Culto Divino com Pr. Helbert Almeida – 14/07/18
13/07/2018
Meditação diária de 14/07/2018 por Flávio Reti
14/07/2018

Comentários da Lição 02 (3o Trim/2018) por Profª Ana Kelly Ribeiro

O Pentecostes

Deus ressuscitou a este Jesus, do que todos nós somos testemunhas. De sorte que, exaltado pela destra de Deus, e tendo recebido do Pai a promessa do Espírito Santo, derramou isto que vós agora vedes e ouvis. Atos 2:32,33

Imagine um jovem cristão, bem arrumado, com um copo de bebida quente numa mão, papéis importantes na outra, numa bela manhã, caminhando para o seu trabalho. Com a carreira em ascensão, cabeça cheia de sonhos e preocupações, ele tem a semana planejada.

Ao entrar no prédio é abordado por um homem distinto que lhe pede um minuto de atenção e revela: -Você foi contemplado! Vai receber a unção do Espírito Santo para proclamar o evangelho com um poder sobrenatural. Muitas pessoas se encherão de esperança e de vida. Alguns colegas e chefes, infelizmente, dirão que você é alienado, desequilibrado. Não vai lhe faltar habilidade alguma para testemunhar, mas o trabalho será árduo e você será perseguido. Você verá com seus próprios olhos, as maravilhas que podem acontecer quando o céu toca a terra. Devo, no entanto, acrescentar que para isso, em muitos momentos, será necessário abrir mão das conquistas dessa vida, considerando que a incalculável recompensa está na vida por vir. Você precisa abandonar mágoas passadas e interesses egoístas, mantendo-se com o coração livre. Toda a capacitação é por Nossa conta. Você aceita?

A vinda do Espírito – A pequena igreja primitiva aguardava o Espírito Santo com sinceridade. Algumas vergonhosas confissões só foram possíveis em um ambiente de confiança. Não havia espaço para perdão fake, do tipo: – Eu te perdoo, mas não confio mais em você.
Como nunca, priorizaram as orações e louvores. Todo dia tinha culto e não faltava ninguém!! Um profundo desapego por bens, posições, opiniões e privilégios tomou conta deles. O sonho de todo pastor!! Como isso pode acontecer? O que os movia?

Lembre-se: Eles queriam se reencontrar com Jesus. Tinham um único propósito. E por isso pediram a vinda do Espírito Santo. “Mais e mais alto estenderam a mão da fé”. Os Embaixadores, pág. 21

O Espírito Santo estremeceu aquele lugar e aquelas vidas com vento e fogo, para que não ficasse dúvidas do poder que emana da Divindade. Que momento! Com certeza, cada coisa boa que ocorreu na humanidade, desde de Adão, mostra que o Espírito nunca esteve ausente ou deixou de agir. Mas aquele momento era especial. Marcava a chegada de Cristo ao trono. Marcava o início da igreja cristã. Marcava a vitória de Cristo sobre toda a forma de mal.

O dom de línguas – Com Deus tudo é repleto de significado e proveito. Assim, o Pentecostes e a Festa das Primícias eram um momento de encontro de judeus que vinham de todos os lugares com seus corações dedicados como eram as melhores ofertas da colheita de trigo. Esse foi o momento escolhido por Deus para a pregação começar.

Deve ter sido sensacional! Num minuto, toda a formalidade é quebrada por discursos inflamados de fé, amor e humildade. Com tradução simultânea! Bem no estilo de Cristo, onde todos se sentem incluídos, convidados, até mesmo aqueles que os rejeitaram. A Bíblia é bem clara: “…cada um ouvia falar em sua própria língua…”. Atos 2:6. Ao aceitarmos fazer parte do time de Cristo, tudo que for necessário e útil para a salvação de almas nos será concedido.

O sermão de Pedro – Enquanto as pessoas ainda estavam aglomeradas refletindo no que dizia João, Mateus e seus amigos, os “juízes” de plantão, os mesmos que se incomodavam com as pregações de Cristo, chegaram com acusações de embriaguez. Era tudo que Pedro precisava: Uma nova oportunidade! Eu posso imaginá-lo orando em silêncio: “- Mestre! Dessa vez eu não Te negarei!”

Quando nossa mente está repleta de propósito, não nos afligimos com acusações. Não temos tempo e nem foco em nossa própria imagem. Antes, observamos em cada momento uma oportunidade e em cada ser humano, mesmo os acusadores, um irmão em potencial.

Pedro estava preparado. Ele cita a promessa profetizada por Joel 2:28, não apenas para validar a pregação, mas para advertir sobre a urgência daquele momento. De sua boca procedem as palavras que apontam o caminho e de seus olhos emana o amor e a fé que recebeu do próprio Cristo. Unido aos demais, conta sobre a alegria da ressureição e a eminente volta de Jesus. Mas note uma coisa interessante no sermão dele: a ressureição não parece uma dúvida para os ouvintes. O único cuidado era associá-la a messianidade de Cristo e Seu poder sobre a vida e morte.

As primícias – Aquelas ovelhas, agora apascentadas por aquele novo pescador, reagem, também sobre a ação do Espírito, com uma pergunta dolorida: “- Que faremos, irmãos?” Atos 2:37, “ – E agora?”. É emocionante imaginar que Cristo olhou para alguns deles na multidão que o crucificou e planejou esse momento no Pentecostes.

Ninguém melhor que Pedro para responder. Ele sabe exatamente o que é cair si ao som de um galo cantando. Sabe o que é sentir-se envergonhado por quem é. Sabe o que é se sentir fraco e covarde. Mas também conheceu a estrada construída por Jesus para os que querem ser redimidos. Age mais uma vez como testemunha viva: “Arrependei-vos e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para (que presente!) perdão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo.” Atos 2:38. Eu posso lhe mostrar alguém que é capaz renovar a vida. Renovou a minha!

“Apossando-se do coração, o Espírito de Deus transforma a vida. Pensamentos pecaminosos são afastados, as más ações são renunciadas; o amor, a humildade e a paz tomam o lugar da ira, inveja e discórdia. A alegria substitui a tristeza, e a fisionomia reflete a alegria do Céu”. Minha Consagração Hoje p. 412

Uma mudança total de vida. Não apenas comportamentos, mas um novo padrão de pensamentos. Uma leveza no ser, uma esperança inabalável e uma alegria acima das circunstâncias. É salvação!

Necessidades atuais – Essa semana escrevo da divertida e jovem cidade de Águas Claras em Brasília. Cortada por avenidas movimentadas, trilhos de metrô, gastronomia diferenciada e outros tantos tipos de serviço, parece um lugar perfeito para construir a vida. Mas essa agitada comunidade vive nos bastidores um drama terrível: o crescente número de suicídios. Jovens bem realizados, engenheiros, médicos, empresários com bom poder aquisitivo e aparente sucesso, desistem de encontrar o sentido da vida.

Vivemos em um tempo único. A sociedade corre como nunca, tem acesso a informação, uns aos outros e a “liberdades” nunca obtidas. Mas nunca foi tão vazia.
Como levaremos a eles esperança? Talvez não seja preciso falarmos outros dialetos, mas precisamos de uma linguagem que toque os assustados corações modernos.

E enquanto os recursos naturais e psíquicos chegam ao fim, Deus espera que a igreja novamente se apronte para receber uma porção especial do Espírito Santo. Gente que sonhe em ser transformado para servir. Um povo repleto de propósito!

“Caso Seu povo afaste os obstáculos, Ele derramará as águas da salvação em abundantes torrentes pelos condutos humanos.” Nossa Alta Vocação p. 146. Você aceita?

Os comentários estão encerrados.