-arbítrio. Por fim, quando adultos, os filhos terão que responder por si mesmos diante de Deus.

Para não esquecer

Leia Deuteronômio 6. O que aprendemos nesse capítulo sobre os princípios da educação cristã?

A maravilhosa atuação de Deus entre os israelitas era central para tudo o que eles deveriam ensinar aos filhos. Além disso, foi muito clara a advertência dada de que eles não esquecessem tudo o que Deus havia feito por eles!

“A primeira professora da criança é a mãe. Nas mãos dela está em grande parte a educação da criança durante o período de seu maior e mais rápido desenvolvimento” (Ellen G. White, Educação, p.275).

Esse é o momento essencial em que os pais ministram aos filhos o amor e as promessas de Deus. Marcar um horário regular para ensinar pessoalmente a sabedoria e as promessas de Deus aos seus filhos terá um impacto positivo em sua família nas próximas gerações.

Conclusão

“Sobre os pais e as mães recai a responsabilidade do primeiro ensino à criança, tanto quanto do ensino posterior; e a ambos os pais é urgentíssimo a necessidade de preparo cuidadoso e completo. Antes de tomar sobre si as responsabilidades da paternidade ou maternidade, homens e mulheres devem se familiarizar com as leis do desenvolvimento físico […] Devem também compreender as leis do desenvolvimento mental e do ensino moral” (Ellen G. White, Educação, p. 276).

Ao contemplarmos a vida de Cristo, teremos vislumbres sobre a construção de relacionamentos que se tornou um componente essencial para a comunicação e o ensino eficazes. Por Sua graça podemos ser Seus imitadores.

Os comentários estão encerrados.